DESTAQUE

2020 reserva grandes espetáculos celestes para a humanidade

Por
08 de Janeiro de 2020
Neste ano seremos brindados com espetaculares fenômenos celestes
Créditos: INPE

O ano de 2020 nos brindará com vários espetáculos no céu, incluindo chuvas de meteoros, cometas, planetas, superluas e eclipses. As superluas estarão visíveis em 09 de fevereiro, 09 de março, 08 de abril, 07 de maio e 31 de outubro. O calendário para observação de eclipses e planetas que estarão mais próximos detalhamos a seguir. Preparem o equipamento, pois haverá muito para se ver.

Planetas e eclipses:

10 de janeiro: eclipse lunar penumbral, evento que ocorre quando a Lua passa pela sombra da Terra e perde um pouco de seu brilho. Será visível em parte da Europa, África, Ásia, Oceano Índico e parte da Austrália.

02 e 03 de abril: excelente para observação do planeta Vênus que estará muito brilhante durante todo o mês.

21 de junho: eclipse anular do Sol que será visível em partes da África, Oriente Médio, Paquistão, norte da Índia, sul da China, Taiwan, Mar das Filipinas e Oceano Pacífico.

05 de julho: eclipse lunar penumbral, visível em boa parte da américa do Norte, América do Sul, em partes dos oceanos Atlântico e Pacífico e no extremo oeste da África.

14 de julho: Júpiter em oposição ao Sol. O planeta estará muito brilhante e em sua máxima aproximação da Terra.

20 de julho: Saturno em oposição ao Sol. O planeta estará muito brilhante e em sua máxima aproximação da Terra.

11 de setembro: Netuno em oposição ao Sol. O planeta estará muito brilhante e em sua máxima aproximação da Terra, podendo ser visto com telescópios potentes.

29 de setembro a 28 de outubro: Marte em toda a sua glória por estar em sua máxima aproximação da Terra, poderá ser visto como um grande farol avermelhado no céu, mais brilhante do que Júpiter e perdendo apenas para a Lua e Vênus nesse quesito. Segundo o site Space.com, planeta alcançará o auge do brilho em 13 de outubro.

31 de outubro: Urano em oposição ao Sol. O planeta estará muito brilhante e em sua máxima aproximação da Terra, podendo ser visto com telescópios potentes.

21 de dezembro: conjunção entre Júpiter e Saturno, conhecida como “a grande conjunção”, que ocorre a cada 20 anos. Os planetas estarão brilhantes e poderão ser observados ao mesmo tempo com um bom telescópio. 

Chuvas de Meteoros: 

22 e 23 de abril: Liríadas, visível apenas no Hemisfério Norte.

06 e 07 de maio: Eta Aquáridas, chuva que ocorrerá entre 19 de abril e 28 de maio, com pico entre os dias 06 e 07. É formada por partículas deixadas pelo cometa Halley e visível no hemisfério sul.

28 e 29 de julho: Delta Aquáridas, formada por partículas dos cometas Marsden e Kracht, ocorre entre os dias 12 de julho e 23 de agosto, com pico entre os dias 28 e 29 de julho. Será visível no hemisfério sul.

12 e 13 de agosto: Perseidas, uma das melhores chuvas de meteoros para se observar, com 60 ou mais objetos por hora, em seu pico.

07 de outubro: Dracônidas, que ocorre na direção da constelação do Dragão e poderá ser vista do hemisfério norte.

21 e 22 de outubro: Oriônidas, chuva que ocorrerá entre os dias 02 de outubro e 07 de novembro, com pico entre os dias 21 e 22.

04 e 05 de novembro: Tauridas, poderá ser vista em ambos os hemisférios.

17 e 18 de novembro: Leonídeas, chuva com média intensidade de objetos.

13 e 14 de dezembro: Geminídeas, ocorre entre os dias 07 e 17 de dezembro, com pico entre os dias 13 e 14. Uma das mais densas, com cerca de 120 objetos multicoloridos por hora em seu pico.

Já está no ar a Edição 233 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2016

Uma tragédia cósmica