DESTAQUE

Estudo pretende identificar exoplanetas que abrigam vida alienígena

Por
14 de Novembro de 2019
Ilustração de um eoplaneta em torno do seu sol e sua lua
Créditos: NASA/Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics

Um estudo realizado por cientistas de várias instituições norte-americanas propôs uma nova maneira de procurar vida extraterrestre. Essa nova ferramenta que pode ajudar a restringir a busca por vida alienígena depende da radiação emitida pelas estrelas. Durante a pesquisa, os cientistas descobriram que é provável que os planetas em torno de estrelas inativas tenham as condições necessárias para suportar vida, o que inclui a presença de água líquida.

De acordo com o estudo, os planetas que orbitam estrelas que emitem radiação têm menos probabilidade de sustentar a vida, pois perdem quantidades significativamente altas de água devido à vaporização. Os cientistas que participaram da pesquisa chegaram a essa conclusão depois de analisar as estrelas anãs M, que aparentemente constituem 70% do universo. "Estamos sozinhos? É uma das maiores perguntas não respondidas. Se pudermos prever quais planetas têm mais probabilidade de hospedar a vida, então podemos ficar muito mais perto de respondê-la durante nossa vida", disse Howard Chen, o primeiro autor do estudo, publicado nos relatórios Phys.org .

Daniel Horton, autor sênior do estudo, revelou que esse novo desenvolvimento poderia restringir os exoplanetas candidatos a hospedar vida alienígena. Deve-se notar que um planeta hospedará vida apenas se estiver na zona habitável do seu sistema estelar. Se o planeta estiver próximo de sua estrela, a presença de água será nula devido à vaporização, e a água congelará se o planeta estiver bem longe da estrela. A área entre esses dois extremos é chamada de zona habitável. A equipe liderada por Horton e Chen analisou essa área e depois a comparou com a radiação emitida pelas estrelas para determinar a quantidade de perda de água.

Os cientistas que participaram desse estudo acreditam que instrumentos avançados como o telescópio James Webb e o telescópio Hubble são capazes de identificar o vapor de água, e esse novo desenvolvimento pode ajudar os cientistas a restringirem a pesquisa. Espera-se que o relatório do estudo esteja disponível on-line no Astrophysical Journal [Jornal de Astrofísica] ainda essa semana. Algumas semanas atrás, outro estudo  apontou que a mera presença de água não pode ser considerada um sinal de vida alienígena em planetas distantes. Seu relatório revelou que os alienígenas podem prosperar em um ambiente hostil aos seres vivos na Terra e vice-versa.

Fonte: IBTimes

UFO Summit Brazil 2019
A. J. Gevaerd | Nick Pope | Stephen Bassett

16 de novembro | Recife | 600 lugares
19 de novembro | Porto Alegre | 500 lugares
21 de novembro | São Paulo | 600 lugares
23 de novembro | Curitiba | 600 lugares

Inscrições aqui: www.ufosummit.com.br


CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA ASSISTIR AO TRAILER DO EVENTO:

Já está no ar a Edição 273 da Revista UFO. Aproveite!

Outubro de 2019

Portais Dimensionais