ENTREVISTA

David Jacobs: Um Homem que Persegue ETs

Por Equipe UFO | Edição 70 | Março de 2000

Já é fato unanimemente consagrado entre ufólogos de todo o mundo que as respostas para o Fenômeno UFO virão mais rápida e concretamente se analisarmos a manifestação de ETs pela ótica de quem os contata. Noutras palavras, é pela análise da mecânica das abduções, do modus operandi dos abdutores e das reações dos abduzidos que poderemos encontrar a compreensão que buscamos sobre a ação de nossos visitantes. Assim, especialistas em seqüestros por ETs estão hoje em alta. E, entre eles, um é destaque na Comunidade Ufológica Mundial: o doutor David Jacobs, Ph.D. em História Americana e professor da renomada Temple University.

David Jacobs é considerado um dos mais bem informados estudiosos de abduções da atualidade, tendo trabalhado pessoalmente com mais de mil vítimas de ETs – muitas das quais tratou sob hipnose. Em sua visão, os aliens buscam nos terrestres algo que lhes é muito precioso: material genético para ser usado em processos de criação de novas espécies pelo Universo afora.

“Em 99% dos casos de abdução de humanos para bordo de UFOs, os raptores os submetem a exames médicos e extraem de suas vítimas material genético”, justifica suas conclusões, inquietando tanto ufólogos quanto seus colegas cientistas. Segundo seus estudos, os ETs desenvolvem um programa bem específico na Terra. Há alguns anos, quando lançou seu livro Secret Life, provocou amplos debates no meio ufológico ao revelar que programa era esse. Tal livro se encontra publicado no Brasil pela editora Rosa dos Tempos [Veja nosso encarte]. Em 1.998, incansável, Jacobs lançou um novo livro, The Threat [A Ameaça], causando ainda mais agitação ao intensificar e aprofundar o debate sobre as razões que levam os extraterrestres a desenvolverem seu projeto. “Tinha a obrigação de expor ainda de forma mais contundente o que descobri, que os ETs não estão para brincadeiras. E o título de meu livro trata disso”, explicou.

Jacobs é um dos conferencistas mais requisitados atualmente, tendo vindo ao Brasil uma vez para fazer conferência no Primeiro Fórum Mundial de Ufologia, em 1.977. No ano passado, concedeu entrevista ao ufólogo brasiliense Thiago Ticchetti, mostrando que suas teorias estão em evolução constante. Ticchetti, consultor especial de UFO, desenvolveu um projeto visando conversar com os maiores ufólogos da atualidade, via Internet. Ao longo de 12 meses, conseguiu entrevistar mais de 20 deles. “Entrevistar David Jacobs foi uma tarefa muito emocionante. Ele é uma pessoa que conhece o assunto das abduções em profundidade e, diferentemente de outros especialistas na área, não tem medo de expor o que sabe e o que concluiu”, disse Ticchetti.

Quais são as principais evidências de que as abduções são reais? Uma das mais importantes evidências disso é a convergência das memórias que os abduzidos têm sobre o momento, o processo e a estrutura dos seqüestros por extraterrestres. Pessoas diferentes, de culturas, religiões e modos de vida diversos, em vários lugares do mundo, têm os mesmos sintomas. Isso não pode ser coincidência. Por outro lado, é importante dizer que, tanto quando é utilizada a hipnose regressiva quanto quando esta técnica não estiver sendo empregada, as pessoas que passaram pelo trauma da abdução se lembram dos eventos acontecidos de forma muito semelhante. Há casos em que seqüestrados vêem outros seres humanos serem abduzidos enquanto estão a bordo das naves. Mas, além disso, há certos tipos de evidências físicas nos corpos das vítimas de extraterrestres, tais como cicatrizes, manchas e picadas em seus corpos ou roupas. Isso sem falarmos dos implantes, que têm sido detectados em muita gente, embora até agora nenhum tenha sido provado como não terrestre. Estes artefatos podem servir para muita coisa, desde o possível monitoramento dos abduzidos até como instrumentos que transmitiriam a uma base, em algum lugar, informações sobre seu metabolismo, condições de saúde ou emocionais, etc. Há estudiosos que afirmam que servem para manter os abduzidos sob controle, quando os ETs precisarem levá-los novamente.

