DESTAQUE

Michio Kaku volta a fazer declarações sobre a realidade dos discos voadores e vida extraterrestre

Por
28 de Janeiro de 2021
O professor Michio Kaku acredita na origem extraterrestre dos UFOs, mas pede por evidências que possam ser reproduzíveis.
Créditos: Yasuyoshi Chiba/AFP-Getty Images

Em setembro de 2019, a marinha dos Estados Unidos admitiu que a maioria dos vídeos de UFOs são reais; que não podem ser explicados e mostram fenômenos aéreos que surpreendem a todos, inclusive pessoas que sabem muito sobre esse assunto. Mas o que esse anúncio mudou?

Por Claudio Schroeder Möller

Michio Kaku é professor de física teórica e autor do best-seller “O Futuro da Humanidade”. Para ele, estamos presenciando um ponto de inflexão: “O ônus da prova costumava recair sobre as pessoas que acreditassem no Fenômeno UFO. Agora essa responsabilidade foi transferida para o governo e os militares provarem que o fenômeno não é real.” Porém, a evidência é esmagadora.

Há uma gama enorme de informações advindos de pilotos da marinha dos Estados Unidos, com dados que nos permitem adquirir informações a respeito de seus comportamentos e dinâmica de funcionamento. A ciência nos lembra que ela se baseia em coisas que podem ser testadas, reproduzidas e até mesmo forjadas: “Agora temos informações que podem ser testadas. Isso muda tudo”, disse o professor Kaku.

Quando questionado sobre as chances de os UFOs terem sido criados por seres humanos, o professor Kaku diz que, dado o que sabemos sobre o comportamento físico de tais objetos e a física que “deveria” estar envolvida nesses casos, só poderia haver duas alternativas: “Existe a possibilidade de serem drones hipersônicos. Afinal, a Rússia, a China e os Estados Unidos têm testado drones hipersônicos que podem viajar entre cinco e 20 vezes a velocidade do som, igual a alguns UFOs já registrados”.


Pilotos da marinha dos Estados Unidos se depararam diversas vezes com objetos invadindo seu espaço aéreo e fazendo manobras impossíveis para nossa tecnologia atual.
Fonte: EPA/Departamento de Defesa dos Estados Unidos

A outra possibilidade reside no fato de os cientistas terem recentemente identificado cerca de 4.000 planetas orbitando outras estrelas. O professor Kaku enfatiza que “Cada estrela que vemos no céu à noite tem em média um planeta orbitando. Isso nos faz pensar se há alguém olhando de volta para nós.” Logo, há chances de serem veículos de origem alienígena.

Portanto, além de percebermos que poderia haver mais de 1 bilhão de planetas semelhantes à Terra em nosso próprio “quintal”, há ainda instrumentos e dados para  medir a velocidade dos UFOs, que viajam entre Mach 5 e 20, calcular mudanças de altitude repentinas, como de 80.000 para 20.000 pés e observar manobras cuja Força G esmagaria qualquer ser humano. Tudo isso já documentado em vídeo, inclusive.

O professor Kaku acredita que a única evidência que falta é o fator “reprodutibilidade”. “Da próxima vez que você for abduzido por um UFO, por favor: roube algo deles. Eu não ligo se for um martelo alienígena ou a nave em si. Não há lei contra roubar seres extraterrestres e vocês não serão presos por isso. Precisamos de coisas que sejam reproduzíveis em laboratório!”, brincou o professor.

Fonte

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 258 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2018

Que tecnologia é esta?