DESTAQUE

Mistério no cosmos: flashes repetidos no espaço profundo podem vir de alienígenas

Por
08 de Junho de 2020
FRBs vindos do espaço prfoundo
Créditos: Space.com

As rajadas rápidas de rádio, um dos grandes mistérios do universo, vem intrigando os cientistas há tempo. Há quem diga que são um fenômeno natural, há quem diga que são originados em algum tipo de tecnologia extraterrestres. Agora, o mistério aumentou, com novas descobertas.

 Os astrônomos descobriram um ciclo de atividade em outra explosão rápida de rádio, potencialmente apontando para uma pista significativa sobre esses fenômenos misteriosos do espaço profundo.

Explosões rápidas de rádio (FRBs) são flashes extragalácticos de luz que envolvem um jato extremo, liberando em alguns milissegundos a energia que o Sol envia para a Terra em um século. 

Os cientistas descobriram uma FRB pela primeira vez em 2007, e a causa dessas erupções permanece indescritível quase uma década e meia depois. Explicações potenciais vão desde a fusão de estrelas de nêutrons superdensas a civilizações alienígenas avançadas .

Até o momento, mais de 100 FRBs foram descobertas e a maioria delas é pontual, disparando apenas uma vez, até onde sabemos. 

Em janeiro deste ano, os astrônomos relataram que um membro da classe "repetidora", chamada FRB 180916.J0158 + 65, parecia exibir um ciclo de atividade de 16 dias: ela dispara rajadas por um período de quatro dias, fica quieta por 12 dias e depois começa tudo de novo.

 

Fenômeno natural x tecnologia alienígena


FRBs captados por antenas terrestres. Crédito: Daily Galaxy

O FRB 180916 foi o primeiro a entrar em erupção de maneira periódica. E agora os cientistas descobriram outro.

Pesquisadores monitoraram o repetidor conhecido como FRB 121102 com o Telescópio Lovell, uma antena parabólica de 76 m de largura, situada no Observatório Jodrell Bank, na Inglaterra, ao longo de cinco anos. 

Eles encontraram fortes indícios de um ciclo de atividade de 157 dias. “O 121102 parece se incendiar por 90 dias e depois ficar em silêncio por 67”, informou a equipe em um novo estudo.

Não está claro o que está por trás dessa atividade cíclica, embora os cientistas tenham algumas ideias. Por exemplo, surtos periódicos podem ser causados ??por uma oscilação no eixo rotacional de uma estrela de nêutrons altamente magnetizada conhecida como um magnetar . 

Eles também podem estar ligados aos movimentos orbitais de uma estrela de nêutrons em um sistema binário. E há quem aponte que o fenômeno está ligado a algum tipo de tecnologia alienígena de alta complexidade.

 

Fenômeno intrigante e pouco conhecido


Concepção artística de uma FRB.  Crédito: AstroPT

“Os efeitos da oscilação devem se manifestar ao longo de algumas semanas”, disseram os membros da equipe de estudo. Portanto, eles parecem compatíveis com o ciclo de 16 dias do FRB 180916, mas não com o do FRB 121102, que é 10 vezes maior. 

E também não há garantia de que o mesmo fenômeno esteja impulsionando a periodicidade de ambos os FRBs repetidos.

"Esta emocionante descoberta destaca o quão pouco sabemos sobre a origem dos FRBs", afirmou em comunicado o coautor do estudo Duncan Lorimer, reitor associado de pesquisa da Universidade West Virginia. "Serão necessárias mais observações de um número maior de FRBs. a fim de obter uma imagem mais clara sobre essas fontes periódicas e elucidar sua origem", explicou Lorimer

O novo estudo liderado por Kaustubh Rajwade, da Universidade de Manchester, na Inglaterra, foi publicado on-line hoje, 08 de junho, na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 

Você pode ler uma pré-impressão gratuitamente em arXiv.org.

 

Fonte: Space. com   

Assista, abaixo, um video do Space Today sobre o assunto:

Já está no ar a Edição 257 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2018

Nos limites da existência