DESTAQUE

Mais um: China lança ambiciosa missão dupla Tianwen-1, em direção a Marte

Por
23 de Julho de 2020
Missão Tianwen-1
Créditos: Youtube

A missão Tianwen-1 foi lançada no topo de um foguete Long March-5, no Centro de Lançamento de Satélites Wenchang, na ilha de Hainan, na China, nesta manhã de 23 de julho, às 12h41 horário de Brasília, rumo a Marte, é o segundo lançamento da semana aproveitando a janela que vai até final de agosto.

Estamos vivendo uma época única em termos de exploração espacial, com as mais diversas nações enviando missões ao espaço, comerciasi inclusive, inaugurando os primeiros passos de um futuro que talvez nos leve a uma realidade próxima à mostrada na série Expanse [2015] .

A mais novamissão chinesa, Tianwen-1, consiste em um orbitador e um módulo de pouso ou lander, uma combinação de naves que nunca haviam sido lançadas juntas em direção ao Planeta Vermelho. A ambição de Tianwen-1 é especialmente impressionante, uma vez que é a primeira iniciativa da China em uma missão completa em Marte. 

A nação lançou um orbitador do Planeta Vermelho chamado Yinghuo-1 em novembro de 2011, mas a sonda voou com a missão Phobos-Grunt da Rússia, em um lançamento falhou, deixando as sondas presas na órbita da Terra.

"O Tianwen-1 vai orbitar, pousar e liberar um veículo espacial na primeira tentativa e coordenar as observações com um orbitador", escreveram os membros da equipe em um artigo recente da Nature Astronomy, descrevendo os principais objetivos da missão. 

"Nenhuma missão planetária foi implementada dessa maneira. Se for bem-sucedida, significaria um grande avanço técnico", garantiram os cientistas chineses.

 

Mapeando Marte


Marte. Crédito: NASA

Se tudo correr conforme o planejado, o Tianwen-1 chegará ao Planeta Vermelho em fevereiro de 2021. O par lander e rover pousará na superfície marciana dois a 3 meses depois, em um ponto dentro da Utopia Planitia, uma grande planície no Hemisfério Norte do planeta. que também recebeu o Viking 2 da NASA, em 1976.

O rover, movido a energia solar, passará cerca de 90 dias marcianos, ou sóis, estudando seus arredores em detalhes. Um sol é aproximadamente 40 minutos mais longo que um dia da Terra.

O o Tianwen-1 contará com seis instrumentos científicos diferentes, que o artigo da Nature Astronomy identificou como câmera multiespectral, câmera e terreno, radar de exploração subsuperficial, detector de composição da Superfície, detector de campo magnético e monitor meteorológico.

"Especificamente, os objetivos científicos de Tianwen-1 incluem: mapear a morfologia e a estrutura geológica, investigar as características da superfície do solo e a distribuição de água e gelo, analisar a composição do material da superfície, para medir a ionosfera e as características do clima e ambiente marciano na superfície e perceber os campos físicos (eletromagnético, gravitacional) e a estrutura interna de Marte", escreveram os membros da equipe da missão no artigo Nature Astronomy. 

Fonte: Space.com

Veja, abaixo, o video do lançamento:

Já está no ar a Edição 265 da Revista UFO. Aproveite!

Fevereiro de 2019

O enigma das sondas