NOTÍCIA

México:

Por Equipe UFO | 06 de Junho de 2010


Créditos:

México:

O fenômeno UFO foi reconhecido como fato numa decisão histórica e semprecedentes tomada pelo Departamento de Defesa do México sob o comando do seu Secretário da Defesa General Clemente Vega Garcia, comandante de todas as Forças Armadas de seu país. A medida insólita - única - que mudará a história do México foi o resultado de um incidente de alto nível no qual um avião da Força Aérea Mexicana, pilotos e pessoal militares foram envolvidos numa situação com diversos UFOs ao fazerem uma vigilância rotineira numa operação anti-narcóticos para detectar um vôo clandestino de drogas. As notícias foram liberadas no domingo à noite, dia 09 maio 2004, por JaimeMaussán, pesquisador e jornalista televisivo, durante o show de tevê "Grandes Mistérios do Terceiro Milênio" radio-difundido pela rede de tevê Multimédios na cidade de Monterrey. Jaime Maussán anunciou que na terça-feira, 11 de Maio,haveria uma conferência internacional da imprensa para apresentar o caso e a investigação feita pelo Departamento de Defesa em conjunto com o grupo de pesquisas de Maussán numa colaboração sem precedentes. A conferencia da imprensa teria lugar no Hotel Sevilla Palace, na cidade do México, às 11h00, para onde toda a representatividade da mídia internacional foi convidada. Todos os fatos e materiais da investigação seriam apresentados na conferência, inclusive os filmes oficiais feitos pela Força Aérea e as entrevistas com os pilotos e o pessoal envolvido no espantoso incidente. OS FATOS:Em 20 abril 2004 Jaime Maussán foi contatado por um alto oficial doDepartamento de Defesa para um encontro reservado e para discutir um assunto de alta relevância. No dia seguinte, Maussán encontrou-se com o Gal. C. V. García, Secretário da Defesa e seu Estado-Maior, sendo informado a respeito de um incidente que aconteceu a 05 março 2004 no espaço aéreo da Ciudad Del Carmen, Campeche onde um aeroplano Merlin C26A bimotor fazia um vôo rotineiro numa operação de fiscalização anti-narcóticos.O Merlin C26A estava equipado com um equipamento digital de alta tecnologia para registrar e gravar todas as atividades durante a operação. Poderosos sensores e detectores como um FLIR STAR ZAPPHIR II, um RADAR AN/ e BRAVO VICTOR 3 estavam sendo usados por pessoal qualificado a bordo do aeroplano. Toda a operação era gravada (registrada) em ambos os modos, normal e infra-vermelho. O avião estava sob o comando do Major M. J. Núñez. O operador do FLIR era Mario Adrián Vázquez e o operador de radar German Ramirez, todos eles membros do Esquadrão Aéreo 501. Este avião é programado somente para procedimentos de vigilância e detecção,não para manobras de interceptação e combate. Seu dever é detectar eidentificar vôos de narcotraficantes e então imediatamente relatá-los à base. As testemunhas oculares da tripulação do C26A:Aproximadamente às 17h00 o Merlin C26A detectou um movimentodesconhecido a 10.500 pés sobre Ciudad Del Carmen, espaço aéreo de Campeche MX e, de acordo com o protocolo,supondo ser um avião denarcotraficante. O Major M. Jasso fez uma manobra de aproximação aomovimento não identificado, a uma certa distância, a fim de dar uma olhada de perto e registrar o alvo com seu equipamento. Ao mesmo tempo omajor Jasso relatou por rádio à base, que um possível suspeito tinha sidodetectado, e pediu para que os aviões interceptadores ficassem em estado de alerta.O RADAR AN/PS 143 Bravo Victor 3 detectou o movimento desconhecido e o FLIR STAR ZAPPHIR II registrava o objeto em infra-vermelho. Enquanto isso o Merlin tentava se aproximar do movimento desconhecido para fazer umaidentificação visual. Tal alvo repentinamente, numa manobra surpreendente,escapava, voando a uma tremenda velocidade. Então o Major Jasso tentouperseguir o objeto mas o mesmo era muito rápido. Tudo isso foi gravado peloFLAIR e também as conversas por rádio com a base descrevendo a manobrainesperada do desconhecido. De qualquer modo o C26A