DESTAQUE

Força Aérea norte-americana mantém confiança na SpaceX após falha no satélite Zuma

Por
25 de Janeiro de 2018
Lançamento do satélite Zuma em 7 de janeiro último
Créditos: SpaceX

Prossegue a polêmica quanto ao misterioso satélite Zuma, lançado pela SpaceX no último 7 de janeiro. A empresa afirma que seus dados confirmam que o foguete Falcon 9 teve um desempenho exemplar, lançando sua carga útil ao espaço antes de seu primeiro estágio regressar e realizar um pouso bem sucedido no ponto de aterrissagem, no próprio Cabo Canaveral onde aconteceu o lançamento. Sabe-se muito pouco sobre o Zuma, somente que foi construído pela Northrop Grumman para o governo norte-americano, porém sequer a agência ou órgão deste último responsável pelo satélite foi identificada.

Sequer se tem certeza se Zuma é mesmo um satélite, um avião espacial ou outro tipo de veículo experimental. Algumas fontes mencionam que a Agência Central de Inteligência (CIA) poderia ter decidido investir em um equipamento próprio e não os satélites do Escritório de Reconhecimento National (NRO) com os quais costumeiramente realiza espionagem e reconhecimento a partir da órbita terrestre. Uma das fontes afirma que a carga útil do foguete poderia ter sido experimental e não operacional. Outro fator de grande polêmica foi uma coletiva de imprensa, realizada em 12 de janeiro, na qual repórteres questionavam a porta-voz do Departamento de Defesa, Dana White, e o tenente-general Kenneth McKenzie dos Fuzileiros Navais, diretor de operações para o staff conjunto.

O repórter Tony Capaccio, do Bloomberg News, questionou White por informações quanto ao lançamento ter ou não sido bem sucedido e contrariando a prática comum nas coletivas, a porta-voz pediu que ele perguntasse para a SpaceX. Capaccio insistiu, afirmando que a missão havia custado bilhões de dólares pagos pelos contribuintes e a devida contabilidade deveria ser prestada, mas novamente White, alegando ser as informações confidenciais, recusou-se a responder. McKenzie, por sua vez, afirmou que não seriam capazes de fornecer mais nenhuma informação, praticamente encerrando a coletiva. Surgiram depois informações de que a Northrop Grumman construiu também o adaptador, a peça que liga a carga útil ao segundo estágio do foguete. A SpaceX normalmente utiliza seu próprio adaptador, mesmo em lançamentos feitos para o governo, inclusive para aqueles classificados, como já havia feito anteriormente.

CONFIANÇA NO TRABALHO DA SPACEX

No vídeo do lançamento, que pode ser conferido abaixo, pode-se assistir a uma missão como muitas outras realizadas pela SpaceX. Somente as imagens a bordo do veículo deixam de ser exibidas quando ocorre a separação do primeiro estágio, não permitindo observar a separação da cobertura do satélite. Isso condiz com o grau de segredo desse lançamento, e em declarações mais recentes a Força Aérea norte-americana isentou a empresa de qualquer culpa. O comandante do Centro de sistemas de Mísseis e Espaço da Força Aérea, tenente-general John Thompson, afirmou: "Baseando-se nos dados disponíveis, nossa equipe não identificou nenhuma informação que altere o status certificado pela SpaceX". Thompson ainda afirmou que passarão a dar mais atenção nessa investigação aos dados da Northrop Grumman, que até o momento evitou dar declarações sobre a missão, sempre lembrando sua natureza secreta. Outro fator para aumentar o mistério é o fato de O Comando Estratégico, que rastreia objetos no espaço, ter adicionado um novo satélite a seu catálogo, designado USA 280, mas como habitual em missões secretas, não apresentar dados de sua órbita. Assim, a natureza e o destino do Zuma permanecem um mistério.

Vídeo da SpaceX com o lançamento do Zuma

Confira a polêmica coletiva de imprensa do Pentágono

Vídeo questionando a possível falha do Zuma

Adiado indefinidamente lançamento de foguete da SpaceX com carga confidencial

Elon Musk, da SpaceX, detalha seus planos para uma cidade de um milhão de pessoas em Marte

SpaceX lança avião espacial secreto da USAF em nova missão

Saiba mais:

Livro: Infiltrados: O Plano Alienígena para Controlar a Humanidade

crédito: Revista UFO
Infiltrados: O Plano Alienígena para Controlar a Humanidade
Infiltrados: O Plano Alienígena para Controlar a Humanidade

Há décadas os estudiosos do Fenômeno UFO vêm investigando atentamente os casos de abduções. Hoje conhecemos milhares de ocorrências em todo o mundo e sabemos que estes processos tiveram início séculos atrás, milhões de abduzidos na história da Terra. O autor de Infiltrados: o Plano Alienígena para Controlar a Humanidade, o professor da Universidade Temple David Jacobs, Ph.D., entrevistou e pesquisou mais de mil indivíduos que passaram por estas experiências nas mãos de seres provenientes de planetas mais avançados. Sua conclusão é de que há várias raças extraterrestres realizando estes sequestros com o propósito de criar uma espécie híbrida, meio humana, meio alienígena, para viver aqui.

DVD: A Revelação do Fenômeno UFO

Já está no ar a Edição 248 da Revista UFO. Aproveite!

Julho de 2017

E se eles revidarem?

UPDATED CACHE