DESTAQUE

Doutor Bruce Maccabee prevê que a Força-Tarefa UAP confirmará a inteligência não-humana

Por
26 de Maio de 2021
Será que o relatório da Força-Tarefa UAP irá admitir a possibilidade de alguns avistamentos serem controlados por inteligências não-humanas?
Créditos: GettyImages

As origens do que o físico aposentado da Marinha, o doutor Bruce Maccabee, chama de Inteligências Não-Humanas (NHI) são desconhecidas, mas elas podem vir de outros planetas usando tecnologia de transporte baseada em princípios físicos muito avançados. Para ele, o relatório confirmará o que há muito se suspeita: alguns UFOs não são de origem terrestre.

O presidente Joe Biden, dos Estados Unidos, e líderes de outros países podem achar necessário desenvolver uma política única, uniforme e mundial para coexistir e interagir com a NHI. A política deve ser mundial porque permitir que vários países desenvolvam suas próprias políticas pode resultar em alguma forma de desastre. Se a Força-Tarefa UAP da Marinha (UAPTF) descobrir que alguns UFOs são evidências de NHI, a Força-Tarefa irá, presumivelmente, escrever um relatório não-classificado (com apêndice classificado, se necessário) pronto para publicação. No entanto, pode ser que os formuladores de políticas no governo, quando confrontados com o relatório da UAPTF, decidam reter todo ou parte do relatório não-classificado por causa de um impacto negativo percebido sobre os cidadãos dos Estados Unidos e de outros países.

A política do “Sim ou Não” para divulgar o relatório seria baseada, em parte, se a Força-Tarefa determinar que eles nos “amam” (por exemplo, se eles nos criaram ou se somos “animais de estimação”), “nos odeiam” (por exemplo, se eles nos veem como um perigo potencial para eles ou suas atividades) ou são indiferentes para nós (por exemplo, eles fazem o que querem fazer e nos ignoram, desde que não fiquemos em seu caminho). A política de liberação também pode ser baseada parcialmente na determinação de que “eles” estão tão curiosos sobre nós quanto nós sobre eles. Um exemplo dessa possibilidade é a série de avistamentos de radar e visuais feitos durante a madrugada de 31 de dezembro de 1978, a cerca de 30Km da costa leste da Ilha do Sul da Nova Zelândia.

O radar do Controle de Tráfego Aéreo Wellington, localizado na extremidade sul da Ilha do Norte, detectou “alvos” de radar desconhecidos que aparentemente viajaram junto com um avião cargueiro que voava para o sul, em direção a Christchurch, uma cidade no lado leste da Ilha do Sul, cerca de 250Km ao sul-sudoeste de Wellington. Um desses alvos se aproximou do avião de maneira gradual, com intenção, chegando tão perto da aeronave que o radar não conseguiu separar o alvo desconhecido do alvo do avião. Como o operador de radar disse ao avião: “Há um alvo forte em formação com você agora. Pode ser à esquerda ou à direita. Seu alvo dobrou de tamanho.” Este evento de radar é referido como o evento “Alvo de tamanho duplo”. Após cerca de 30 segundos, o alvo desconhecido se afastou e o alvo do avião foi reduzido ao tamanho normal.


O doutor Bruce Maccabee acredita que ao longo da história da ufologia, há casos irrefutáveis de sinais de inteligência não-humana.
Fonte: nzherald.co.nz

A ação do UFO, chegando temporariamente muito perto do avião, parece ter sido deliberada. Afinal, havia muitos lugares para o objeto estar além de perto do avião. Então, isso levanta a questão: por que ele ficou tão perto da aeronave? A curiosidade pode ser uma resposta e a intenção de assustar as pessoas no avião pode ser outra. Qualquer uma delas seria consistente com uma NHI como sendo a causa do evento. Mais recentemente, houve avistamentos de pilotos de caça e marinheiros da Marinha dos Estados Unidos que detectaram e rastrearam UFOs usando radares modernos e dispositivos ópticos. A Marinha confirmou que os UFOs são objetos ou fenômenos desconhecidos. Os novos dados de radar e observacionais confirmam o que foi relatado desde os primeiros avistamentos de UFOs no final da primavera de 1947, ou seja, que esses objetos podem sofrer aceleração extrema e atingir velocidades muito altas. Eles também podem pairar acima do solo, apesar da falta de meios observáveis de suporte, como lâminas rotativas como em um helicóptero.

A questão mais intrigante é: poderiam esses objetos ou fenômenos, pelo menos alguns deles, ser evidências de que a Terra está sendo visitada por NHIs que viajam por meio de vários veículos de transporte alienígena (ATV) tecnologicamente avançados? A Marinha pode ser elogiada por “pegar o touro pelos chifres” e estabelecer um programa para lidar com a questão acima “de frente.” No entanto, as investigações e análises de muitos relatórios não-classificados por civis (e militares) nos últimos 70 anos já levaram muitos investigadores a concluir que pelo menos alguns dos relatos de UFOs são evidências de NHI. A Força-Tarefa provavelmente confirmará essa conclusão com base em seus estudos de avistamentos classificados (e não-classificados).

Muitos casos, tanto no ar quanto no solo, revelam um comportamento com intenção, proposital, por parte de tais objetos, como descrito no caso do “Alvo de tamanho duplo”. Os movimentos, se houver, de alvos de radar gerados por turbulência não dão a aparência de intenção. No entanto, o alvo que se moveu junto com o avião deu evidências de intenção, como o propósito de “aproximar-se para ver melhor o avião.” A intenção é uma característica da inteligência. Os movimentos deste alvo também indicam curiosidade, que é outra característica da inteligência. Esses estranhos alvos de radar não eram controlados por humanos. Podemos, portanto, concluir que esses alvos, e, por extensão, os alvos detectados pela Marinha, eram controlados por Inteligências Não-Humanas ou... alienígenas. Quantos outros casos serão apresentados no relatório sem a possibilidade de outra explicação que não seja a de que havia alguma forma de inteligência controlando tais objetos?

Fonte

Já está no ar a Edição 284 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2021

Biden revelará os segredos dos UFOs?