Quer dizer que os implantes ainda não tiveram sua origem extraterrestre provada de fato? O problema é que todos os elementos no Universo são essencialmente os mesmos. Por isso, um implante, quando removido e analisado, demonstra ter componentes que conhecemos na Terra. A questão é se são feitos em nosso planeta ou não, mas isso é difícil. Assim, os ufólogos trabalham com a seguinte motivação: se um implante for encontrado em um abduzido, o importante é conhecer qual é sua utilidade, já que provar que é algo extraterrestre é muito difícil.

Os alienígenas entram em contato telepático com suas vítimas, antes do momento da abdução? Normalmente não. Entretanto, segundos antes de uma abdução a vítima fica completamente vulnerável, sem poder mover-se, correr, ligar para a polícia ou gritar. Quando os aliens decidem que vão abduzir alguém e escolhem quem será, nada que essa pessoa tente fazer os impedirá de cumprir com seu plano. Isso é feito através de algum tipo de manipulação neurológica à distância – telepatia. Aliás, toda a comunicação entre humanos e alienígenas dentro da nave acontece de forma telepática, assim como com os híbridos, mas com esses às vezes o diálogo pode ser também oral. Através da telepatia a pessoa abduzida diz receber uma espécie de “impressão” em sua mente, que automaticamente se transforma em palavras. O maior problema é que, na maioria dos casos, os abduzidos confundem o próprio pensamento com os pensamentos vindos dos alienígenas. Além disso, o processo de telepatia ainda é desconhecido. Nós não temos certeza de como os ETs o utilizam, nem mesmo se os implantes servem para ajudá-los em suas atividades.

O que as pessoas que foram abduzidas por aliens têm em comum?
Os abduzidos têm basicamente duas coisas em comum: são humanos e seu pai ou mãe já foram abduzidos. Somente! Não sabemos de mais nada em comum entre estas pessoas. E só saberemos quando tivermos recursos para aprofundarmos nosso trabalho. A pesquisa das abduções custa muito dinheiro, que não temos. É preciso muito investimento para levar os abduzidos a hospitais e fazer eles serem examinados detalhadamente por profissionais de várias especialidades, para que possamos comparar os resultados. É curioso entender a natureza global do fenômeno das abduções. Atualmente, pessoas de todo o mundo têm falado publicamente que estão sendo seqüestradas por ETs. São milhares delas afirmando tal coisa, e isso precisa ser urgentemente investigado.

Trabalhar com esse assunto deve ser difícil, especialmente para um professor universitário. Como a comunidade científica vê seu trabalho? Acho que esta questão pode ser respondida em dois níveis. Primeiro, como a comunidade científica vê os UFOs em geral e as abduções, e, em seguida, vê especificamente o meu trabalho. Bem, nos Estados Unidos, e provavelmente na maior parte do mundo, a maioria dos membros da tal comunidade científica acha que a Ufologia é um estudo ilegítimo, que UFOs são um assunto marginal, uma espécie de pseudociência. E isso ocorre porque uma das maiores falhas dos ufólogos neste meio século é não poder provar a origem extraterrestre dos UFOs, a legitimidade do fenômeno. Por analogia, a comunidade científica vê os pesquisadores de abduções – e o meu trabalho em especial – com certa antipatia. A maioria dos cientistas acha que os seqüestros alienígenas são um distúrbio fisiológico. Uns pensam que as abduções são ilusões que devem ser estudadas e tratadas, outros crêem que pessoas que aleguem ter sido raptadas por ETs são incuráveis. Eu acho que as abduções são absolutamente reais e devem ser compreendidas, para que todo o Fenômeno UFO seja entendido.

