DESTAQUE

Astrônomos procuram por vida alienígena na galáxia de Andrômeda

Por
30 de Setembro de 2018
Galáxia de Andrômeda
Créditos: Space.com

Um grupo de astrônomos deu os primeiros passos na procura por vida alienígena na galáxia de Andrômeda, como parte de uma nova pesquisa. O projeto é chamado de Trillion Planet Survey e está sendo executado pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. A ideia é que, se houver uma civilização por aí que propositadamente envie sinais, talvez seja possível identificá-los. 

“A equipe está à procura de transmissões de uma civilização de classe similar ou superior a nossa tentando transmitir sua presença usando um feixe de luz”, observou Andrew Stewart, da Emory University, filiada ao SETI (Busca por Inteligência Extraterrestre). Com base em um artigo de 2016 de Philip Lubin, que está liderando o novo projeto, a equipe está buscando a ideia de que há outra civilização por aí que pode não saber que estamos aqui, mas está tentando fazer contato. 

Os pesquisadores dizem que seria possível criar uma luz brilhante que pudesse ser vista através do universo. A equipe está agora pesquisando a galáxia de Andrômeda (também chamado de M31) para obter o que eles chamam de “o gasoduto” instalado e funcionando para procurar por uma luz assim.

Usando uma série de imagens tiradas por telescópios de Andrômeda, os cientistas vão criar uma única imagem da galáxia. Eles vão comparar essa imagem a outra imagem de controle da galáxia, que não mostra "sinais transitórios" - eventos que operam em intervalos de tempo relativamente curtos medidos em anos ou menos. Se houver uma diferença entre a foto de pesquisa e a foto de controle, isso pode indicar que algum tipo de sinal está sendo transmitido. Seu software é projetado para remover a interferência de satélites e outras fontes próximas.

Como Andrômeda está a 2,5 milhões de anos-luz de distância, qualquer sinal que detectarmos terá sido enviado pelo menos 2,5 milhões de anos atrás, tempo suficiente para uma civilização ter desaparecido. Mas a equipe nota que vale a pena dar uma olhada, mesmo que as chances de sucesso sejam baixas. "Afinal, procuramos relíquias arqueológicas e fósseis, que nos falam sobre a história da Terra", disse Jatila van der Veen, membro da equipe. "Encontrar sinais antigos certamente nos dará informações sobre a história da evolução da vida na Terra, no Cosmos, e isso seria incrível!".

A equipe apresentou suas pesquisas no Workshop de assinaturas tecnológicas da NASA em Houston neste sábado (29). Este é o mesmo workshop onde a NASA também discutiu se deve voltar à busca por alienígenas inteligentes, algo que eles não fazem desde 1993.

A galáxia de Andrômeda é vista aqui em infravermelho completo:

(Crédito de imagem NASAJPL - WISE Tech Team)

Fonte: PhysicsAstronomy

Já está no ar a Edição 260 da Revista UFO. Aproveite!

Agosto de 2018

O ano em que eles inundaram a Europa