ainda não tinha feitocontato visual com o objeto desconhecido.Alguns momentos se passaram quando repentinamente o objeto desconhecido voltou e começou a seguir o Merlin C26A numa situaçãosurpreendente. Isso foi detectado pelos equipamentos RADAR e FLIR ao mesmo tempo que a tripulação a bordo tentava fazer contato visual com o movimento não identificado. Em segundos, o equipamento detectava agora não somente um, mas dois movimentos os seguindo. As imagens do equipamento RADAR e FLIR estavam claras e sem enganos. Mas ambos, piloto e tripulação ainda não podiam ter contato visual com estes dois movimentos que os seguiam, adicionando um grande suspense a esta inquietante situação.O major Magdaleno Jasso relatava à base o incidente insólito que aconteciadando minúcias de todas as informações registradas pelo equipamento enquanto continuava tentando fazer contato visual com os desconhecidos. O FLIR (infra-vermelho) continuava gravando cada movimento feito pelos objetos desconhecidos os quais pareciam estar mantendo sua distância do C26A ao mesmo tempo que o seguia. O pessoal a bordo do Merlin estava confuso e inquieto, vendo as imagens do FLIR e do RADAR, perguntando a si mesmos o que se passava nessa situação estranha. O Incidente Fica Mais Dramático:O momento fatigante pelo qual a tripulação do C26A passava era só ocomeço de algo mais dramático que transformaria a sua experiência nãodesejada em um verdadeiro pesadelo. Alguns minutos se passaram enquanto a tripulação do Força Aérea Mexicana Merlin continuava a fazer manobras a fim de ter um contato visual com os desconhecidos, pois a despeito de ambos (RADAR e FLIR), mostrarem perfeitamente claros ambos os objetos não identificados, por razões não explicadas não havia contato visual embora estivessem perto, então. Foi durante estas manobras circulares para serem identificados estes dois objetos que algo surpreendente aconteceu. Em segundos mais objetos desconhecidos entraram em cena e aí a confusão entre a tripulação do C26A era total. O equipamento RADAR e o FLIR detectaram imediatamente a presença de nove novos objetos de mesmos tamanho e características, elementos desconhecidos queentraram em cena, como se viessem de lugar nenhum. Então a situaçãoentrou para um alto nível de perigo, daí o major M. Jasso relatoupor rádio à base este novo fato pedindo instruções.O mais insólito era que mesmo que houvessem onze objetos desconhecidosperto deles, mesmo assim a tripulação não podia vê-los, nenhum contatovisual com os desconhecidos era possível por alguma razão nunca antesexperimentada por estes homens altamente treinados. De qualquer modo oequipamento sofisticado de alta tecnologia e os sensores não estavammentindo, havia mesmo onze alvos lá fora com intenções imprevisíveis.Nesse entremeio de completa confusão e frustração entre a tripulação, osobjetos desconhecidos repentinamente manobraram rodeando o avião da Força Aérea Mexicana num círculo próximo. O RADAR e o FLIR mostraram uma imagem insólita de onze objetos próximos numa formação circular em torno do Merlin.A situação ficou fora de controle.O major Magdaleno Jasso relatou à base que a situação do C26A estava então em alerta vermelho, rodeado por onze misteriosos objetos arredondados e camuflados com alguma tecnologia avançada desconhecida a qual evitava qualquer contato visual com eles. De qualquer modo, o major Jasso manteve a calma tanto quanto a tripulação que, enquanto isso, trabalhava rápido medindo e registrando cada minúcia deste incidente único, conscientes de seus deveres enquanto militares e homens treinados.Confrontando esta situação, rodeados por objetos não identificados de finalimprevisível, o major tomou a decisão de desligar todas luzes do avião eesperar para ver o que acontecia. Momentos de grande suspense vivia atripulação, momentos de silêncio e incerteza (enquanto o major continuava em contato com a base.Depois de alguns minutos fatigantes os onze objetos desapareceram dando um final à estranha experiência