DESTAQUE

China confirma que possui sua própria Força-Tarefa UFO

Por
07 de Junho de 2021
A China está preocupada com o aumento de avistamentos de UFOs em seu território.
Créditos: Reuters

Enquanto o Pentágono finaliza seu relatório sobre UFOs, previsto para o final deste mês, pesquisadores militares chineses recorreram à Inteligência Artificial (IA) para rastrear e analisar o número crescente de objetos desconhecidos no espaço aéreo da China.

Para o Exército de Libertação Popular (ELP), eles são “condições aéreas não-identificadas” – uma frase que ecoa os “fenômenos aéreos não-identificados” dos militares norte-americanos – mas para o público eles são mais conhecidos como objetos voadores não identificados, ou UFOs. De acordo com o pesquisador Chen Li, da Academia de Alerta Antecipado da Força Aérea, com base em Wuhan, analistas humanos têm estado sobrecarregados nos últimos anos pelo rápido aumento de relatos de avistamentos de uma ampla gama de fontes militares e civis em todo o país.

Chen disse em um relatório de 2019 para uma conferência de cientistas de tecnologia da informação em Pequim: “A ocorrência frequente de condições aéreas não-identificadas nos últimos anos traz sérios desafios para a segurança aérea de nosso país.” A força-tarefa do ELP dedicada a objetos desconhecidos depende cada vez mais da tecnologia de IA para analisar seus dados, segundo o relatório de Chen Li, que está de acordo com vários outros estudos militares publicados em jornais domésticos, mais recentemente em agosto do ano passado.

De acordo com Chen Li, uma vantagem da IA é que ela pode “(...) pensar fora do quadrado”, verificando migalhas de informações espalhadas por muitos conjuntos de dados criados em momentos e locais diferentes, e desenhando links invisíveis aos olhos humanos – para ajudar a determinar se os avistamentos foram causados por um país hostil, entusiastas da aviação amadora, natureza, ou ‘outras razões’”, disse ele. A questão sobre os UFOs que mais captura a imaginação é se eles são espaçonaves alienígenas. Os militares dos Estados Unidos recentemente confirmaram a autenticidade de algumas imagens de vídeo vazadas que foram capturadas por pilotos da Marinha, nas quais objetos voadores parecem se mover de uma maneira que não pode ser explicada pela tecnologia atual ou pelas leis físicas.

O relatório do Pentágono – solicitado pelo Congresso sobre esses avistamentos e que deve ser parcialmente divulgado ao público – pode ser a primeira vez que uma força militar discute abertamente o assunto, apesar de oficiais da inteligência já terem dito que o documento é inconclusivo. Os UFOs são uma questão sensível para qualquer força de defesa, não importa se estão relacionados a formas de vida inteligentes do espaço ou a incursões por militares de outro país.


A China tem registrado cada vez mais objetos desconhecidos. Na foto acima, um UFO fotografado sobre Tsing Yi, em junho de 2016.
Fonte: on.cc

Um drone inimigo invasor ou aeronave equipada com tecnologia de interferência avançada, por exemplo, pode enganar o radar ou outros sensores, criando imagens fantasmas que saltam de uma maneira inexplicável na tela. Esses incidentes são geralmente classificados por motivos de defesa ou para evitar constrangimento. O único avistamento de UFOs oficialmente confirmado na China ocorreu em uma base aérea militar em Cangzhou, província de Hebei, em 19 de outubro de 1998. De acordo com uma reportagem do Diário de Hebei – jornal oficial da província vizinha de Pequim – dois jatos militares foram ordenados a interceptar um objeto voador que apareceu repentinamente acima da base aérea.

O objeto parecia um “cogumelo de pernas curtas”, com dois feixes de luz descendo de sua barriga. Quando os jatos se aproximaram, o objeto subiu com velocidade “fantasmagórica” a uma altitude de mais de 20Km, antes de desaparecer do radar e do contato visual. De acordo com Chen Li e seus colegas, o ELP tem um sistema de relatórios de três camadas para lidar com objetos aéreos desconhecidos. O nível de base, que inclui estações de radar militares, pilotos da força aérea, delegacias de polícia, estações meteorológicas e observatórios da Academia Chinesa de Ciências, é responsável por coletar o máximo de dados brutos possível.

As informações são processadas em nível intermediário pelo comando militar regional do ELP, que realiza análises preliminares e transfere os dados para um banco de dados nacional. Com a ajuda da IA, a sede do ELP atribui um “índice de ameaça” a cada objeto com base em seu comportamento, frequência de ocorrência, projeto aerodinâmico, radioatividade, possíveis marcas e materiais, juntamente com quaisquer outras informações. A IA pode reunir outras informações que podem ajudar a determinar a finalidade de um objeto. Por exemplo, se objetos desconhecidos semelhantes têm tendência a aparecer durante grandes eventos políticos ou exercícios militares, eles são considerados mais prováveis de ser um dispositivo feito pelo homem implantado por outro país para reunir inteligência.

A natureza é responsável por uma proporção significativa das atividades suspeitas detectadas pelos militares. A verificação manual desses eventos geralmente leva tempo, mas a IA pode identificar rapidamente as causas mais naturais, verificando várias fontes de informação, como dados de satélite meteorológico, de acordo com os pesquisadores militares. Um cientista de radar baseado em Xian, na província de Shaanxi, que pediu para não ser identificado devido à delicadeza do assunto, disse que o aumento das atividades militares dos Estados Unidos no Mar da China Meridional e em outras águas sensíveis próximas à China também pode ser responsável pelo aumento da aparição de objetos que não podem ser explicados imediatamente.

Fonte

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 284 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2021

Biden revelará os segredos dos UFOs?