DESTAQUE

Especialistas detectam nuvens em mundo alienígena distante com precisão

Por
29 de Setembro de 2021
Pela primeira vez, nuvens são detectadas em um exoplaneta com precisão.
Créditos: GettyImages

Astrônomos determinaram com precisão a posição da camada de nuvem opaca na atmosfera do exoplaneta WASP-127b, que pertence à classe dos Saturnos quentes. Os cientistas conseguiram identificar a estrutura superior de sua atmosfera, o que abre caminho para a exploração de muitos outros mundos distantes.

Para ver as nuvens do planeta, os cientistas observaram enquanto ele se deslocava além de sua estrela. Com isso, foi possível saber como a luz de seu sol atravessa a atmosfera, pois ela é alterada por seus componentes químicos. Nos últimos anos, avanços significativos foram observados no estudo de atmosferas de exoplanetas, tanto em termos de determinação de sua composição química aproximada quanto de suas propriedades, em particular, a distribuição de temperatura, a presença de ventos, nuvens ou neblina.

Ao mesmo tempo, os objetivos de observação abrangem uma variedade de objetos - de exoplanetas semelhantes à Terra a gigantes gasosos quentes, e os resultados de tais estudos permitem aos cientistas verificar os modelos de formação e evolução dos exoplanetas, bem como avaliar seu potencial de habitabilidade usando biomarcadores. Um grupo de astrônomos liderados por Romain Allart, da Universidade de Montreal, publicou os resultados de uma análise das observações do exoplaneta WASP-127b na faixa de comprimento de onda óptico.

Ao combinar dados do Telescópio Espacial Hubble e do espectrógrafo ESPRESSO, do Observatório Europeu do Sul no Chile, os pesquisadores puderam estudar diferentes partes da atmosfera do WASP-127b. Como resultado, os cientistas viram algo que não esperavam: eles revelaram a presença de substâncias como o sódio em altitudes mais baixas do que o previsto. As observações foram realizadas quando o planeta passava ao longo do disco de sua estrela, enquanto a radiação do luminário passava pela atmosfera do exoplaneta, carregando em si informações sobre suas propriedades.


Impressão artística do WASP-127b próximo à Terra e Júpiter.
Fonte: Latest in space

O WASP-127b é um tipo de Saturno quente e está em uma órbita retrógrada deslocada em torno de uma estrela antiga e brilhante (cerca de 10 bilhões de anos) do tipo espectral G5, localizada a 525 anos-luz do Sol. Um ano no planeta dura 4.18 dias terrestres. Devido à sua proximidade com a estrela, suas camadas externas incharam muito - o raio do WASP-127b é estimado em 1.31 do raio de Júpiter, enquanto sua massa é de apenas 0.18 quando comparada com nosso gigante gasoso.

Os cientistas compararam os dados obtidos sobre o conteúdo de vapor d'água e sódio atômico com os modelos da estrutura da atmosfera do WASP-127b. Eles concluíram que o modelo é mais adequado quando há camadas de nuvens opacas na faixa óptica, mas transparentes no infravermelho, em altitudes correspondentes à pressão entre 0.3 e 0.5mbar. Os cientistas acreditam que a técnica que usaram durante seu trabalho ajudará a identificar nuvens em outros exoplanetas. A composição das nuvens ainda não é conhecida, embora os cientistas já entendam que não são gotículas de água, como na Terra. Mas parece não haver interrupção nas nuvens do planeta.

Fonte

Já está no ar a Edição 285 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2021

Quando eles são hostis aos humanos