DESTAQUE

Mais um estudo sugere que o objeto espacial Oumuamua possa ser uma nave alienígena

Por
04 de Janeiro de 2021
Ilustração da evolução do objeto interestelar Oumuamua
Créditos: YU Jingchuan

Seria o Oumuamua um cometa diferente ou uma nave interestelar? Novo estudo volta a questionar sua origem natural.

Em outubro de 2017, descobriu-se um objeto interestelar visitando o Sistema Solar, que mais tarde seria batizado com o nome 1I/'Oumuamua. Ele apresentou uma trajetória altamente hiperbólica, uma natureza incerta e aceleração incomum, o que deixou a comunidade científica bastante intrigada. Agora, um novo estudo trouxe, outra vez, a hipótese de que se trata de uma tecnologia alienígena. 

Loeb, astrofísico da Universidade de Harvard, argumenta que o Oumuamua poderia ser uma máquina que acelera conforme é empurrada pela radiação solar - assim como as nossas velas solares, como a LightSail 2. Com seu colega Thiem Hoang, Loeb publicou seu novo artigo no dia 17 de agosto de 2020, no The Astrophysical Journal Letters. Eles discordam da hipótese original de aceleração por hidrogênio, dizendo que não funcionaria no mundo real.

Ilustração da rota do Oumuamua

Fonte YU Jingchuan

Uma das características mais estranhas do Oumuamua é sua aceleração não gravitacional - ou seja, não motivada por um puxão de um objeto maior - e isso é realmente difícil de explicar. Por isso alguns pesquisadores preferem não renunciar às possibilidades de que seja uma nave criada por uma civilização inteligente. Além disso, embora se mova como um cometa, não apresentou o coma ou a cauda que um cometa tem ao se aproximar do Sol.

Some isso ao fato de ter sido o primeiro objeto a ser visto entrando em nosso Sistema Solar e voltando para algum outro ponto desconhecido da galáxia, e temos um enorme mistério. A sua jornada desconhecida e o fato de estar acelerando sugere que o Oumuamua, que deve ter cerca de 400m a 800m de comprimento, era um cometa, porém, sem apresentar as características clássicas de um objeto desse tipo.

Já está no ar a Edição 266 da Revista UFO. Aproveite!

Março de 2019

Fomos visitados