DESTAQUE

Liberada a maior coletânea de documentos desclassificados da CIA sobre UFOs

Por
13 de Janeiro de 2021
UFO fotografado pelo fazendeiro Paul Trent, voando sobre sua fazenda em McMinnville, Oregon, em 11 de maio de 1950 e adicionado aos arquivos da CIA.
Créditos: Bettmann Archive/Getty Images

O especialista em pedidos de acesso à informação ao governo dos Estados Unidos, John Greenwald Junior, proprietário do site The Black Vault, organizou e disponibilizou em seu site a maior coletânea de documentos liberados pela CIA até então.

Traduzido por Rony Vernet.

Por meio da Lei de Liberdade de Informação dos Estados Unidos (FOIA), milhares de documentos da CIA sobre UFOs, ou Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), como o governo os chama, estão agora acessíveis para download no The Black Vault, um site operado pelo autor e podcaster John Greenwald Junior.

A CIA afirma que já forneceu todas as informações sobre os UFOs que dispõem, embora não seja possível saber se isso é mesmo verdade. “A pesquisa do The Black Vault continuará para ver se há documentos adicionais ainda não liberados dentro dos acervos da CIA”, prometeu Greenwald em um comunicado em seu site. O lançamento ocorre meses antes de o Pentágono informar ao Congresso tudo o que sabe sobre os UFOs, um ato de autorização de inteligência aprovado em dezembro do ano passado juntamente com o projeto de lei de assistência à COVID-19.

As demandas por informações sobre UFOs se tornaram tantas que a CIA acabou compilando os documentos em um CD-ROM, obtido por Greenwald e carregado no The Black Vault, dividido em dezenas de arquivos em PDF para download. Greenwald disse ao site Vice-Motherboard que acredita que os documentos são difíceis de analisar por motivos arquitetados. “A CIA tornou incrivelmente difícil de se aproveitar seus registros de uma maneira razoável”, disse ele sobre o formato de arquivo “desatualizado”. “Na minha opinião, este formato desatualizado torna muito difícil para as pessoas verem os documentos e usá-los para qualquer propósito de pesquisa.”


Um CD-ROM da inteligência federal sobre tecnologia extraterrestre, obtido por John Greenwald Junior, do The Black Vault.
Fonte: Black Vault

Greenwald havia realizado várias solicitações através da FOIA durante as últimas duas décadas em busca de descobertas não confidenciais sobre UFOs coletadas pelo governo dos Estados Unidos desde o ano de 1996. Em uma entrevista em 2020, ele disse à Columbia Journalism Review que começou a fazer perguntas à CIA quando era adolescente. “Você pode pegar um documento que levou mais de uma década para chegar à sua caixa de correio e distribuí-lo ao público gratuitamente em um instante, e este é o motivo de eu estar fazendo isso”, disse ele na época. “Estou bastante viciado em todo esse lance da FOIA.”

Dentre as pistas mais intrigantes da coletânea está um documento fortemente redigido que mostra que um ex-vice-diretor assistente da CIA para Ciência e Tecnologia “teve interesse” em um objeto em particular, não identificado no documento. “Ele decidiu que iria investigar pessoalmente e, depois, deu conselhos sobre como seguir em frente. Esse conselho é confidencial”, publicou Greenwald em sua conta do Black Vault no Twitter.

A liberação ocorre em um momento da História em que os americanos estão particularmente interessados em inteligência alienígena, indicado por um recente aumento nos avistamentos de UFOs e na popularidade viral da mídia relacionada à vida extraterrestre. No ano passado, o Departamento de Defesa oficialmente desclassificou um vídeo chocante feito por pilotos da Marinha americana em 2004 e 2015, que ganhou manchetes internacionais quando foi divulgado pela primeira vez pela To The Stars Academy, um grupo de pesquisa de UFOs fundado pelo ex-roqueiro da banda Blink-182, Tom DeLonge, entre 2017 e 2018. Na época, o Departamento afirmou que a filmagem “não revela nenhum conteúdo ou sistema sensível” e “não interfere em quaisquer investigações subsequentes”.

Fonte

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 255 da Revista UFO. Aproveite!

Fevereiro de 2018

As máscaras começam a cair