DESTAQUE

Mudando de lugar: civilizações adiantadas poderiam mudar seus sistemas para evitar desastres

Por
14 de Julho de 2020
Civilização alienígena
Créditos: Daily Star

Civilizações alienígenas avançadas teriam meios de mover duas estrelas para evitar desastres cósmicos, acredita Alexander Svoronos, cientista da Universidade de Yale, nos Estados Unidos.

O universo não é um lugar calmo, no qual planetas existam sem risco de ser bombardeados por corpos celestes que podem destruí-los ou às suas atmosferas, enfrentar uma supernova ou até mesmo um buraco negro. O risco existe e é constante não apenas para nós, da Terra, mas para todos os mundos.

Assim, mesmo civilizações extremamente avançadas teriam que lidar com o fato de que um desastre gigante poderia atingi-las, destruindo tudo o que construíram. Mas essas civilizações, talvez, tenham uma carta extra na manga.

 Isso é o que acredita o especialista norte-americano Alexander Svoronos, cientista da Universidade de Yale, nos Estados Unidos. Para ele, essas civilizações extraterrestres nunca detectadas poderiam escapar do fim movendo suas estrelas.

 

Um pouco mais para lá


Mudando para evitar a extinção Crédito: Daily Star

“Trata-se de uma mega-estrutura que pode ser utilizada para mover um sistema estelar inteiro … Se o sistema estiver próximo de uma supernova, a civilização extraterrestre pode tentar evitá-la”, explicou Svoronos ao portal New Scientist.

Essa estrutura, que segundo o especialista precisa ter cerca de 20% da massa da Lua, poderia ser colocada a alguns milhares de quilômetros de uma estrela, sendo depois utilizada para arrastá-la em velocidades crescentes por meio de força gravitacional.

A estrutura, capaz de mover estrelas, seria alimentada por material do próprio corpo estelar, detalhou o especialista de Yale. Svoronos teoriza ainda que um sistema deste tipo poderia acelerar um sistema solar a 0,1% da velocidade da luz durante um período de 5.000 anos e, eventualmente atingir 10% da velocidade da luz em 38 milhões de anos.

Rebocadores estelares


Movimentos anômalos podem indicar vida inteligente Crédito: Daily Star

Apesar de estes espaços de tempos nos parecerem muito complicados de imaginar, o tipo de civilização ultra avançada teorizada por Svoronos seria efetivamente imortal e estaria bastante confortável com a ideia de planeamento a longo prazo.

Nestes planos de muito longo prazo, o especialista prevê que civilizações mega sofisticadas consigam mover até os seus sistemas solares para fora da galáxia-mãe. “Podem expandir para outra galáxia por centenas de milhões de anos”, afirma.

Essa estratégia que utilizaria “rebocadores de estrelas” pode ser útil para nossa procura por vida inteligente fora da Terra, segundo Svoronos.

O especialista acredita que ao observar movimentos anómalos de estrelas distantes, os cientistas poderão conseguir identificar outras civilizações, cuja existência se desconhece, e que estariam a anos-luz da civilização humana.

 

Fonte: ZAP 

Já está no ar a Edição 267 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2019

Um metal extraterrestre