DESTAQUE

Estudos oficiais sobre UFOs: oito vezes em que o governo norte-americano procurou discos voadores

Por
08 de Agosto de 2020
Discos Voadores
Créditos: Pixabay

A verdade está realmente lá fora? É uma pergunta antiga, que acompanha os relatos de UFOs há décadas. Vamos analisar as investigações oficiais dos Estados Unidos sobre UFOs e alienígenas e tentar descobrir o que eles sabem. Confiram! 

Muitos casos de UFOs têm como pilar relatos sobre um disco voador caindo perto da cidade de Roswell, no estado do Novo México, em 1947. O caso gerou muitas teorias da conspiração.

Já a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) sempre negou qualquer conexão com essas alegações.

Mas nos anos 90, os militares disseram que o objeto que caiu em Roswell era, na verdade, um balão que procurava sinais de testes nucleares da antiga União Soviética, um projeto secreto conhecido pelo nome de Mogul.

 

Projetos Sign e Grudge: 1948-1951

No entanto, o incidente levou a investigações oficiais sobre objetos voadores não identificados nos anos seguintes.

Um relatório publicado no Projeto Sign, da Força Aérea declarou que as coisas que as pessoas viam eram "reais", mas que pelo menos "alguns dos incidentes podem ser causados por fenômenos naturais".

Outros podiam estar relacionados a aeronaves domésticas ou estrangeiras. O projeto Grudge prosseguiu com a investigação, mas alegou não ter encontrado evidências conclusivas de UFOs. 

 


Chegada a Roswell, no Novo México. Crédito: Tne New York Times

Projeto Blue Book [Livro Azul]: 1952-1969

O projeto Livro Azul conduziu uma série de estudos para descobrir se os UFOs representavam uma ameaça à segurança nacional. Os casos foram classificados como "identificados" e "não identificados". Esses últimos representavam mais de 700 ocorrências.

 

Projeto Ozma: 1960

O Projeto Ozma se destaca porque foi a primeira vez que os seres humanos tentaram procurar sinais de rádio de fora do Sistema Solar. O financiamento veio da National Science Foundation.

Para este projeto, o radioastrônomo Frank Drake decidiu vasculhar as estrelas Tau Ceti, na constelação Cetus (a Baleia) e Epsilon Eridani, na constelação Eridanus (o Rio).

Essas estrelas foram monitoradas durante seis horas por dia, de abril a julho de 1960. Nenhum sinal foi encontrado, exceto "um alarme falso precoce causado por um experimento militar secreto", segundo a declaração do SETI.

 

O Comitê Condon: 1966-1968


Edward Condon e militares. Crédito: Think Anomalous

Esse grupo da Universidade do Colorado, estudava os UFOs sob a liderança do físico Edward Condon. eles reexaminaram a casuística do projeto Livro Azul e publicaram suas conclusões no Relatório Condon, em 1968.

Um terço dos casos não pôde ser explicado. Alguns pesquisadores afirmam que o objetivo final do relatório era interromper as investigações sobre UFOs.

Sendo isso verdade ou não, fato é que o Livro Azul encerrou suas operações em 1969, um ano após o lançamento do Relatório Condon. 

 

Projeto SETI: 1970s-1993


Antenas do Projeto SETI. Crédito: TecMundo

O SETI realizou buscas por sinais de inteligência extraterrestre por meio das antenas de Arecibo e de Goldstone a partir da década de 70. O programa foi cancelado em 1993, logo após o início oficial das observações.

O Instituto SETI, em Mountain View, no estado da Califórnia, foi fundado em 1984 e utiliza financiamento privado.

Em 2007, o Allen Telescope Array, dedicado às observações do instituto, foi aberto com a ajuda de financiamento do co-fundador da Microsoft Paul Allen, e continua com suas observações até hoje.

 

Instituto de Astrobiologia da NASA: 1998-presente

A Astrobiologia examina sob quais circunstâncias a vida – da microbiana à inteligente – pode surgir. O Instituto de Astrobiologia da NASA (NAI) é apenas um dos seis ramos do programa de astrobiologia da agência espacial e procura incentivar os pesquisadores de diversas disciplinas a colaborar entre si para responder a uma série de perguntas: a vida é possível em luas geladas? Quais tipos de micróbios poderiam sobreviver às condições extremas de Marte? Qual é a zona habitável de uma estrela?

 

Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais: 2007-2012


Luis Elizondo, ex-diretor da AATIP. Crédito: Hstory Channel

Em dezembro de 2017, a pesquisa do governo dos EUA sobre UFOs recebeu atenção global quando surgiram relatórios de um programa secreto do Departamento de Defesa (chamado de Programa Avançado de Identificação de Ameaças à Aviação, ou AATIP) que funcionou “oficialmente” entre 2007 a 2012.

O programa acompanhou relatórios de UFOs, incluindo descrições de algumas atividades aéreas anômalas que pilotos da Marinha disseram ter visto e registrado. A AATIP é apenas o exemplo mais recente de décadas de trabalho do governo dos EUA que estuda o inexplicável.

 

Outras investigações americanas e internacionais

A CIA divulgou em 2016 uma série de documentos referentes a estranhos encontros com UFOs e neles há uma página inteira dedicada às investigações da agência entre 1949 e 1990.

 Se isso não for suficiente para satisfazer seu apetite por UFOs, você pode ver documentos desclassificados da Agência de Segurança Nacional e do FBI. Outras agências governamentais também possuem arquivos, como a Agência de Inteligência de Defesa.

Fonte: Space.com

Marco Aurélio de Seixas é médico cardiologista em São Paulo e conselheiro especial da Revista UFO

Já está no ar a Edição 276 da Revista UFO. Aproveite!

Janeiro de 2020

A Ufologia e seus demônios