DESTAQUE

Ex-agente da CIA admitiu colecionar supostos implantes alienígenas removidos de vítimas de abdução

Por
10 de Agosto de 2021
Alienígenas poderiam deixar implantes nos abduzidos, com propósitos ainda misteriosos.
Créditos: GettyImages

O caçador de UFOs e ex-agente da CIA Derrel Sims fez a afirmação no podcast paranormal Into The Light, em 2015, dizendo que estava pesquisando “evidências” deixadas por alienígenas em abduzidos. As informações ressurgiram após o professor Avi Loeb afirmar que os UFOs podem ser sondas de inteligência artificial de uma civilização alienígena visitando o planeta, fazendo com que Sims fosse procurado para falar sobre os tais implantes.

Sims disse: “Em algumas dessas cirurgias, removemos objetos que eram na verdade de origem terrestre. Mas em outros casos...” O pesquisador afirmou que coletou amostras de DNA, ressonâncias magnéticas e artefatos estranhos, relatando ao Daily Star. Ele alega que possui a maior coleção de evidências físicas de contato humano-alienígena, que inclui amostras de pele. Sims é considerado um terapeuta e trabalha com abduzidos para ajudá-los a lidar com o contato alienígena. UFOs e avistamentos alienígenas saíram das periferias para um sério debate nos Estados Unidos, enquanto oficiais de inteligência lutam para explicar os avistamentos.

“Sempre que faço minha pesquisa ufológica, muitas pessoas sempre me pedem para remover implantes”, disse Sims. “O que importa é o que você mostra, o que realmente se pode determinar com base nas evidências disponíveis. E já realizamos mais de 20 cirurgias em pessoas que afirmam terem tido contato extraterrestre e sentem que tiveram algum tipo de dispositivo implantado.”

Inspirado pela memória assustadora de sua própria “implantação” aos 12 anos, Sims começou a coletar artefatos alienígenas que supostamente foram inseridos no corpo de abduzidos. Alguns deles foram removidos cirurgicamente e depois devolvidos aos pacientes, enquanto outros foram expelidos naturalmente do corpo. O ex-agente da CIA considera os implantes um fenômeno relativamente raro, talvez afetando menos de 1% da população de abduzidos.


Sims exibe parte de sua coleção de implantes alienígenas.
Fonte: Derrel Sims

No entanto, em 1995, ele finalmente sentiu que as evidências eram convincentes o suficiente para documentar formalmente a presença de supostos objetos de dois de seus casos mais promissores. Mas Sims não é apenas mais um pesquisador no assunto extraterrestre. Em 1994, Sims foi convidado a falar em uma conferência da American Medical Association no John Muir Medical Center na área da baía de São Francisco.

Diante de uma plateia de médicos ilustres, ele fez várias previsões sobre o que encontraríamos a respeito de implantes alienígenas reais: Os objetos não conteriam tecnologia; o tecido ao redor do objeto não mostraria inflamação; haveria células nervosas presentes em partes do corpo onde não ocorrem naturalmente. Além de objetos de metal, começaríamos a ver um “implante biológico”, um grupo de células cerebrais em outra parte do corpo.

Naturalmente, muitos dos médicos que compareceram lhe disseram que essas situações seriam muito incomuns. Mas, para surpresa dos presentes, alguns cirurgiões confirmaram as declarações de Sims. A equipe de consultores científicos e médicos de Sims continua a estudar evidências de implantes alienígenas, tanto em objetos removidos cirurgicamente quanto em objetos anômalos ainda no corpo. Ainda há muito mais testes a serem feitos, e Sims incita um ceticismo saudável à medida que segue em frente.

Fonte

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 285 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2021

Quando eles são hostis aos humanos