DESTAQUE

Martemotos: há tremores em Marte, revelam os primeiros resultados da sonda InSight da NASA

Por
24 de Fevereiro de 2020
Missão Insight, em Marte
Créditos: NASA

"Finalmente, pela primeira vez, estabelecemos que Marte é um planeta sismicamente ativo", disse Bruce Banerdt, investigador principal da missão chamada Exploração Interior usando Investigações Sísmicas, Geodésia e Transporte de Calor (InSight), do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA, em Pasadena, Califórnia, durante uma teleconferência com repórteres no dia 20 de fevereiro.

O grau de sismicidade marciana está entre a da Lua e a da Terra, acrescentou Banerdt. "De fato, provavelmente é próximo ao tipo de atividade sísmica que você esperaria encontrar longe dos limites das placas tectônicas na Terra e de áreas altamente deformadas", disse ele.

 

Sondando o subsolo marciano

 
Pesquisando os tremores em Marte. Crédito: Nasa

O InSight pousou perto do equador marciano em novembro de 2018, iniciando sua missão de dois anos para sondar o interior do Planeta Vermelho, com detalhes sem precedentes.

A sonda estacionária carrega dois instrumentos científicos principais para fazer esse trabalho: um conjunto supersensível de sismômetros e uma sonda de calor denominada toupeira, projetada para ficar a pelo menos três metros abaixo da superfície de Marte.

 

Mundos rochosos

Análises dos “martemotos” – que é como os cientistas estão chamando os tremores do planeta – e medições de transporte de calor permitirão à equipe da missão construir um mapa 3D detalhado do interior marciano, disseram autoridades da NASA.

Além disso, os cientistas do InSight estão usando sinais de rádio, emitidos pelo módulo de aterrissagem, para rastrear quanto Marte oscila em seu eixo ao longo do tempo. Essas informações ajudarão os pesquisadores a determinar quão grande e denso é o núcleo do planeta.

No geral, as observações do InSight ajudarão os cientistas a entender melhor como os planetas rochosos, como Marte, Terra e Vênus, se formam e evoluem, disseram os membros da equipe da missão.

Os retornos científicos iniciais da missão, que foram publicados no dia 21 de fevereiro deste ano em seis artigos nas revistas Nature Geoscience e Nature Communications, “mostram que o InSight está a caminho de atingir esse objetivo a longo prazo”, disse Banerdt.

Fonte: Space

Assita um video sobre a missão Insight:

Já está no ar a Edição 249 da Revista UFO. Aproveite!

Agosto de 2017

Um passado desconhecido