DESTAQUE

Detalhe climático de Marte revela que o planeta vermelho já foi coberto por rios e lagos

Por
28 de Abril de 2021
No início, Marte era coberto por lagos e rios e tinha um clima que era capaz de sustentar vida.
Créditos: Goddard Space Flight Center/NASA

Marte é um mundo seco e frio. No entanto, bilhões de anos atrás, havia rios e lagos, embora o planeta receba três vezes menos luz solar do que a Terra. Então, como o clima de Marte era quente o suficiente para manter a água líquida?

Os autores de um novo estudo - cientistas da Universidade de Chicago e do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) do Instituto de Tecnologia da California - acreditam que nos tempos antigos Marte manteve um clima quente e árido graças a nuvens geladas especiais que criaram um efeito estufa. A ideia do efeito das nuvens surgiu pela primeira vez em 2013, mas depois foi abandonada. Segundo o chefe do estudo, o cientista planetário Edwin Kyte, a hipótese foi baseada nas propriedades da atmosfera inerentes à Terra, mas regras diferentes se aplicam a Marte.

A atmosfera de Marte difere em uma pressão mais baixa (1/170 da pressão atmosférica da Terra ou igual a indicadores a uma altitude de cerca de 35Km), mais de 95% da composição é dióxido de carbono e o oxigênio é de apenas 0.145%. Apesar da escassez da atmosfera marciana e das condições climáticas inadequadas para os humanos, o clima do planeta é o mais próximo ao da Terra em comparação com outros do sistema solar.

Se agora a temperatura média em Marte é de -63 graus Celcius, então, de acordo com os cientistas, nos primeiros estágios da evolução, a atmosfera poderia ser mais densa e o clima quente e úmido. Os cientistas retomaram o trabalho usando um modelo 3D global de Marte. Eles descobriram que estudos anteriores haviam ignorado a presença de mantos de gelo. Se ocupasse a maior parte da superfície, isso contribuiria para a formação de umidade favorável para nuvens baixas.


A calota polar norte de Marte. O estudo anterior não levava em conta as porções de gelo do planeta vermelho.
Fonte: NASA/JPL/Malin Space Science Systems

Eles não aumentam a temperatura do planeta, e podem até contribuir para o seu resfriamento, pois refletem a luz do Sol. No entanto, na presença de coberturas de gelo apenas em certas partes do planeta, como os polos, a umidade do ar diminui significativamente. Em tais condições, uma alta camada de nuvens é formada. Em Marte, o ciclo da água, de acordo com o modelo, ocorreu de forma diferente. Entrando na atmosfera, a água permaneceu lá por um longo tempo - cerca de um ano. Estas são as condições ideais para nuvens de grande altitude.

De acordo com os pesquisadores, o mais recente rover da NASA em Marte deve ser capaz de responder a mais perguntas. Presumivelmente, será usado para testar esta teoria reconstruindo a pressão atmosférica no planeta vermelho como era há bilhões de anos. Este estudo pode resolver um dos maiores enigmas do antigo clima de Marte, mas ainda não sabemos como ele perdeu toda a sua água. Entender tudo isso pode ajudar os astrônomos a localizar outros mundos potencialmente habitáveis no futuro.

Além disso, ajudará os cientistas a entender como a estabilidade climática de Marte quebrou, o que lhes dará ideias sobre como o clima da Terra pode mudar no futuro. Por enquanto, nosso planeta existe em relativa estabilidade, mas tudo isso pode mudar em um futuro distante.

Fonte

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 277 da Revista UFO. Aproveite!

Fevereiro de 2020

UFOs no espaço até a Lua