DESTAQUE

Inglaterra aceita publicamente que UFOs sobrevoam o planeta

Por
06 de Junho de 2010
As autoridades inglesas estão abrindo gradualmente os documentos secretos
Créditos:

Seguindo o exemplo da França, que no ano passado publicou na internet mais de 100 mil páginas de documentos secretos sobre discos voadores, agora a Inglaterra, admitiu que formas de vida inteligentes de origem extraterrestre estão visitando nosso planeta. O Ministério da Defesa inglês retirou a classificação de ultra-secreto de vários arquivos cunhados nas últimas décadas, que registram encontros entre UFOs e aeronaves civis e militares. Isso já era esperado pelos estudiosos, e acabou de ocorrer no dia 20 de outubro. Naturalmente, a atitude contraria interesses dos Estados Unidos, que há décadas mantêm ativa uma política de acobertamento do tema. Ufólogos brasileiros ligados à Revista UFO, única publicação especializada no assunto no país e a mais antiga do mundo, pedem ao Governo Brasileiro que faça o mesmo desde 2004. Em março daquele ano, a Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) lançou a campanha UFOs: Liberdade de Informação Já, pedindo formalmente ao Governo que abra sua caixa preta sobre o assunto. O movimento conseguiu 70 mil adesões ao seu abaixo assinado e, em 20 de maio de 2005, os ufólogos foram recebidos oficialmente, pela primeira vez, pelos militares da Aeronáutica, nas dependências do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) e Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra), em Brasília. "Foi um marco histórico para a Ufologia Brasileira, mas ainda queremos mais. Queremos a liberação completa dos documentos", declarou o editor da UFO, A. J. Gevaerd. É que, durante o encontro com os militares, os ufólogos brasileiros puderam apenas examinar cerca de 300 páginas e 200 fotos de UFOs feitas no país, em especial na Amazônia, durante a Operação Prato, de 1977. Não puderam fazer cópia nem destes e nem de outros milhares de documentos mantidos ocultos pelos militares. Na ocasião, foi prometido pelo comandante da Aeronáutica, brigadeiro Luis Carlos da Silva Bueno, que seria formada uma comissão mista para pesquisas ufológicas. Isso nunca ocorreu.Indignados com o pouco-caso dos militares da Força Aérea Brasileira (FAB) quanto ao assunto, em dezembro de 2007 os integrantes da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) voltaram a atacar e produziram um documento histórico, chamado de Dossiê UFO Brasil, que foi protocolado na Comissão de Averiguação e Análise de Assuntos Sigilosos (CAAIS), órgão ligado à Casa Civil da Presidência da República, dirigido pela ministra Dilma Rousseff. O documento se baseia na Lei 11.111/2005, que prevê a liberação deste tipo de material. Apesar de vencidos todos os prazos legais, a CAAIS ainda não tomou sua decisão derradeira. Em março deste ano, a Revista UFO entrevistou o brigadeiro José Carlos Pereira, que foi comandante do Comdabra e este à frente de várias outras funções de alto escalão no país. O militar declarou que há toneladas de documentos secretos sobre UFOs, cunhados desde 1954, e que todos estão justamente no órgão que comandou. São estes materiais que os ufólogos brasileiros querem examinar e exigem que sejam encaminhados ao Arquivo Nacional, conforme determina a Lei. "O registro de objetos voadores não identificados no país, de origem externa ao planeta, é constante e sério", disse Pereira, acrescentando que "todos os segredos sobre o tema já deveriam ter sido liberados". Os ufólogos aguardam.

Em um dos arquivos ultra-secretos liberados pelos militares ingleses está o caso deum caça Sabre da Força Aérea Norte-Americana (USAF), que recebeu ordem para atirar contra um objeto voador não identificado no espaço aéreo britânico. Mas o piloto, tenente Milton Torres, perdeu contato com o UFO, que se esvaiu do local a 16 mil km/h. De acordo com o piloto, o artefato tinha proporções de um porta-aviões. "O blip do radar estava reluzindo com incrível intensidade. Era similar a um blip que havia recebido de aeronaves B52 e parecia um imã de luz. Tinha as proporções de porta-aviões", disse Torres.

"Há casos semelhantes a estes ocorridos no Brasil que, tal como vinha acontecendo na Inglaterra, continuam secretos", garante Gevaerd. Ele também advertiu que no Chile os militares já reconhecem o Fenômeno UFO há uma década e meia, e que mesmo o Exército já declarou que os discos voadores são um perigo para a aviação. De acordo com o Ministério da Defesa da Inglaterra, o fato ocorreu em Norwich. O piloto havia decolado da base da Força Aérea Real, em Kent. Mas algo estranho havia ocorrido, pois recebeu ordens para derrubar o UFO antes que as naves houvessem se encontrado para interceptação, algo que nunca havia ocorrido. Tudo isso foi agora admitido oficialmente pelas autoridades inglesas. "Eu nunca esquecerei disso e espero uma explicação. Uma noite eu recebi ordens para abrir fogo mesmo antes de decolar. Isso nunca havia acontecido. Eu estava pronto para abrir fogo com 24 mísseis, e teria sido como um tiro de fragmentos de uma escopeta. Eu pedi por confirmação da ordem para atirar e a recebi", afirmou o piloto. Há ainda outro caso interessante nos arquivos secretos, o registro de um fato onde quase ocorreu uma colisão a 22 mil pés de altura, 17 anos atrás. No vôo AZ 284, da Alitalia, um UFO quase colidiu com a aeronave comercial enquanto se aproximou do Aeroporto de Heathrow, em Londres. Mas nada aconteceu, pois o objeto desapareceu completamente pouco antes do impacto.

Saiba mais:

Dossiê Cometa

Já está no ar a Edição 111 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2005

A Ufologia está em festa

UPDATED CACHE