DESTAQUE

Arrokoth: uma cápsula do tempo revolucionando a ciência

Por
19 de Fevereiro de 2020
Mistérios cosmicos
Créditos: Revista UFO

Como noticiamos aqui, ele pode ter revolucionado a teoria de formação planetária, e agora dados mais recentes sobre ele indicam que o estranho Arrokoth talvez esteja coberto de moléculas orgânicas chamadas tolinas, nos fornecendo uma janela para o tempo cósmico profundo.

Nesta semana, três artigos publicados na revista Science relatam novas descobertas sobre o objeto antigo que nos dão uma janela única para o tempo cósmico profundo, incluindo ideias sobre como ele se formou e detalhes sobre as moléculas orgânicas exóticas que lhe conferem a cor vermelha.

Com aproximadamente 10 vezes mais dados do que os disponíveis para no relatório inicial no ano passado, os estudos exploram a geologia, composição e história das rochas distantes com muito mais detalhes. 

Arrokoth. Crédito: NASA

Entre os destaques estão uma imagem mais clara de como Arrokoth se formou nas primeiras nebulosas solares, uma nuvem de gás e poeira que circundava o Sol há 4,5 bilhões de anos e detalhes de sua química, que parece incluir moléculas orgânicas simples e também tolinas, “uma classe de polímeros à base de carbono que se acredita ser predominante em todo o Cinturão de Kuiper”, diz o estudo

No geral, as novas descobertas apoiam a ideia de que Arrokoth é uma cápsula do tempo primordial que pode ajudar a levantar a névoa nos primeiros capítulos de nossa história cósmica.

Quando a New Horizons se aproximou de Arrokoth antes do sobrevoo, ficou claro que o objeto era um binário de contato que se formou quando duas pedras se tocaram. Usando modelos numéricos, uma equipe liderada pelo astrônomo Will McKinnon, da Universidade de Washington, aprofundou ainda mais o cenário. 

Seus resultados sugerem que a fusão foi menos uma colisão e mais uma junção muito suave de dois objetos que co-evoluíram quando uma nuvem de material da nebulosa entrou em colapso sob sua própria gravidade.

"Todas as características de Arrokoth se encaixam nessa teoria", disse McKinnon. "E eles não se encaixam na outra teoria de algo se acumular de pequeno a grande porte em uma sequência de impactos".

 

Sonda New Horizons

Vamos ver que outras surpresas esse curioso objeto nos revelará sobre o passado longínquo de nosso Sistema Solar.

fonte: Vice

Já está no ar a Edição 265 da Revista UFO. Aproveite!

Fevereiro de 2019

O enigma das sondas