DESTAQUE

Andrômeda e a Via Láctea, uma colisão que já começou

Por
17 de Outubro de 2020
Simulação da visão de galáxia de Andrômeda em nosso céu noturno
Créditos: NASA

Normalmente, a notícia de que a Via Láctea e Andrômeda vão colidir não é manchete, já que só isso acontecerá em cerca de 5 bilhões de anos. Mas, uma nova pesquisa deste revela que a colisão já começou!

 As notícias sobre a galáxia de Andrômeda vieram do Projeto AMIGA, que usa o Telescópio Espacial Hubble  para observar os arredores do espaço profundo de Andrômeda. 

AMIGA significa Mapa de Absorção de Gás Ionizado em Andrômeda. A NASA relatou este estudo no início deste ano, chamando-o de "o estudo mais abrangente de um halo em torno de uma galáxia".

A galáxia de Andrômeda, nossa Via Láctea e outras galáxias estão envoltas em um grande envelope, o chamado halo galáctico, que consiste de gás, poeira e estrelas perdidas. Os halos das galáxias são tênues, tão tênues que detectá-los não é uma tarefa fácil. 

Esses astrônomos mediram o tamanho do halo da galáxia de Andrômeda observando como a luz dos quasares de fundo foi absorvida por ela. Eles ficaram surpresos ao descobrir que o halo de Andrômeda se estende muito, muito mais além dos limites visíveis da galáxia do que anteriormente conhecido.

Na verdade, ele se estende até a metade da distância até nossa Via Láctea (1,3 milhão de anos-luz ) e ainda mais longe em outras direções. Mas isso significa que os halos das galáxias de Andrômeda e da Via Láctea estão se tocando?

E agora?

Acontece que, de nosso ponto de vista dentro da Via Láctea, não podemos medir facilmente as características do halo de nossa galáxia. No entanto, como as duas galáxias são muito semelhantes em tamanho e aparência, os cientistas presumem que o halo da Via Láctea também seja semelhante.

Em outras palavras, são os halos tênues das galáxias que de fato parecem ter começado a se tocar. Então, por assim dizer, a colisão entre nossas duas galáxias já começou.

Sem levar em conta o halo, a maior parte da galáxia de Andrômeda está agora a cerca de 2,5 milhões de anos-luz de distância de nós, e se aproximando rapidamente. Como afirmado acima, conforme a galáxia de Andrômeda se aproxima, ela parecerá maior em nosso céu.

Entre agora e a eventual fusão, quaisquer seres vivos na Terra a verão ficar cada vez maior e maior em nosso céu noturno, como mostra a imagem abaixo, feita pela NASA:


Crédito: NASA

A propósito, as galáxias da Via Láctea e de Andrômeda não serão as únicas envolvidas nesta fusão. Conforme mostrado no vídeo abaixo, a outra grande galáxia em nosso Grupo Local de galáxias - M33, também conhecida como galáxia do Triângulo - também terá um papel.

No vídeo abaixo, você reconhecerá a galáxia Triângulo como o objeto menor próximo às galáxias de Andrômeda e Via Láctea. Embora o Triângulo provavelmente não se junte à fusão, ela pode, em algum ponto, atingir nossa Via Láctea enquanto se envolve em uma grande dança cósmica com as duas galáxias maiores.

Astrônomos observam colisões galácticas - ou suas consequências - com a ajuda de poderosos telescópios. De certa forma, quando ocorre uma fusão galáctica, as duas galáxias são como fantasmas; eles simplesmente passam um pelo outro. 

Isso porque as estrelas dentro das galáxias são separadas por grandes distâncias. Assim, as próprias estrelas normalmente não colidem quando as galáxias se fundem.

Mas não será assim conosco. As estrelas da galáxia de Andrômeda e da Via Láctea serão afetadas pela fusão, e serão lançadas em novas órbitas ao redor do centro galáctico recém-fundido.

De qualquer forma, não estaremos mais na Terra para apreciar o espetáculo, mas talvez, quem sabe, tenhamos conseguido nos mudar e possamos acompanhar de longe - muito longe - quando tudo acontecer.

 

 Fonte: Earth Sky

Já está no ar a Edição 279 da Revista UFO. Aproveite!

Setembro de 2020

Segredos ufológicos nos corredores do Pentágono