DESTAQUE

Identificado melhor local para procurar por vida em Marte

Por
13 de Novembro de 2018
Oxia Planum, em Marte
Créditos: NASA/JPL/University of Arizona

Após anos de discussões, os cientistas da missão ExoMars escolheram o local de pouso onde esperam encontrar evidências de vida alienígena em Marte. O rover russo-europeu, que foi projetado para perfurar o solo, oferece a melhor esperança, até o momento, de descobrir sinais de vida no Planeta Vermelho quando for lançado em 2020. Talvez a parte mais importante da missão no momento – além de colocar o veículo lá sem eventualidades – diz respeito à decisão sobre exatamente onde, em Marte, ele deveria pousar para maximizar suas chances.

A equipe por trás do projeto escolheu um local chamado Oxia Planum, que os cientistas acreditam ter sido o local de maior concentração de água em Marte há bilhões de anos. Os especialistas já haviam hesitado entre aquele local e outro chamado Mawrth Vallis, que também dá sinais de um passado mais úmido em Marte. Agora, o grupo de aterrissagem escolheu o Oxia Planum como seu local preferido, uma decisão que será oficialmente confirmada no próximo ano.

Um dos membros do grupo, o professor John Bridges, da Universidade de Leicester, disse que, após quatro anos de estudo cuidadoso, eles selecionaram a área porque seus sedimentos finos seriam perfeitos para a broca do rover. "Com uma enorme área de captação, os sedimentos terão capturado materiais orgânicos de uma ampla variedade de ambientes durante um longo período de tempo, incluindo áreas onde a vida pode ter existido. A equipe tem trabalhado em propor, caracterizar e selecionar os locais, todos com aspectos fascinantes, mas Oxia Planum é o vencedor claro em restrições de ciência e engenharia", disse ele.

O ExoMars rover definido onde pousar em Marte. (Crédito: ESA)

"Com o ExoMars, estamos em busca de bioassinaturas", disse Jorge Vago, cientista do projeto ExoMars da Agência Espacial Européia (ESA). O objetivo da missão é perfurar dois metros abaixo da superfície, buscando sinais de vida de cerca de quatro bilhões de anos atrás, quando o planeta continha água. A vida como a conhecemos na Terra requer a existência de água líquida e Oxia Planum fica em uma fronteira onde muitos canais parecem ter se esvaziado nas planícies das terras baixas. Camadas de minerais ricos em argila no local fornecem mais suporte para a ideia de que já foi o lar de um enorme lago.

A aterragem em Marte revelou-se notoriamente difícil, por isso os cientistas tiveram que equilibrar a seleção do local mais promissor com chances de o veículo chegar com segurança. A baixa elevação em Oxia Planum deve fornecer mais tempo para o pára-quedas do veículo abaixar sua descida até a superfície do planeta. As recomendações vieram depois de uma reunião em Leicester, que viu os especialistas da Mars reunirem-se com figuras da indústria e com a equipe da ExoMars. 

Eles devem agora ser assinados pelos chefes da ESA e da agência espacial russa Roscosmos. A agência espacial britânica fez a segunda maior contribuição europeia para a ExoMars, bombeando 287 milhões de euros para a missão. “Estou trabalhando no ExoMars há mais de dez anos e estou impressionado com a engenhosidade e dedicação dos engenheiros e cientistas britânicos na construção do rover e dos instrumentos que funcionarão no ambiente extremo de Marte”, disse Sue Horne, chefe de espaço da agência. "Nosso objetivo final está à vista e está ficando muito emocionante", disse ele.

Fonte: Independent

Já está no ar a Edição 262 da Revista UFO. Aproveite!

Novembro de 2018

As abduções que ocorrem em família