DESTAQUE

Cientistas dizem que as luzes vistas sobre o Havaí eram um foguete de 2008

Por
27 de Outubro de 2020
Imagem feita pelo Telescópio Canadá França Havaí
Créditos: Telescópio Canadá França Havaí

Astrônomos no Havaí dizem que as luzes brilhantes vistas sobre Honolulu na noite de sábado eram, muito provavelmente, os restos de um foguete de quase 12 anos que se desfez na reentrada.

 Como tem sido largamente divulgado pela mídia, a questão do lixo espacial preocupa, e muito, autoridades e cientistas. Cada vez mais há o risco de colisões espaciais que podem danificar não apenas a Estação Espacial Internacional (ISS) como também satélites em órbita.

Pois bem, parte desse lixo fez sua reentrada na noite do sábado, dia 24 de outubro, quando várias pessoas, em diferentes ilhas do Havaí, relataram ter visto estranhas luzes no céu pouco depois das 22h00.

“Comecei a gravar e, quando eles chegaram mais perto, comecei a pirar porque pensei, 'Oh, o que diabos é isso?'”, disse Kuuip Kanawaliwali, residente de Molokai.

Na verdade, nem sabíamos o que pensar. Não sabíamos o que era, de onde veio”, disse Sheri English, que também mora em Molokai. “Simplesmente apareceu. Na verdade, foi uma sensação muito estranha”.

 

A explicação


Telescópio Canadá França Havaí Crédito: Wikipedia

Especialistas do Telescópio Canadá França Havaí explicaram as luzes brilhantes. “Bem, com toda a probabilidade, o que eles viram na noite passada foi a reentrada de um booster de um foguete lançado em 2008. Um foguete chinês que estava impulsionando um satélite de comunicação para a Venezuela”, explicou John O'Meara, cientista chefe do Observatório WM Keck.

Nos últimos 12 anos, o foguete propulsor decaiu. Os astrônomos encontraram um mapa da trajetória de voo do objeto, que ficava perto do Havaí.

“Não podemos ter 100% de certeza porque não temos nenhum dos pedaços de entulho. Mas o padrão das luzes que vimos em nosso lapso de tempo combinou com este mapa”, disse Mary Beth Laychak, diretora de comunicações estratégicas do Telescópio Canadá França Havaí. 

“Essa trajetória de voo e a precisão com que todas essas empresas são capazes de estimar onde seus objetos entrarão e como se separarão é o que realmente nos leva a crer que era este Venesat-1 reentrando na atmosfera”, complementou a cientista

O satélite Venesat-1 foi lançado em um foguete chinês em 29 de outubro de 2008. O satélite está fora de serviço desde março de 2020.

O Telescópio Canadá França Havaí compartilhou vídeos e imagens estáticas do show de luzes no sábado.

 

Elon Musk e o lixo espacial


Gwynne Shotwell, a poderosa a presidente e diretora de operações (COO) da SpaceX
Crédito: Revista Time

Como publicamos semana passada, A Space X também está olhando para o lixo espacial como possibilidade de novos contratos, afinal alguém tem que limpar a órbita antes que as coisas comecem a cair em nossas cabeças.

De acordo com o que disse Gwynne Shotwell, a poderosa a presidente e diretora de operações (COO) da SpaceX em uma entrevista para a revista Time, a empresa tem planos ambiciosos para resolver o problema do lixo espacial.

De acordo com a Shotwell, a SpaceX tem um ás na manga: um foguete de 50 m projetado principalmente para transportar até 100 toneladas de carga ou 100 passageiros para destinos distantes, incluindo a Lua e Marte.

“É bem possível que pudéssemos alavancar a nave estelar para ir a alguns dessas carcaças de foguetes – foguetes de outras pessoas, é claro – e basicamente pegar um pouco desse lixo no espaço sideral”, disse a COO da SpaceX.

“Não vai ser fácil, mas acredito que Starship oferece a possibilidade de se fazer o trabalho e estou muito animada com isso”, acrescentou ela.

Fonte: Mystery Wire

Assista, abaixo, a reportagem sobre as luzes vistas no Havaí:

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 279 da Revista UFO. Aproveite!

Setembro de 2020

Segredos ufológicos nos corredores do Pentágono