DESTAQUE

Mais casos aconteceram nas proximidades da Floresta de Rendlesham

Por
12 de Junho de 2017
A vila de Hollesley, nas proximidades da Floresta de Rendlesham, sobre a qual um UFO pairou em 1983
Créditos: Arquivo

A Floresta de Rendlesham, com 1.500 hectares, se situa em Suffolk, condado do leste da Inglaterra, e foi palco da mais conhecida ocorrência britânica envolvendo UFOs, também chamada de Caso Bentwaters, em alusão à base da Real Força Aérea (RAF) que ali existe. Vizinha à Base Woodbridge, as duas instalações eram utilizadas pela Força Aérea norte-americana (USAF), quando da ocorrência dos avistamentos de UFOs em 26 e 28 de dezembro de 1980. Mas o que poucos sabem, mesmo dentro da Ufologia Mundial, é que o local foi palco de outros acontecimentos igualmente misteriosos.

Um deles aconteceu em 1983, no final de outubro, na vila de Hollesley. Essa localidade dista a poucos quilômetros de Rendlesham, e as testemunhas deste caso descrevem como observaram, à noite, um grande objeto triangular escuro pairando sobre a vila por cerca de 15 minutos. O UFO possuía luzes nos vértices que lançavam alternadamente flashes de luzes, e Ron Macro, uma das pessoas que viu o objeto, afirmou que as luzes se mantiveram fixas o tempo todo e eles ouviram um som agudo vindo do intruso. Outras testemunhas foram Pauline Osborne e Debbie Foreman, que dirigiam por Hollesley quando o UFO surgiu, e ao se aproximarem do ponto sobre o qual o objeto pairava o motor começou a falhar, as luzes do veículo a enfraquecer, e finalmente este deixou de funcionar. As pessoas de Hollesley cobraram uma explicação da RAF, porém não obtiveram resposta além da declaração do capitão McCollom, que afirmou: "Nada foi observado no radar, não posso dizer mais nada além disso".

Dez meses depois outro caso ainda mais estranho aconteceu, desta vez diretamente sobre a Floresta de Rendlesham. A ocorrência envolveu a tripulação de um pequeno avião Britten-Norman Trislander, que experimentou uma colisão com um objeto não identificado. A aeronave teve vários danos, felizmente não o suficiente para deixar a tripulação em perigo, que pôde aterrissar sem muita dificuldade. A própria Autoridade Civil de Aviação da Grã-Bretanha se envolveu no caso, e acabou liberando um relatório sobre o incidente de 24 de agosto de 1984. Está descrito como o avião enfrentou uma leve turbulência quando a tripulação sentiu um impacto. Foi constatado após o pouso que a hélice do motor da esquerda fora atingida, e um de seus pedaços chegou a penetrar na cabine e sair pela janela. Foram encontrados vários buracos na fuselagem e danos no motor e aileron. Três pedaços de metal que não faziam parte do avião foram encontrados, incluindo um pequeno cilindro magnético. O relatório termina com: "O UFO não foi identificado, e não há informação sobre sua natureza ou origem". É importante salientar que no relatório o termo UFO não foi utilizado como sinônimo de nave alienígena, mas chama atenção a colisão ter ocorrido justamente sobre a Floresta de Rendlesham.

crédito: Arquivo
Aeronave Trislander semelhante à que teve um impacto com um UFO em 1984 sobre a Floresta de Rendlesham
Aeronave Trislander semelhante à que teve um impacto com um UFO em 1984 sobre a Floresta de Rendlesham

A Revista UFO irá pesquisar agroglifos na Inglaterra e compará-los aos brasileiros

Gary Heseltine investiga o Caso da Floresta de Rendlesham

Polícia de Lancashire ocupada com UFOs

Governo britânico pode estar a ponto de liberar mais documentos secretos

UFOs apareceram em Bentwaters meses antes de caso principal

Novo pedido de abertura sobre o Caso Rendlesham

Nova testemunha confirma a presença de UFOs em Bentwaters, em 1980

UFO percorreu mais de 190 quilômetros em 8 segundos

Saiba mais:

Livro: Terra Vigiada

crédito: Revista UFO
Terra Vigiada
Terra Vigiada

Terra Vigiada não é um livro comum, mas um verdadeiro dossiê fartamente documentado que comprova que inteligências extraterrestres observam e monitoram nossos arsenais atômicos. O livro contém dezenas de depoimentos prestados por militares norte-americanos que testemunharam a manifestação de discos voadores sobre áreas de testes nucleares, nas décadas de 40 a 70, comprovando que outras espécies cósmicas mantêm nossas atividades bélicas sob severa e contínua vigilância. Hastings vai mais além e mostra em Terra Vigiada que não é incomum discos voadores interferirem nos experimentos de lançamento, muitas vezes inutilizando as ogivas nucleares a serem detonadas, ou sobrevoarem silos de mísseis armados.

DVD: UFOs e Mísseis Nucleares

Já está no ar a Edição 210 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2014

A mesma questão de sempre: nosso arsenal atômico

UPDATED CACHE