DESTAQUE

Astrônomos descobrem superterra a 16 anos-luz de distância

Por
31 de Julho de 2018
Ilustração digital para HD 26965 e sua estrela
Créditos: Sci-News astronomy

Um artigo relatando a descoberta de um exoplaneta maior que a Terra, e orbitando uma estrela próxima a nós, foi publicado no periódico inglês Monthly Notices of the Royal Astronomical Society essa semana. Batizado de HD 2695b, o  recém-descoberto planeta tem uma massa equivalente a 8,47 vezes a massa da Terra e está localizado a 16 anos-luz de distância. O exoplaneta orbita, a cada 42,4 dias, uma estrela anã brilhante da Classe-K, chamada de HD 26965. Já sua estrela hospedeira tem aproximadamente 6,9 bilhões de anos de vida e uma massa equivalente a 78% da massa do Sol e um raio 87% maior que o Sol.

“A HD 29695 é a estrela principal de um sistema triplo de estrelas bem separado. As outras duas companheiras são uma anã branca e uma anã da Classe-M4”, disse o astrônomo Bo Ma, um dos coautores do trabalho no Departamento de Astronomia da Universidade da Flórida. Ma explica que se trata de “uma estrela pobre em metal e muito brilhante com uma magnitude absoluta de V=4.4. Isso faz dela a segunda estrela mais brilhante no céu noturno com a detecção de uma superterra, a outra é a HD 20794, com V=4.3. Outro fato interessante é que a HD 20794 tem uma metalicidade semelhante a da HD 26965, que é consistente com a descoberta de que planetas menores são detectados ao redor de estrelas com amplas propriedades metálicas”.

“Com um massa mínima de 8,4 vezes a massa da Terra, o HD 26965b, provavelmente possui uma atmosfera gasosa baseada em outros planetas com a mesma massa e raio conhecidos”, acrescentou Ma. No entanto, ele e sua equipe notaram que o exoplaneta Kepler-10c tem uma massa e órbita similar, pois orbita uma estrela com baixa metalicidade e não possui um envelope, então o HD 26965b pode ser um tipo de mundo semelhante a Kepler-10c. 

O HD 26965b foi descoberto através do método de velocidade radial Wobble, pelo projeto Dharma Planet Survey, o DPS. Esse método utiliza as variações do movimento da estrela causadas pela força gravitacional do planeta em sua órbita e o tamanho dessa variação para revelar a massa do planeta. Numa busca feita nos primeiros dados do projeto DPS, os pesquisadores descobriram sinais de velocidade radial consistentes com uma Super-Terra, orbitando a estrela anã K, HD 26965 com magnitude de V=4.4. Dados adicionais de velocidade radial foram usados do arquivo do Keck e do arquivo do HARPS. O mesmo sinal foi detectado de forma independente pelo pesquisador da Universidade do Chile Matias Diaz e seus colegas, mas, infelizmente, não puderam confirmar se esse sinal era da presença de um planeta ou da variação da própria estrela.

Sobre Bo Ma e sua pesquisa

Conheça Kepler-10c, o planeta extrassolar da Constelação de Draco

Saiba mais sobre o Projeto Dharma Planet Survey (DPS)

Saiba mais:

Livro: Dossiê Cometa

DVD: Buscando Vida Fora da Terra

Enquanto cientistas de diversas áreas buscam respostas para a origem e o futuro da humanidade terrestre, a exobiologia vasculha vastas regiões do universo à procura de outras formas de vida. Com exuberantes imagens obtidas pela NASA e usando avançados recursos de computação grá×ca, este documentário mostra como seriam as espécies que encontraremos no espaço e deixa claro que esta é apenas uma questão de tempo.

Já está no ar a Edição 259 da Revista UFO. Aproveite!

Julho de 2018

A desconcertante casuística polonesa