NOTÍCIA

Argentina: Comissão de Estudos de Fenômenos Aéreos rejeita 22 casos de UFOs

Por Mel Polidori | 11 de Fevereiro de 2019

Efeito de lens flare, comum nas lentes de câmera quando fotografam o céu.
Créditos: Getty imagens

Argentina: Comissão de Estudos de Fenômenos Aéreos rejeita 22 casos de UFOs

A Comissão de Estudos Fenomenais Aéreos (Comissão de Estudos de Fenômenos Aeroespaciais, CEFAE) divulgou um relatório de 80 páginas sobre a análise de fotografias de UFOs em 2018.  O relatório também inclui uma rejeição impressionante do famoso Caso Bariloche (O Incidente de Bariloche, de 1995), no qual um avião foi supostamente assediado por um UFO que causou um total apagão na cidade de Bariloche. 



O relatório detalha os casos investigados pelo comitê - dependência da Força Aérea Argentina e do Ministério da Defesa: 

1) CASO BANFIELD - Pcia. de Bs. Aires (01/09/2018) 
2) CASA SAN JOSÉ DE JÁCHAL - Pcia. de San Juan (30/1/2018)
3) CASA SANTA ROSA DO CONLARA - Pcia. de San Luis (21/2/2018) 
4) CASO FELIPE GRECZNY - Chivilcoy; Pcia. de Bs Aires (04/02/2017) 
5) CASA ROBERTO MONDRAGÓN - Valle de la Luna; San Juan (07/06/2013) 
6) CASA SANTA LUCÍA - Pcia. de San Juan (24/3/2018) 
7) CASA NELSA CARMODI - Los Menucos; Pcia. de Rio Negro (1/4/2018) 
8) CASO FLAVIO SOLFERINO - Ciudad de Buenos Aires (04/06/2018) 
9 ) CASA CAPILLA DEL MONTE - Pcia. de Córdoba (11/4/2018) 
10) CASO OMAR GREGORIO - Mendoza (17/5/2015) 
11) CASO DIEGO CRESPO - Campana; Pcia. de Bs. Como. 
12) CASO PAOLA CARCO - Capilla del Monte, Pcia. de Cba. 
13) CASO ELISARDO URRUTIA - En vuelo sobre Pto. Iguazú 
14) CASO CRISTIAN ORELLANA - Va. La Angostura, Neuquén
15) CASO CAMPANA - Pcia. de Bs. Como. (17/10/2018) 
16) CASO JESÚS GUTIÉRREZ - (19/7/2018) 
17) CASA DANIELA GARCÍA - Pilar, Pcia. de Bs. Aires (14/11/2018) 
18) CASA FABIANA GANDOLA - Capital de Neuquén (28/2/2017) 
19) CASO DINA OSUNA - Banfield; Pcia. de Bs. Como. (19/12/18) 
20) CASO ARIEL MUÑOZ - Mídia Agua, Pcia. de San Juan (25/2/2018) 
21) CASO GRAL ROCA - Pcia de Rio Negro (17/12/2018)


O relatório detalhado conclui: 

Dados Estatísticos
 : 22 casos analisados ??- 22 casos resolvidos = 100% 

Causas ópticas (lentes , sensores ou reflexões): 8 casos 
Reflexos internos no conjunto de lentes (lens flares): 2 casos 
Reflexões externas (em janelas, nuvens ou portinholas): 3 casos
Corpos estranhos na lente ou na escotilha: 3 casos 

Causas biológicas : 10 casos 
"RASTS" efeito causado por um inseto fotografado durante um longo tempo de exposição: 1 caso 
Aves ou insetos voando na frente da câmera (sem efeito de haste ): 9 casos. 

Causas astronáuticas : 2 casos 
Iridium satélite flash: 1 caso 
Artificial satélite trânsito: 1 caso 

Objetos lançados no ar
 : 1 caso 
Balões de hélio em cachos: 1 caso 

Objetos industriais suspensos : 1 caso 
Luzes da câmera de segurança: 1 caso 

Recomendações finais :

Devido a essa igualdade de condições (navalha de Occam), pássaros ou insetos sempre constituirão uma base sólida para a solução do caso, especialmente quando suas asas e outros traços biológicos se destacam durante uma inspeção ampliada do objeto. Por esta razão, pedimos às nossas testemunhas que tirem fotos do céu "para ver se algo aparece"  e  para restringirem-se a enviar fotos ou vídeos de objetos que chamarem sua atenção antes de decidir fotografá-los.  

Cmdr. (Ret.) Rubén Lianza, diretor do CEFAE. 


O software IPACO foi empregado na condução da análise e é feita menção ao documento de uso do "Occam's Razor" como principal abordagem investigativa. O IPACO foi desenvolvido em 2008 com apoio monetário do CNES, agência espacial francesa, como parte das operações de investigação da GEPAN - agora GEIPAN - com o objetivo de investigar fenômenos anômalos.



O caso de 1995 é explicado como "um reflexo do holofote que estava sendo operado pela Rocket Discotheque", acrescentando que uma testemunha, Sergio Segade, confirmou o caminho seguido por essa luz de klieg; pode-se deduzir que o mesmo estímulo luminoso visto por Segade coincide com o UFO principal visto por todas as outras testemunhas. Nenhuma evidência foi encontrada que pudesse refutar a possibilidade de considerar uma das torres de iluminação da plataforma como a causa mais provável do 'flash' visto, devido a uma sobretensão antes do apagão geral que mergulhou Bariloche na escuridão.


Fonte: Luis Burgos da FAO e ICOU

Compartilhe essa notícia:

Saiba mais sobre este assunto na edição 264 da revista

Comentários

Livros
recomendados

DVDs
recomendados

Edições
recomendadas