DESTAQUE

Inteligência dos Estados Unidos revela pesquisa sobre restos de UFOs – conexão com Roswell inegável?

Por
07 de Julho de 2021
Metal com propriedades de memória teria origem no acidente com um UFO em Roswell, em 1947.
Créditos: GettyImages

A Agência de Inteligência de Defesa dos Estados Unidos revelou que o Nitinol, um metal amplamente utilizado na defesa e no espaço, foi extensivamente investigado pela iniciativa UFO do Pentágono.

O Nitinol tem a capacidade de endireitar os dentes e prevenir a formação de coágulos sanguíneos. As armações de óculos de Nitinol podem resistir a danos significativos (você pode torcê-las, sentar-se sobre elas e atormentá-las de todas as formas) e voltarão à sua forma original. Um engenheiro da NASA desenvolveu um par de pinças de Nitinol automatizadas que se destinam a ser benéficas para os médicos que precisam retirar pequenos itens por meio de pequenos ferimentos.

Mas o que dá ao Nitinol a capacidade de “lembrar” e retornar à sua forma original? Talvez mais significativamente: de onde se originou? Segundo uma crença amplamente difundida, o Nitinol foi descoberto entre a década de 50 e a de 60 por um pesquisador do Laboratório de Artilharia Naval em White Oak, Maryland. De acordo com uma revelação surpreendente feita pela Agência de Inteligência de Defesa, o Nitinol pode ter sido o resultado do primeiro esforço de engenharia reversa da humanidade de tecnologia não humana. A revelação vem em resposta à afirmação de Luis Elizondo sobre Tucker Carlson de que o governo dos Estados Unidos possui destroços de naves alienígenas.

Em resposta a um pedido de Lei de Liberdade de Informação (FOIA) submetido pelo pesquisador Anthony Bragalia, o Pentágono disponibilizou mais de 100 páginas de informações relativas aos destroços caídos de objetos voadores não identificados. O site The Pulse também foi capaz de verificar que o diretor do programa responsável pela pesquisa era ninguém menos que James T. Lacaski, antecessor de Luis Elizondo. Muitas páginas de “relatórios de tecnologia avançada” sobre Nitinol podem ser encontradas na divulgação de materiais de pesquisa do Pentágono. As páginas da resposta da FOIA ao Nitinol examinam seu potencial de incorporação ao corpo humano para melhorar a saúde. Também indica que o Nitinol é composto de titânio e níquel.

Isso imediatamente traz à mente os comentários do General Arthur Exon sobre a composição física dos destroços do acidente em Roswell. Ele alega que o material da nave de Roswell era composto de “(...) titânio e algum outro metal, mas o processamento era estranho”, bem como numerosos memorandos afirmando que os destroços sob sua custódia eram provavelmente fabricados “por processos de manufatura únicos”. É possível fazer um caso convincente de que o Nitinol reflete as primeiras tentativas de nossa espécie de reproduzir material extraterrestre. Muitos ex-oficiais de alta patente da Defesa dos Estados Unidos afirmam que, após o incidente, destroços da nave foram transportados para base de Wright-Field, em Ohio. Depois de alguns meses, a base fechou um contrato com o Battelle Memorial Institute para começar os diagramas de fase (receitas) para combinar o níquel com o titânio de pureza ultra alta, que é necessário para produzir metal com memória.


O documento revelado através da FOIA está disponível clicando aqui.
Fonte: Anthony Bragalia

Exon, que sobrevoou o local do acidente em 1947 e foi o comandante da base de Wright-Patterson na década de 60, falou com o pesquisador Kevin Randle. Em setembro de 1947, dois meses após o acidente de Roswell, o General George Shulgen, da Inteligência da Aeronáutica, descreveu os “materiais de construção” dos discos voadores como sendo potencialmente construídos por “(...) montagem composta ou ‘sanduíche’, empregando diferentes combinações de metal e polímeros.” Alguns dos destroços do UFO de Roswell foram declarados como tendo propriedades e aparência de metal-plástico. Os pesquisadores descobriram estudos patrocinados pela Agência de Inteligência de Defesa (DIA) que sugerem uma substância altamente manufaturada apelidada de “metamaterial” feito de “mídia composta.” Metal e polímeros podem ser colocados no topo de metamateriais.

A possível utilização de alguns dos elementos em “plataformas aeroespaciais avançadas” é mencionada ao longo dos papéis adquiridos pela FOIA. São mencionadas as qualidades exigidas, como ser muito leve e durável, igual às características dos destroços recuperados no acidente de Roswell. Conforme observado por Exon, as divisões técnicas e de inteligência do Comando de Materiais Aéreos (AMC), em Wright-Patterson, ficaram sem dúvida perplexas, mas também fascinadas, pelas características do chamado metal de memória após analisar os destroços de Roswell por vários meses depois de ter sido entregue a eles. Depois de determinar que o titânio era uma das partes componentes do metal com memória, a AMC contratou a Battelle para pesquisar e fazer experimentos com a substância incomum, na esperança de a reproduzir.

A recuperação da forma precisava de titânio e níquel puros, bem como de alta temperatura. Na década de 50 o AMC secretamente compartilhou seções do Segundo Relatório de Progresso de Battelle com diferentes outros laboratórios em todo o país, incluindo o Laboratório de Artilharia Naval, a fim de continuar a busca pela liga de titânio ideal para o metal com memória. O Laboratório de Artilharia Naval relatou o desenvolvimento da liga de recuperação de forma Nitinol em 1962. Era feito de níquel e titânio e, embora não fosse tão excelente quanto o original, ainda era o metal que mais se transformava, dentre todos os experimentos. É crucial lembrar que não há registros de experimentos com ligas de titânio feitos antes de 1947, antes do incidente.

Não se sabe quanto desse material foi disponibilizado ao Congresso na seção de classificados do relatório do diretor de Inteligência Nacional (DNI) sobre fenômenos aéreos inexplicáveis. Não é difícil supor que foi discutido, visto que o material foi divulgado de forma metódica ao público em geral. O New York Times relatou inicialmente em 2019 que os membros do Congresso foram informados sobre as operações de resgate e reengenharia de veículos de fora deste mundo. O ex-vice-secretário assistente de Defesa para Inteligência, Christopher Mellon, afirmou que fontes em que ele confia dentro do governo dos Estados Unidos pensam que Roswell foi uma ocorrência verdadeira envolvendo um acidente de veículo extraterrestre. Talvez o DIA, compartilhando essas informações, faça parte do processo de aclimatação do público em geral.

Para acessar o documento sobre o Nitinol, liberado através da FOIA, clique aqui.

Fonte

Já está no ar a Edição 285 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2021

Quando eles são hostis aos humanos