DESTAQUE

Acontecimentos sinistros forçaram caçador de UFOs a desistir

Por
11 de Fevereiro de 2021
Brian Leathley-Andrew sentiu na pele a força das autoridades em suprimir o interesse nos UFOs.
Créditos: anomalien.com

Ex-caçador de UFOs afirma que escutas telefônicas do governo forçaram o fechamento de sua própria organização, o Unidentified Flying Object Information Bureau [Escritório de Informações sobre Objetos Voadores Não Identificados].

Brian Leathley-Andrew registrou relatos de uma infinidade de naves estranhas no final dos anos 60. Recortes da imprensa na época sugerem que a verdade estava definitivamente lá fora – e espreitando nos céus de West Midlands, na Inglaterra. Mas seu trabalho parece ter incomodado as figuras sombrias do governo. Brian – que agora se refere a si mesmo como Lord Brian Leathley-Andrew – acredita plenamente nisso. Agora, com 71 anos e morando em Bedworth, Warwickshire, o ex-engenheiro elétrico diz: “A sociedade está sendo observada pelo ‘Departamento Deles’. Diga olá ao Sistema X”.

“Eu claramente tive problemas com grampeamento de telefone; um enorme problema. Dava para ouvir um clique. Havia muitas pessoas de olho, se eu parar para pensar.” Já se passaram mais de 50 anos desde que Brian virou as costas ao escritório de UFOs e seu interesse em contatos imediatos diminuiu. Ele admite: “Atualmente estou aposentado.” Mas ele está convencido da validade de alguns dos avistamentos, mesmo que o trabalho às vezes tenha sido atrapalhado por fraudadores.

Sua segurança pessoal, diz ele, foi comprometida.  E mais: “Havia muitos fraudadores. Um homem me enviou fotos de um UFO. Era exatamente a tampa do mesmo creme de mão que minha esposa usava. A jarra estava na mesa na minha frente”, diz.  Meio século depois, o trabalho do escritório de Brian continua vivo por meio dos arquivos amarelados do jornal The Coventry Telegraph. Em 03 de dezembro de 1968, Brian admitiu publicamente que era um homem assustado. Sob a manchete “Worried UFO Man Gives Up” [Preocupado Homem dos UFOs Desiste”], ele anunciou o fechamento da organização.

No artigo bombástico, Brian alegou:

– Ele havia sido observado por um homem com um rosto laranja brilhante;

– Seu telefone desligava sempre que ele tentava falar sobre UFOs;

–Ele recebeu uma mensagem telefônica de uma pessoa “falando um inglês incomum”.

Ele disse ao Telegraph: “Desisti dessa coisa e destruí todos os papéis. Houve situações que me preocuparam e assustaram a mim e a minha esposa.” Para Brian, a gota d’água foi durante o conserto do carro de sua mãe. Ele disse ao jornal: “De repente, percebi um homem parado na garagem ao lado. Ninguém tinha estado lá antes. Seu rosto estava com um brilho laranja. Enquanto eu observava, o rosto mudou para o de um velho diante dos meus olhos. Então ele se virou e foi embora. Você não poderia descrever o primeiro rosto em termos normais. Tinha olhos, nariz e boca nos lugares certos – mas não da forma que associamos à figura humana.” Logo depois, uma visita a um colega ufólogo em Stoke foi estranhamente frustrada.


Uma onda ufológica intensa abrangeu os anos 50, 60 e 70. Infelizmente, muitas fraudes foram disseminadas em meio a casos autênticos.
Fonte: abovetopsecret.com

Ele disse: “Todas as luzes da casa se alteraram repentinamente, como se uma enorme carga elétrica tivesse sido colocada no circuito. Isso acontece de vez em quando, mas continuou acontecendo. Isso é muito incomum. Tudo isso começou dois dias depois que abri meu escritório. Quero alertar publicamente todos os adolescentes entusiastas de que isso não é um assunto para se meter de forma leviana.” A julgar pela enxurrada de relatórios, Brian estava no lugar certo para experimentar atividades extraterrestres. Na época, o Coventry Telegraph exibia página após página de avistamentos.

E ele não estava sozinho nessa “febre extraterrestre”. Ele acredita que a enxurrada de avistamentos coincidiu com pesquisas experimentais do governo. O pessoal do Coventry Telegraph – até mesmo os policiais da cidade – vivenciavam encontros imediatos diariamente. Em 04 de janeiro de 1972, o sargento da polícia de Warwickshire, Mike Davies, disse ao Telegraph: “Não seja muito cético quanto aos UFOs”.

“Peço às pessoas a quem forem relatados avistamentos que ouçam o que é dito. Então, elas poderão deduzir o que o objeto não era e especular o que era. Eu acredito que há algo além de nossa compreensão e nossa tecnologia. As pessoas estão muito preparadas para descartar o assunto prontamente.” O oficial acrescentou: “Ainda não estou convencido de que algumas informações sobre UFOs não são retidas pelas autoridades. Mas supondo que houvesse uma declaração de que estávamos sendo invadidos por seres de outro planeta, qual você acha que seria a reação do público?”

Fonte

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 276 da Revista UFO. Aproveite!

Janeiro de 2020

A Ufologia e seus demônios