DESTAQUE

Descobrindo o universo: estrelas estranhas nos mostram o quanto desconhecemos sobre o cosmos

Por
11 de Março de 2020
Via Láctea
Créditos: NASA

Sempre que pensamos em estrelas e planetas, imaginamos corpos esféricos girando na vastidão do universo. Bem, eles giram, mas nem sempre são esféricos. Notícias recentes mostram que o cosmos é um lugar muito mais estranho do que imaginávamos.

 

Nos últimos dias duas notícias sobre descobertas feitas por pesquisadores fizeram a maioria de nós começar a rever seus conceitos sobre aquilo que imaginava saber sobre astronomia básica.

A primeira delas veio da Universidade de Warwick e a outra foi publicada na revista Nature e veio de pesquisadores da Universidade Central de Lancashire. Ambas as instituições ficam no Reino Unido.

 

Boneco de Neve

 
Ilustração da estrela recém descoberta. Créditos: Universidade de Warwick

Pesquisadores descobriram uma enorme estrela em forma de boneco de neve com uma composição atmosférica inédita. A estrela tem uma massa maior que o nosso Sol, mas apenas dois terços do diâmetro da Terra.

Acredita-se que o objeto tenha resultado da fusão de duas estrelas anãs brancas que frequentemente explodem como supernovas poderosas. Segundo o pesquisador Mark Hollands, da Universidade Warwick, a descoberta da equipe pode ajudar os cientistas a entender melhor como esse processo ocorre.

"O aspecto mais empolgante sobre esta estrela é que ela quase não explodiu como uma supernova. Não há muitas anãs brancas tão grandes", disse Hollands.

Estranhamente, essa estrela chamada de WDJ0551 + 4135, tem uma atmosfera muito rica em carbono. "A única maneira de explicar isso é se ela foi formada por meio da fusão de duas anãs brancas", afirmou o cientista.

 

Em forma de gota

 
Estrela HD74423 - Gabriel Pérez Díaz / Divulgação IAC

Ela foi descoberta em 1980, mas só agora essa estranha estrela pulsante com formato de gota, os cientistas puderam detectar a localização dessa maravilha astronômica.

A descoberta, publicada na revista acadêmica Nature Astronomy, foi resultado de parceria que reuniu pesquisadores do mundo todo.

O coautor do estudo Don Kurtz, da Universidade Central de Lancashire, contou que o astro já tinha sido calculado no plano teórico há muito tempo. “Estive procurando por uma estrela como essa há quase 40 anos e finalmente encontrei uma”, afirmou ele.

O objeto astronômico chamado de HD74423, que tem 1,7 vezes a massa do Sol e está a 1.500 anos-luz da Terra, foi definido pelo Satélite de Levantamento de Exoplanetas em Trânsito (TESS), da NASA.

Fontes: BBC, Aventuras na História

Essas descobertas nos fazem pensar no quanto desconhecemos sobre o cosmos e também o quanto precisamos ter a mente aberta para fatos e descobertas que desafiem nossos conceitos sobre o que é ou não possível.

 

Assista abaixo um vídeo sobre o que sabemos sobre as estrelas:

Já está no ar a Edição 257 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2018

Nos limites da existência