DESTAQUE

Antigo caso ufológico pode gerar novas informações sobre os efeitos biológicos de um UFO no solo

Por
06 de Dezembro de 2021
O antigo caso poderia ainda gerar mais informações sobre o ocorrido.
Créditos: YouTube

A Coalizão Científica para Estudos de UAPs/UFOs (SCU) publicou um novo relatório de avaliação sobre um caso ufológico significativo de 1971, que ocorreu em Delphos, Kansas, Estados Unidos. E o local onde ocorreu o suposto encontro ainda pode conter solo contaminado, que pode ser estudado cientificamente.

O caso envolve um jovem fazendeiro que, enquanto cuidava de suas ovelhas em novembro de 1971, ouviu um barulho alto antes de ver um objeto luminoso brilhante pairando acima do solo. Os pais do menino também testemunharam o UFO e viram como o objeto aparentemente deixou para trás uma impressão em forma de anel brilhante em torno do solo, que também foi fotografado.

O incidente envolve:

  • Efeitos Fisiológicos;
  • Solo contaminado com propriedades aparentemente confusas;
  • Pelo menos uma das cinco características clássicas observáveis (Sustentação antigravidade, aceleração repentina e instantânea, velocidades hipersônicas, baixa visualização ou camuflagem, e deslocamento transmídia);
  • Três testemunhas;
  • Perturbação de animais.

Envolve também o Instituto Battelle Memorial, que até agora não se manifestou com as análises das amostras de solo, que o Instituto solicitou após o evento. Isso apesar dos inúmeros pedidos de dados decorrentes de sua análise. Neste momento, está sendo considerado um pedido pela Lei de Liberdade de Informação (FOIA), conforme sugerido no relatório da SCU, para que os dados do Battelle possam ser divulgados, assim como de outro laboratório que também estudou as amostras de solo.

No entanto, apesar dos contratempos envolvendo o Instituto Battelle, outros estudos científicos foram conduzidos. No final de 1977, o doutor Erol Faruk (autor do último relatório da SCU) conduziu uma importante análise química e orgânica do material. Faruk descobriu que o solo do local do encontro estava contaminado com um composto semelhante a um sabão altamente solúvel em água; que paradoxalmente levou à sua hidrofobicidade (ou seja, uma capacidade física de repelir água) e, após o isolamento e caracterização, revelou propriedades quimioluminescentes (significando a emissão de luz através de uma reação química).


A imagem acima foi tirada pela mãe de Ronald imediatamente após o evento, sem uso de flash, mostrando um brilho fluorescente.
Fonte: Ronald Johnson

O novo relatório da SCU reúne todos os outros fatos necessários para auxiliar na validação do incidente como verdadeiramente anormal. O autor, que tem experiência em análises químicas orgânicas, forneceu os seguintes comentários ao Liberation Times: “Há esperança de que o caso possa render uma análise mais aprofundada. Em 2020, uma equipe de estudo da Kansas State University (KSU) visitou a fazenda Delphos e desenterrou parte do material afetado, supervisionado por Ronald Johnson, que aos 16 anos testemunhou o incidente.”

“Johnson cobriu a superfície do anel com mais solo normal após o incidente, o que significa que o material contaminado pode ter sido protegido de qualquer oxidação posterior. A equipe da KSU foi capaz de reproduzir a hidrofobicidade do solo do anel, em vídeo, que é uma anormalidade chave associada ao caso de 1971. Um estudo científico adicional poderia, portanto, ser potencialmente conduzido em amostras de solo isoladas recentemente, o que poderia render uma maior compreensão do que aconteceu naquele dia de novembro de 1971. Uma possibilidade é isolar uma quantidade suficiente do sal de prata de cor vermelha e realizar uma análise isotópica dos elementos que o compõem”, continua.

“Outra é verificar se o composto está presente, assim como seu sal de cálcio, quando o solo do anel é simplesmente extraído com água. Este resultado não seria esperado da extração de solo normal e sugeriria que o composto foi colocado lá por uma fonte externa”, conclui. A publicação do relatório ocorre em um momento em que a SCU foi identificada como colaboradora de um Comitê Consultivo Aéreo e Transmídia, conforme mencionado na emenda Gillibrand-Rubio, proposta na Lei de Autorização de Defesa Nacional dos Estados Unidos, para 2022.

Para acessar o relatório da SCU, clique aqui.

Fonte

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 285 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2021

Quando eles são hostis aos humanos