que estes membros do Esquadrão Aéreo 501vivenciaram. O Merlin C26A voltou em segurança à Base da Força Aérea e omajor Jasso preparou um relatório completo do incidente. O Secretário daDefesa tomou conhecimento do relatório do major e começou umainvestigação completa, estudando e avaliando cada elemento do caso.Declarações da tripulação, imagens, conferências, verificações de todo oequipamento, tanto quanto uma completa avaliação dos dados meteorológicos. O incidente foi tomado muito seriamente pelo Estado-Maior do Departamento de Defesa e, depois de várias semanas de investigação eles decidiram, sob o comando do General C. V. García, contatar o pesquisador e jornalista de televisão Jaime Maussan para uma colaboração especial nesta investigação, como um pesquisador experiente nestes assuntos.Em 22 abril 2004 o general C. V., Secretário da Defesa, deu a Jaime Maussán uma cópia de todas as fitas e dados coletados pelo Merlin C26A durante o incidente para estudo, avaliação e análise pelo grupo de pesquisa de Maussan como complemento desta investigação e como uma fonte colaboradora externa tentando estabelecer uma definição dos possíveis motivos e conseqüências do incidente de 05 março 2004. O general Vega e seus oficiais ajudantes foram muito abertos para discutiro assunto e mostraram seu interesse legítimo em conduzir esta investigação a fim de estabelecer a verdade do que aconteceu. Vega autorizou atripulação do Merlin C26A a dar a Jaime Maussán as entrevistas necessárias,sem nenhuma censura, dando todas as facilidades para esse caso serapresentado ao povo mexicano, uma decisão histórica sem precedentes queabrirá uma nova era de colaboração mútua entre ufólogos mexicanos e asforças militares, baseada em respeito e interesse em encontrar a verdade da atividade ufológica intensa experimentada no México desde o começo da Espantosa Onda Ufológica Mexicana em 11 de julho de 1991.Esta nova era de relacionamento entre as testemunhas mexicanas de UFO,observadores do céu, ufólogos e nossas forças militares tentará estabelecere dar forma a uma nova legislação em nosso sistema objetivando apreparação para qualquer incidente envolvendo estes objetos voadoresnão identificados, do nosso povo, nossos aeroplanos comerciais emilitares etc, para aprendizado e compreensão do que faremos ecomo confrontar esta realidade.DADOS TÉCNICOS DATA: March 5, 2004 HORÁRIO: 17:00 PM a 17:30 pm EVENTO: em co-missãoLOCALIZAÇÃO: espaço aéreo de Ciudad del Carmen, Campeche Mexico a 10.500 pés. COORDENADAS: Latitude Norte 18° 26.60´ : Longitude W oeste 90° 45.69´EQUIPAMENTO SENSOR: FLIR (infra-vermelho) STAR ZAFIRO IIe RADAR AN/PS 143 BRAVO VICTOR 3ALCANCE DE DETECÇÃO: 50 milhasCAMPO DE ATUAÇÃO DO DETECTOR DE INFRA-VERMELHO: 40 graus Centígrados a até mais que 1500 graus C.LENTES DA CÂMERA: GERMANIOAIRPLANE: Merlin C26A Bimotor OFFICERSNavigation Captain: Magdaleno Jasso NuñezFLIR Operator : Lt. Mario Adrian VasquezRADAR Operator: Lt. German RamirezMembers of the 501 Aerial Squadron CONDIÇÕES GERAIS: Tal zona estava em ótimas condições meteorológicas, ventos não maiores doque 35 km por hora, umidade relativa a 72% e uma temperatura média de34 graus Celsius. A 10500 pés, temperatura média de 27 graus centígrados negativose uma visibilidade média de 96%. A região não registra atividade vulcânica nem movimentos tectônicos. Não havia detecção de acúmulo de corrente elétrica nem distribuição de importância.Não foram encontradas fontes de fenômenos eletromagnéticos de centraiselétricas nem de movimentos sísmicos, ou possibilidade de quaisquer "efeitos de Bolas-de-fogo" causados por atividade vulcânica.Não existiram registros de tempestades solares naqueles momentos ou deexplosões solares relevantes. A possibilidade de efeitos luminosos deionização como o Fogo de Santelmo ou tempestades elétricas foram então descartadas. Estudo e análise elaborada por R. G. Cotham de acordo com os dados dos equipamentos digitais do Merlin C26A.

Compartilhe essa notícia:

Comentários