DESTAQUE

A imagem de rádio mais detalhada da galáxia de Andrômeda revela recursos impressionantes

Por
04 de Agosto de 2021
A belíssima galáxia de Andrômeda teve detalhes ocultos revelados por nova fotografia.
Créditos: wallpapers.com

Astrônomos usando o radiotelescópio terrestre SRT construíram o mapa de rádio mais detalhado da galáxia de Andrômeda. Tornou possível estudar melhor a estrutura da galáxia e suas propriedades, bem como compilar um catálogo de fontes de fundo.

A galáxia de Andrômeda (ou M31) é a maior galáxia do Grupo Local e a galáxia espiral mais próxima da Via Láctea. Ela está localizada a uma distância de cerca de 2.5 milhões de anos-luz de nossa galáxia. Para os astrônomos, é de interesse tanto do ponto de vista do estudo dos processos de formação e dinâmica estelar quanto do ponto de vista da pesquisa na área de formação e evolução de galáxias.

Uma equipe de astrônomos liderada por Sofia Fatigoni, da University of British Columbia, construiu o mapa mais detalhado da galáxia de Andrômeda e seus arredores na faixa de frequência de micro-ondas de 1-22 giga-hertz. As observações foram realizadas usando um rádio telescópio Sardinia (Sardinia Radio Telescope – SRT) de 64 metros, e levaram 66 horas.

O objetivo dos cientistas era melhorar a compreensão da morfologia da galáxia e dos processos físicos que ocorrem dentro dela. A análise dos dados obtidos pelo telescópio SRT, bem como dos dados do radiotelescópio Effelsberg e dos mapas infravermelhos da galáxia permitiram estimar a taxa total de sua formação estelar em 0.19 massas solares por ano. Os braços espirais da galáxia são mal distinguíveis na faixa de rádio, mas é visível um anel que delineia o disco da M31.


Eis a nova imagem de rádio da galáxia de Andrômeda.
Fonte: S. Fatigoni et al./Astronomy & Astrophysics, 2021

A radiação radiotérmica no anel está associada a processos de formação de estrelas, enquanto na região central da M31 a radiação livre (bremsstrahlung) pode estar associada a uma alta densidade de estrelas velhas como o Sol. A radiação não térmica dentro do anel nasce como resultado do movimento de partículas de raios cósmicos em um campo magnético no meio interestelar da galáxia. Os perfis de radiação não térmica são uniformes ao longo do anel, o que significa que a intensidade do campo no anel muda pouco.

Ao mesmo tempo, um fato inesperado foi descoberto - uma correlação entre os fluxos de radiação não térmica e de micro-ondas no bojo da galáxia, o que é incomum, já que os processos de formação de estrelas ali são lentos. Outras observações devem ajudar a estabelecer a natureza desta radiação não térmica da região central de Andrômeda. Além disso, os pesquisadores catalogaram 93 fontes pontuais de radiação, como estrelas, galáxias e outros objetos visíveis contra o pano de fundo da galáxia de Andrômeda, e identificaram cinco novos candidatos a remanescentes de supernova na galáxia.

Fonte

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 285 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2021

Quando eles são hostis aos humanos