DESTAQUE

Missão Hope dos Emirados Árabes é lançada com sucesso rumo a Marte

Por
21 de Julho de 2020
Lançamento da missão Hope para Marte
Créditos: The National

A sonda Hope será o primeiro satélite meteorológico do planeta Marte e fará estudos aprofundados sobre o clima do Planeta Vermelho que ajudarão em nossa compreensão não apenas daquele mundo, mas também do nosso.

 Conforme publicamos anteriormente,  os Emirados Árabes se preparavam para o lançamento de uma missão espacial para Marte, denominada Hope [Esperança], com o objetivo de estudar o clima do planeta.

E, no domingo, dia 19 de julho, um foguete japonês H-2A decolou do Centro Espacial Tanegashima no Japão, às 17h58, lançando a primeira missão dos Emirados Árabes Unidos rumo a Marte.

O Hope é um satélite de 1.350 kg desenvolvido pelo Centro Espacial Mohammed bin Rashid (MBRSC) nos Emirados Árabes Unidos. A sonda chegará a Marte em fevereiro de 2021 e entrará em uma órbita elíptica inicial entre 1.000 e 49.380 km acima do planeta. 

Mais tarde, ela se moverá para a órbita desejada para observações científicas, com altitudes que variam de 20.000 a 43.000 km.

O desenvolvimento da sonda começou no final de 2013 como um esforço do país para aumentar suas capacidades espaciais, após o desenvolvimento de uma série de naves espaciais de observação da Terra. 

"Eles queriam que nós alcançássemos um nível mais alto ", disse Omran Sharaf, gerente de projetos da Hope. "Eles queriam que criássemos uma carreira para os cientistas".

A missão carrega três instrumentos: uma câmera, um espectrômetro infravermelho e um espectrômetro ultravioleta. A sonda fornecerá dados sobre a atmosfera marciana, incluindo o monitoramento do tempo e do clima em maior grau do que as missões anteriores dos Estados Unidos e de outras nações.

 

Muito além de uma fotografia


Sonda chegando a Marte Crédito: Revista Galileu

"Um dos requisitos desde o início era enviar uma missão que fosse além de capturar uma imagem declarando que os Emirados Árabes Unidos chegaram a Marte", disse Sarah al-Amiri, ministra de Estado dos Emirados Árabes Unidos para ciências avançadas e vice-gerente de projetos da Hope. "Somos o primeiro satélite meteorológico de Marte".

Os Emirados Árabes Unidos não estão fazendo a Hope por si só. Além de comprar o lançamento do H-2A da Mitsubishi Heavy Industries do Japão, o MBRSC firmou parceria com várias universidades nos Estados Unidos, como a Universidade Estadual do Arizona, o Laboratório de Ciências Espaciais da Universidade da Califórnia em Berkeley e o Laboratório de Física Atmosférica e Espacial (LASP) na Universidade do Colorado. Essas universidades colaboraram na espaçonave e seus instrumentos.

"A Hope captará os fluxos e refluxos do tempo em Marte em um grau que antes não era possível", disse Daniel Baker, diretor da LASP, em comunicado. "É uma mostra de como a exploração espacial se tornou um empreendimento cada vez mais internacional".

 

Todos rumo a Marte


Complexo de lançamento do Caso Canaveral Crédito: Wikipedia

A NASA também está apoiando a missão, fornecendo o acesso da Hope à Deep Space Network para comunicações. "Hoje marca o culminar de um tremendo trabalho duro, foco e dedicação, bem como o início da jornada dos Emirados Árabes Unidos para Marte", disse o administrador da NASA Jim Bridenstine em um comunicado pós-lançamento. 

"Todos nós da NASA estamos entusiasmados com as perspectivas de futuras parcerias ambiciosas com os Emirados Árabes Unidos em órbita baixa da Terra e, por meio do programa Artemis, dentro e fora da Lua com o destino final de Marte", completou Bridenstine.

Essa é a primeira das três missões para Marte programadas para lançamento nas próximas duas semanas. 

Espera-se que a China lance sua missão Tianwen-1 Mars, que apresenta um orbitador, um lander e um rover, em 23 de julho. A NASA lançará sua missão Mars 2020, carregando o rover Perseverance, em 30 de julho, no Atlas 5, da Cabo Canaveral, na Flórida.

 

Fonte: Space News 

 

Veja, abaixo, um divertido documentário sobre a exploração de Marte:

 

Já está no ar a Edição 276 da Revista UFO. Aproveite!

Janeiro de 2020

A Ufologia e seus demônios