DESTAQUE

I-Team e a corrida para desvendar o mistério dos metamateriais desconhecidos

Por
02 de Novembro de 2018
Luis Elizondo em análise dos metamateriais
Créditos: To the Stars Academy

Uma disputa global está em andamento para identificar e talvez replicar materiais misteriosos não identificados que foram coletados em vários locais ao redor do mundo. Algumas das amostras desafiaram a análise dos pesquisadores do I-Team da Academia de Artes e Ciências To the Stars (TTSA), que dizem não saber como o material foi criado, por quê ou por quem. Alguns dos metamateriais foram supostamente coletados durante incidentes com UFOs, o que confere uma aura de outro mundo ao esforço.

Durante anos, o Pentágono estudou secretamente as habilidades aparentemente impossíveis de aeronaves desconhecidas registradas em vídeos militares. Os cientistas agora querem saber se os materiais usados nessas aeronaves misteriosas permitem que eles façam o que elas fazem. Durante anos, um dos estudos secretos foi realizado pela Bigelow Aerospace Estudos Espaciais Avançados (BAASS), uma operação sediada em Las Vegas, em total sigilo.

Documentos divulgados pela primeira vez pelo I-Team mostram que a BAASS conseguiu um contrato com a Agência de Inteligência de Defesa (DIA), e um dos objetivos era estudar os chamados metamateriais, bem como tecnologias futuristas. "Era uma amostra de bismuto, magnésio e zinco de várias camadas. Camadas de bismuto mais finas que um cabelo humano. Amostras de magnésio com cerca de 10 vezes o tamanho de um cabelo humano, supostamente obtidas durante a recuperação de um veículo aeroespacial avançado. Parece que esteve em um acidente", disse o Dr. Hal Puthoff, do Instituto de Estudos Avançados, durante uma apresentação em Las Vegas.

(Amostra de liga de bismuto-magnézio-zinco que a TTSA afirma ter junto com mais 6  amostras de metamateriais. Crédito:TTSA)

Em junho, o físico Hal Puthoff chegou bem perto de dizer que o estranho fragmento de metamaterial veio de um disco acidentado, mas ele não tinha certeza. Puthoff e seu colega, o Dr. Eric Davis, estão na vanguarda do processo de identificação de uma variedade de fragmentos aparentemente superiores a qualquer coisa que possamos criar. A amostra foi projetada com camadas mais finas do que mícrons, através de um processo desconhecido na Terra e para um propósito que podemos apenas adivinhar. "Não conseguimos encontrar em parte alguma qualquer evidência de que alguém tenha feito algo assim. Quando conversamos com pessoas na área de materiais que deveriam saber, eles disseram não saber por que alguém iria querer fazer algo assim", disse Puthoff.

O astrofísico Dr. Jacques Vallée analisa materiais misteriosos desde os anos 80, frequentemente usando o conhecimento técnico da Universidade de Stanford e do Vale do Silício para desvendar amostras desconhecidas adquiridas em todo o mundo. Vallée claramente evita qualquer financiamento militar e compartilha suas descobertas em conferências públicas. "Temos várias amostras de diversas fontes, com diferentes níveis de integridade.", disse Luis Elizondo, da TTSA.

(Luis ELizondo por To the Star Academy. Crédito:TTSA)

Atualmente, o ex-oficial da inteligência Luis Elizondo ajuda a coletar e proteger fragmentos desconhecidos para a TTSA. Antes disso, ele dirigiu o Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais (AATIP), o estudo secreto de UFOs do Pentágono, o mesmo que divulgou os agora famosos vídeos de encontros entre os pilotos da Marinha e as máquinas misteriosas apelidadas de UFOs ''Tic-Tac'' e ''Gimbal''.

No último semestre, a TTSA lançou o ADAM, seu próprio esforço para encontrar e estudar fragmentos de materiais que podem ter ficado guardado por décadas depois de serem recuperadas de locais de encontros imediatos. Elizondo diz que há razões legítimas para os militares, e agora grupos privados, estarem em uma corrida para compreender esses materiais. "Os nossos esforços internos são para possivelmente - e eu digo possivelmente, não estou dizendo que faremos isso - para talvez replicar essa tecnologia ou para fazer engenharia reversa dessa tecnologia. Essas são áreas sensíveis que talvez não queira que todos estejam a par", disse Elizondo em uma entrevista para o I-Team, em junho de 2018.

Quando o New York Times divulgou sua matéria, no ano passado, sobre o estudo de UFOs do Pentágono, o jornal informou que uma amostra de material misterioso foi secretamente armazenada na Bigelow Aerospace. Os gerentes desse programa disseram ao I-Team que, embora estejam familiarizados com algumas das amostras de metamateriais, nenhuma delas foi armazenada em Las Vegas.

Veja o vídeo sobre a análise dos metamateriais:

Fonte: Lasvegasnow.com por George Knapp e Matt Adams. 

Colaboração: Canal João Marcelo  Tradução por Tunguska Legendas

.

Cientista de Los Alamos afirma que Bob Lazar era físico da Área 51

Já está no ar a Edição 261 da Revista UFO. Aproveite!

Setembro de 2018

Nikola Tesla e a Vida Extraterrestre