crédito: rosa dos tempos
\"A
A Vida Secreta: Um dos livros de Jacobs

Como se explicaria o que leva a maioria das pessoas a acharem que os alienígenas são bons, se quando eles nos abduzem causam pânico e demonstram insensibilidade? Essa é uma pergunta muito difícil de responder. Eu acho que nós temos que ver a situação de várias formas diferentes. Inicialmente, muitas pessoas que não conhecem o trabalho do ufólogo vêem os alienígenas como benevolentes e confiáveis. Por causa do movimento mundial do que se consagrou chamar de Nova Era, as pessoas aceitam cada vez mais facilmente que existem seres superiores, que são mais avançados do que os humanos em tecnologia. Mas, prendendo-se à essa idéia, muitos abduzidos crêem que tais seres sejam também superiores a nós espiritualmente. E acreditam que foram escolhidos para algum tipo de missão justamente por este tipo de ET. Quem vai querer viver com a idéia de que foi raptado por seres malévolos? E mais: estes abduzidos crêem que foram escolhidos porque são pessoas especiais. Não se vêem como partes de um experimento científico de seres avançados, no sentido clínico, mas sim como parte do que imaginam ser um grande projeto para ajudar a Terra, a Humanidade e seu futuro. Isso permite a eles pensar que não são vítimas da ação malévola de ETs, o que os envolve numa atmosfera diferenciada, confortável, que permite com que enfrentem suas experiências de um modo que faça sentido para eles. Isso sem falar que existem também procedimentos em que os alienígenas induzem nos abduzidos estímulos sexuais, sentimentos de afeição e até de amor.

Mas é possível que os ETs tenham boas intenções para conosco? É claro que isso é possível. Nós não saberemos ao certo que intenções são essas e para onde as mesmas vão nos levar até que conheçamos melhor o fenômeno das abduções. Temos a expectativa de que o plano que eles implementam aqui na Terra é benéfico para todos nós, que é maravilhoso e desejável que o executem. Mas não creio que deva ser essa a perspectiva a seguir. O que precisamos é conhecer este assunto em profundidade para que possamos ter exata noção de que papel desempenhamos nesse quebra-cabeça. Devemos, antes de qualquer coisa, lembrar que a abdução é um fenômeno que eles querem que seja secreto para nós. Os seres extraterrestres não desejam que saibamos o que eles fazem conosco, e tentam impedir que descubramos de todas as formas.

Nós conhecemos as raças de extraterrestres que nos abduzem? Alguns pesquisadores afirmam que várias civilizações estão abduzindo os humanos. Há um que disse que existem 247 diferentes espécies de alienígenas! Outros sugerem que há mais de 100 espécies vindo aqui. O problema com todos estes números é que não podemos prová-los, mas sim estimá-los através das lembranças conscientes e as resgatadas através da hipnose que os abduzidos são submetidos. Com tais relatos podemos fazer comparações entre os seres que seqüestram esta e aquela pessoa, agrupando-os por tipos físicos, comportamento entre si, como se relacionam com o abduzido, etc. Em geral, os ufólogos que se utilizam de hipnose conhecem quatro tipos básicos de extraterrestres: os altos e baixos do tipo greys [Cinzas], os que se assemelham a insetos, os que se parecem com lagartos, e os híbridos, que são conhecidos como nórdicos [Veja UFO 69].

Mas o ponto-chave da questão é: por que muitas vezes todos estes seres são vistos juntos dentro de uma nave. Será que todos trabalham com os mesmos propósitos, o de abduzir seres humanos? De acordo com meus estudos, não existem outros tipos de alienígenas seqüestrando-nos, além desses. Não há nenhuma outra civilização que faça isso. Mas eu acredito que esse grupo de quatro raças esteja desenvolvendo um programa de exploração fisiológica dos terrestres, em segredo. Acho ainda que este programa está mais ou menos no meio e terá um fim, quando, em minha opinião, veremos alguma forma de integração entre alienígenas e humanos. Essa é a minha conclusão, após quase 35 anos de pesquisas. E isso não me agrada nem um pouco.

Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO.

O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

LOGIN

Compartilhe essa entrevista:

Comentários