DESTAQUE

'Cometa do Natal' poderá ser visto da Terra neste domingo

Por
16 de Dezembro de 2018
Uma visão telescópica do Cometa 46P / Wirtanen, tomada em 6 de dezembro de 2018, revela a cauda fraca do cometa
Créditos: Alan Dyer / AmazingSky.com

Seu nome é muito pouco festivo: 46P/Wirtanen. Já o apelido é mais simpático, "o cometa de Natal", pois ele aparece para anunciar a celebração natalina. O 46P completa sua órbita a cada 5 anos e meio e, na maioria da vezes, passa muito longe da Terra para ficar visível a nós. Os astrônomos estimam que essa passagem será mais próxima da Terra em 70 anos.

No dia 16 de dezembro, porém, o cometa poderá ser visto por aqui. Para os amantes da astronomia, ele virá com uma novidade: será o mais brilhante cometa a passar perto da Terra nos últimos 20 anos. Mesmo visível, o cometa estará a cerca 11,6 milhões de quilômetros da Terra (mais ou menos 30 vezes a distância entre a Terra e a Lua). Ainda que isso pareça muito, os especialistas acreditam que ele poderá ser visto a olho nu. 

Verde e hiperativo

O "cometa do Natal" é verde. A cor é recorrente em cometas, como Lovejoy e Machhol, e se deve a sua coma - a nuvem brilhante de gás e poeira que o envolve. Ela tem cianogênio e carbono diatômico, que brilham na cor verde quando são ionizadas pela luz do sol.  O 46P também é "hiperativo". Especialistas afirmam que esses parecem "emitir mais água do que deveriam devido ao tamanho do seu núcleo", explica a Universidade de Maryland. O efeito ocorre devido ao fato de que o seu núcleo contém uma grande quantidade de gelo volátil, que aquece e alimenta o coma, enquanto o cometa viaja a uma velocidade de 34.200 quilômetros por hora. 

O 46P/Wirtanen costuma brilhar mais do que outros cometas de tamanho parecido. As previsões afirmam que ele terá um brilho de até magnitude 3, um pouco mais brilhante do que a Megrez, a estrela de menor brilho da constelação do Carro. O objeto menos brilhante visível a olho nu é de magnitude 6, em condições de observação perfeitas. O sistema utilizado pelos astrônomos vai ao contrário: quanto menor é o número, mais brilhante é o objeto.

O astrônomo Carl Wirtanen descobriu o cometa que leva seu nome em 1948. Era um especialista caçador de objetos que utilizava fotos do céu noturno para observar esse objeto que se movimenta rapidamente, pelo menos falando do ponto de vista astronômico.

O Virtual Telescope Project vai transmitir online o fenômeno às 17h no Eastern Time  – às 20h no horário de Brasília, pelo canal  Virtualtelescope.eu.

Como identificá-lo?

A órbita do cometa 46P/Wirtanen o mantém bem próximo ao Sol.  Seu afélio, o ponto mais distante do Sol, está a aproximadamente 5,1 unidades astronômicas (UA), que é um pouco maior do que a órbita de Júpiter. Seu periélio, o ponto em que está mais próximo ao Sol, está a aproximadamente 1 UA, mais ou menos a distância da Terra ao Sol. 

A posição do cometa próximo à constelação de Touro faz com que seja ideal para observá-lo toda a noite. Touro fica a leste depois do pôr do sol e se movimenta em direção ao oeste durante a noite. Vamos torcer para que o céu esteja limpo para observá-lo! Depois você mesmo poderá dizer se esse cometa é um bom ou um mau presságio para 2019.

Alerta astronômico. Em 16 de dezembro, o Cometa 46P / Wirtanen será visível a olho nu. E durante todo o mês é possível observá-lo com a ajuda de binóculos ou pequenos telescópios.

Saiba tudo so bre o Cometa 46P/ Wirtanen na página da Universidade de Maryland: www.wirtanen.astro

Fonte: Space.com, NASA

Veja mais:

Sonda da NASA capta áudio do vento em Marte pela primeira vez

Operários destroem sítio arqueológico que conta a história de Stonehenge

Neta revela livro sobre a abdução de seu avô escrito há 45 anos

Cientista da NASA defende que a Terra pode já ter sido visitada por ETs

Mexicanos e guatemaltecos avistam UFOs em seus respectivos vulcões em novembro

Já está no ar a Edição 263 da Revista UFO. Aproveite!

Dezembro de 2018

Milagre de Fátima: novas descobertas