DESTAQUE

É lançada uma instituição mundial para pedir a abertura total e imediata sobre os UFOs

Por
26 de Maio de 2021
O ICER foi criado com a intenção de ser uma coalizão mundial para a ufologia, agregando a força dos pesquisadores mais proeminentes do mundo.
Créditos: ICER

O Fenômeno UFO é mundial e tem sido investigado há mais de 70 anos, podendo ter implicações profundas para a humanidade e a sociedade. Ele age com inteligência e é provável que seja de origem extraterrestre/não humana. Portanto, a questão é: como lidamos com esse fenômeno? Por isso, foi criado a Coalizão Internacional para Pesquisa Extraterrestre (ICER).

O ICER está sendo formado há três anos desde que as primeiras reuniões iniciais ocorreram na China com Roberto Pinotti, o presidente, e Donald Schmitt. Essas discussões se realizaram a pedido de um grupo de chineses liderados por Jin Fin, que sugeriu uma coalizão de ufólogos internacionalmente reconhecidos se reunindo para formar uma organização em assuntos extraterrestres e na busca pela divulgação mundial. Essa ideia ficou conhecida como Iniciativa Chinesa de Divulgação. Com dinheiro a ser fornecido pelo grupo chinês, Pinotti e Schmitt começaram a se aproximar de pesquisadores de destaque de todo o mundo com o objetivo de convidá-los a participar de uma conferência em Moscou, Rússia, em outubro de 2018. Era uma conferência conjunta organizada pelos chineses, com a Rússia coorganizando.

A conferência, chamada de “Fórum dos Cinco Continentes” ocorreu durante três dias em meados de outubro de 2018 e os pesquisadores originais que participaram foram Pinotti, Schmitt, A.J. Gevaerd (Brasil), Gabor Tarcali (Hungria), Haktan Akdogan (Turquia), Anthony Choy (Peru), Lachezar Filipov (Bulgária) e Andrea Simondini (Argentina). Moon Fong (Hong Kong) também esteve presente em Moscou, mas não participou das conversas iniciais. No final dos três dias de conversações, uma série de acordos foi feita, principalmente que a organização operaria na base de um país, um voto e que todos os delegados deveriam assinar um juramento de fidelidade à organização. O juramento declararia que cada delegado acreditava que o Fenômeno UFO era real e que estávamos lidando com uma inteligência extraterrestre/não humana. Com isso, seria criada uma genuína coalizão internacional de pesquisadores com ideias semelhantes, com a promessa de uma conferência na China em outubro de 2019, um ano depois.

Nos meses que se seguiram à conferência de Moscou, os nove participantes originais começaram o processo de identificação de delegados nacionais em potencial e, em questão de meses, mais de 20 pesquisadores concordaram em se juntar à coalizão. Todos aqueles que desejaram se tornar delegados nacionais assinaram o juramento de fidelidade. Também foi acordado pelos delegados presentes que A.J. Gevaerd seria o Diretor Continental para a América do Sul e se tornaria membro do Conselho Executivo. Schmitt seria o Diretor Continental para a América do Norte e um membro do Conselho Executivo e Gary Heseltine se tornaria o Diretor Continental para a Europa e estaria no Conselho Executivo.

Em fevereiro de 2019, e sem notícias sobre a conferência acordada na China, alguns membros começaram a suspeitar que havia problemas internos do lado chinês que os impediam de perseguir seus objetivos originais. Em seguida, houve notícias de que havia alguns atrasos imprevistos e que a conferência seria realizada no final do ano. Infelizmente, e com o passar do ano, ficou cada vez mais claro para o Conselho Executivo que, por qualquer motivo, a Iniciativa Chinesa original provavelmente não teria sucesso. Tinha sido originalmente estabelecido para os chineses um prazo de um ano a partir da data da conferência original de Moscou (outubro de 2018 a outubro de 2019) para cumprir suas promessas, mas quando essa data passou sem que nada de positivo fosse ouvido, foi decidido explorar outras opções e perseguir os objetivos originais por um caminho diferente. O Conselho Executivo decidiu que, na ausência do grupo chinês, seria lógico continuar o trabalho que tinha sido iniciado, pois não seria prudente perder a boa vontade dos delegados que concordaram em se juntar ao grupo, assim como a oportunidade sem precedentes que a coalizão oferecia.


Muitos ufólogos de renome fazem parte do ICER, como o editor da Revista UFO, A.J. Gevaerd. Clique na imagem para assistir ao vídeo de lançamento da coalizão.
Fonte: YouTube/ICER NETWORK

No início de 2020, Heseltine organizou a primeira reunião de delegados online e foi proposto e aceito pelos presentes que Roberto Pinotti deveria se tornar o presidente e que Heseltine deveria ser o vice-presidente. Em um curto espaço de tempo, dois grupos de trabalho foram rapidamente estabelecidos: um para criar a Declaração de Missão, valores e ética da organização etc., e outro para criar plataformas de mídia viáveis, incluindo um site desenvolvido para esse fim. Durante 2020, um pequeno número de representantes renunciou aos seus cargos ou foram incapazes de assumir o compromisso necessário com o ICER por uma variedade de razões, então o grupo está atualmente no processo de identificação e abordagem de uma série de substitutos que podem dedicar tempo suficiente para o ICER.

O processo de reuniões online continuou regularmente ao longo de 2020, um ano marcado pela pandemia mundial de Covid-19. Apesar da pandemia, essas reuniões alcançaram uma série de coisas importantes, incluindo:

  1. Os delegados votaram no nome da organização - mudando do nome provisório de trabalho - Coalizão Mundial sobre Contato Extraterrestre (WCEC) para o título atual - Coalizão Internacional para Pesquisa Extraterrestre (ICER).
  2. Os delegados votaram no design do logotipo ICER a partir de três projetos aprovados.
  3. A redação de uma série de documentos relacionados à Declaração de Missão do ICER (Declaração de visão aprovada pelo ICER: Pela Humanidade do Planeta Terra, Vivendo em Harmonia Consciente com Inteligências Cósmicas); os documentos de trabalho foram acordados e aprovados.
  4. Os delegados votaram para mudar seu título de “delegados” para “representantes.”
  5. O site e o domínio do ICER foram criados e estão atualmente em construção, os quais serão em inglês e espanhol.
  6. De 2021 em diante, ocorrerão reuniões sul-americanas regulares, além das reuniões gerais do ICER.

Conforme o ICER avançou para 2021, a frequência das reuniões aumentou. O trabalho dos dois grupos, de Comunicações e Familiarização, culminou em uma série de documentos que formariam um “Pacote de Lançamento” para cada um dos 27 países. Os documentos incluem um resumo cronológico de 60 casos de relatos de UFOs em todo o mundo, datando de 1942! Também inclui um documento original denominado “The ICER Papers”, escrito por quatro dos representantes. No início de abril, a data de lançamento foi definida para 25 de maio de 2021, ontem, ocorrendo com enorme expectativa de uma grande caminhada rumo à verdade.

A coalizão acredita que é hora de começar a se preparar para o contato. É por isso que o ICER está tentando construir as bases para uma nova realidade, acumulando o máximo de informações possível sobre todas as coisas relacionadas ao fenômeno UFO. O ICER está criando programas de conscientização para ajudar as pessoas a se prepararem para esta nova realidade, visando promover relações pacíficas com essas inteligências. Esta é uma jornada de descoberta para a humanidade. Como queremos moldar nosso futuro? Vamos pensar sobre isso.

Fonte

Já está no ar a Edição 284 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2021

Biden revelará os segredos dos UFOs?