DESTAQUE

Cientistas russos encontram sinais de vida em Vênus

Por
28 de Abril de 2019
Superfície de Vênus
Créditos: NASA / JPL / USGS

Cientistas do Instituto de Pesquisas Espaciais da Academia Russa de Ciências, o Instituto Catalysis e a Universidade Estadual de Novosibirsk (NSU) apresentaram uma hipótese sobre a existência da vida em Vênus. Para essas conclusões, os pesquisadores conduziram um novo processamento de imagens panorâmicas da superfície de Vênus, obtidas pelas sondas soviéticas Venera-9, Venera-10, Venus-13 e Venera-14, de 1975 a 1982. 

As imagens mostram objetos em movimento lento com uma estrutura estável. Os resultados do trabalho dos cientistas foram publicados na revista Uspekhi Fizicheskikh Nauk, onde imagens de objetos que se assemelham aos contornos de criaturas terrenas, como escorpião, lagarto e fungo, são dadas. Os autores do artigo afirmam que todas as formas de vida hipotéticas têm tamanhos notáveis, recursos que permitem que sejam diferenciadas das formações geológicas e alterem sua localização de momento a momento.

Uma auditoria dos resultados dos experimentos, iniciada há 10 anos no IKI RAS por um dos autores do artigo, Leonid Ksanfomaliti, mostrou que os cientistas soviéticos que receberam dados da superfície de Vênus não estavam prontos na época para perceber e compreender qualitativamente novas informações sobre planetas e outros corpos do Sistema Solar. Isso pode explicar porque a análise bem-sucedida dos dados venusianos foi realizada com um atraso de mais de 30 anos.

"O desenvolvimento da ciência natural em geral e da astrobiologia, em particular, tornou possível começar a fazer perguntas simples e não rejeitar hipóteses sobre formas de vida sob as condições extremas da superfície de Vênus. A auditoria dos dados de imagem a partir da superfície de Vênus estabeleceu o objetivo de testar a hipótese de vida na superfície do planeta como uma das principais tarefas para as próximas missões estudá-la. A atual geração de pesquisadores de acordo com o princípio da continuidade na pesquisa espacial pode responder a uma das questões-chave: a presença de vida extraterrestre", disse um dos autores, pesquisador sênior do laboratório de processos catalíticos de economia de energia da Faculdade de Ciências Naturais Valery Snytnikov.

A hipótese dos cientistas russos baseia-se no fato de que as formas de vida alienígena não necessariamente têm que se parecer com as terrenas e, portanto, as condições de que necessitam para sua origem e manutenção podem diferir das habituais. Polímeros conhecidos de nitrogênio e dióxido de carbono, que são estáveis na atmosfera em altas temperaturas e pressões. Estes são principalmente vários compostos de nitrogênio. Portanto, podemos supor que o nitrogênio será o principal componente dos monômeros para a síntese de polímeros, o que significa que a vida venusiana pode ser nitrogenada em oposição ao carbono terrestre.

"A descoberta da vida extraterrestre será um choque para toda a consciência da massa humana. Tal choque pode ser comparado em escala com a liberação da humanidade além da Terra e o começo da era espacial. Se a vida extraterrestre em seus fundamentos químicos será radicalmente diferente da bioquímica que conhecemos, isso dará um poderoso ímpeto ao desenvolvimento de quase todos os ramos da ciência natural”,  explicou Snytnikov.

Além disso, o pesquisador anunciou a criação do projeto da missão conjunta russo-americana Venera-D. Em abril deste ano, uma proposta foi feita para iniciar o trabalho de desenvolvimento na criação desta missão. Supõe-se que, além dos estudos de superfície, as nuvens de Vênus e sua atmosfera serão estudadas, incluindo a possível existência de vida bacteriana. Os cientistas da NSU poderão participar da preparação desta missão.

Fonte: NSU

  

Conheça o  Curso A Nova Humanidade

www.anovahumanidade.com.br

 

Veja Mais:

Documentário 'Apollo: Missões à Lua' traz áudio inédito

Pesquisadores conseguem controlar a velocidade da luz enviando-a para trás

UFOs podem ser máquinas do tempo vindas do futuro?

Agora você vai entender a Física Quântica e sua relação com os UFOs

O futuro da humanidade por Michio Kaku

Veja a primeira imagem real de um buraco negro na história

Há 40 anos em busca da resposta: existem seres extraterrestres?

 

Já está no ar a Edição 267 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2019

Um metal extraterrestre