DESTAQUE

Misteriosos círculos aparecem no espaço e deixam cientistas confusos.

Por
22 de Maio de 2021
Galáxias seriam o centro desse novo e misterioso fenômeno.
Créditos: Claudio Schroeder Möller

Nos últimos anos, os astrônomos detectaram um punhado de objetos radioelétricos gigantescos e quase perfeitamente circulares no universo distante. Embora ninguém tenha ainda uma explicação para estes corpos misteriosos, algumas pesquisas parecem estar potencialmente próximas da solução deste quebra-cabeça. Um desafio para os pesquisadores espaciais, que mostra que o universo esconde muitos segredos.

O enigma começou pouco depois de o Australian Square Kilometer Array Pathfinder (ASKAP), um banco de 36 colossais antenas de observação na Austrália ocidental que escaneia os céus na parte de rádio do espectro eletromagnético, começar a produzir mapas de todo o céu noturno em 2019. Os cientistas do ASKAP procuravam, principalmente, fontes brilhantes que pudessem indicar a presença de buracos negros ou de enormes galáxias que brilhavam em ondas de rádio. Mas alguns membros da equipe também estão à procura de “(...) qualquer coisa estranha, qualquer coisa nova e qualquer coisa que não se pareça com nada”, disse Bärbel Koribalski, astrônomo da Organização de Pesquisa Científica e Industrial da Commonwealth (CSIRO) e da Universidade de Western Sydney, na Austrália, no Live Science.

Outro membro do grupo, Anna D. Kapinska, do Observatório Radioastronômico Nacional de Socorro (Novo México), detectou quatro círculos radioelétricos brilhantes, embora inicialmente os demais pesquisadores os tenham descartados como um fenômeno mais familiar. Mas quando os telescópios tentaram observar objetos em outros comprimentos de onda, como a luz óptica que nossos olhos usam para enxergar, eles pareceram vazios, levando a equipe a chamá-los de “círculos de rádio estranhos” (ORCs).

Mais estranho ainda, é que cada um dos ORCs tinha uma galáxia localizada quase exatamente em seu centro, como um alvo. Os astrônomos foram capazes de determinar que as entidades estavam a vários bilhões de anos-luz de distância e que poderiam ter um diâmetro de vários milhões de anos-luz. Ninguém nunca tinha visto nada parecido antes e, em um artigo publicado recentemente, a equipe sugeriu 11 possíveis explicações sobre o que poderiam ser, incluindo imagens falhas, distorções no espaço-tempo conhecidas como anéis de Einstein ou um novo tipo remanescente de uma supernova.


Nenhuma resposta definitiva foi encontrada para os misteriosos círculos descobertos no espaço.
Fonte: Bärbel Koribalski/ASKAP

Desde então, os pesquisadores escanearam novamente o céu com o ASKAP e encontraram outro ORC para adicionar à sua coleção, uma entidade com cerca de um milhão de anos-luz de diâmetro, localizada a cerca de 3.000 bilhões de anos-luz de distância. Em 27 de abril, eles publicaram suas descobertas em um banco de dados pré-impressão e foram aceitos para publicação na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

De acordo com Koribalski, a equipe reduziu suas ideias a três explicações possíveis. A primeira é que pode haver outras galáxias formando um aglomerado próximo ao objeto e dobrando o material brilhante em uma estrutura anular. Estas galáxias podem ser muito fracas para serem detectadas pelos telescópios atuais. Outra possibilidade é que o buraco negro supermassivo central destas galáxias esteja consumindo gás e poeira, produzindo enormes jatos de partículas e energia em forma de cone. Os astrônomos têm visto com frequência este tipo de fenômeno no universo, embora geralmente os jatos se alinhem de tal forma com a Terra que os observatórios os veem se movendo para fora dos lados da galáxia.

Talvez, no caso dos ORCs, os jatos estejam simplesmente apontando diretamente até nosso planeta, sugeriu Koribalski, de modo que estamos essencialmente olhando para o cano de um longo tubo, criando uma imagem circular bidimensional em torno de uma galáxia central. “A outra explicação é mais emocionante”, disse ele. “Isto pode ser algo completamente novo. É possível que no meio dessas galáxias tenha ocorrido um evento desconhecido, mas muito energético, criando uma onda de choque que se deslocou em forma de esfera e deu origem a uma estrutura anular.” Koribalski ainda não tem certeza de que tipo de evento poderia criar uma assinatura assim, embora talvez seja um produto até então desconhecido da colisão de buracos negros.

Fonte

Já está no ar a Edição 284 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2021

Biden revelará os segredos dos UFOs?