ENTREVISTA

Britânicos e americanos estão por trás do acobertamento desde a Segunda Guerra

Por Thiago Luiz Ticchetti | Edição 208 | Fevereiro de 2014

\"Para muita gente, ufólogo é aquele cara estranho que vive em um apartamento de quarto e sala cheio de revistas espalhadas pelo chão, livros, fotos e recortes de jornais pendurados pelas paredes. Ainda que isso possa ser verdade em alguns casos, na maioria das vezes os ufólogos são pessoas normais”. Com estas palavras o entrevistado desta edição, Nick Redfern, começou este diálogo — que, como o leitor verá, será marcante pela apresentação de ideias e de dados contundentes sobre o Fenômeno UFO.

Nicholas “Nick” Redfern,nascido em 1964 na cidade inglesa de Pelsall, em Staffordshire, é um escritor de sucesso, ufólogo e também criptozoologista, que estuda espécies animaislendárias,mitológicas, hipotéticas ou avistadas por poucas pessoas, o que também inclui o exame de observações de animais presumivelmente extintos. Atualmente vivendo em Dallas, no Texas, Redfern é extremamente ativo quando se fala no combate à política de sigilo ao Fenômeno UFO. Ele está na linha de frente de movimentos que denunciam que os governos ainda escondem documentos sigilosos sobre discos voadores.


O entrevistado examinou minuciosamente milhares de páginas liberadas pela Real Força Aérea e pelos Ministérios da Aeronáutica e da Defesa de seu país natal, principalmente os que continham relatos de avistamentos de UFOs durante a Segunda Guerra Mundial, tema de sua especialidade. Com isso, compilou um estudo de respeito que aponta que nossos visitantes extraterrestres intensificaram suas ações na Terra ao longo e logo depois do conflito. Aliás, sua ligação com o meio militar vem de seu pai, que era técnico de radares da Aeronáutica britânica e também o iniciou na Ufologia.

Cantor de rock

Antes de se tornar um pesquisador e escritor famoso, coisa que pouca gente sabe, Redfern era cantor de rock e começou sua carreira escrevendo para uma revista inglesa de moda chamada Zero, em 1981, onde aprendeu técnicas de redação jornalística, produção de publicações impressas e fotografia. Ele também trabalhou nos jornais Daily Express e Western Daily Press. “Só depois disso é que comecei a escrever artigos sobre Ufologia”, diz. Autor de vários livros que são best sellers na área, hoje o inglês naturalizado norte-americano é referência na Ufologia Mundial.

crédito: ARQUIVO UFO
\"O
O entrevistado é um dos ufólogos que mais penetrou no mistério dos homens de preto, concluindo que alguns são agentes espiões e outros, aliens

Entre seus livros destacam-se Cosmic Crashes [Quedas Cósmicas, Simon & Schuster UK, 2000], A Covert Agenda: The British Government’s UFO Top Secrets Exposed [Uma Agenda Oculta: Expondo os Mais Altos Segredos Ufológicos do Governo Britânico, Paraview Special Editions, 2004], The FBI Files [Os Arquivos do FBI, Simon & Schuster UK, 2000], e o mais recente e explosivo The NASA Conspiracies [As Conspirações da NASA, New Page Books, 2010]. É justamente com esta obra que Nick Redfern sacudiu a Ufologia Norte-Americana, expondo o que considera a verdade dos pousos lunares e de fotos censuradas pela agência espacial.


Já em Cosmic Crashes, que trata de quedas de UFOs na Grã-Bretanha, Redfern apresenta casos pouco conhecidos do leitor ou simplesmente desconhecidos, que investigou em seu país. O livro é citado por muitos ufólogos e leitores como um dos melhores já escritos sobre o tema. Nele, por exemplo, o entrevistado conta em detalhes um dos mais fantásticos episódios de acidente com discos voadores, que é conhecido como “O Caso Roswell de Welsh”. Outro tema muito abordado por Redfern em suas obras são os misteriosos homens de preto — poucos pesquisadores se aprofundaram tanto neste assunto quanto ele.

Informações de governos

Recentemente, o ex-agente da Agência Nacional de Segurança (NSA) Edward JosephSnowden, dos Estados Unidos, divulgou informações secretas que comprovam que o governo norte-americano espionou, ou ainda espiona, vários países, assim como grandes empresas internacionais e até presidentes, incluindo Dilma Rousseff. A revelação abalou o mundo, mas de forma alguma surpreendeu Nick Redfern, que já havia afirmado em outro de seus livros, On The Trail Of The Spies: UFOs and Government Surveillance [No Rastro dos Espiões: UFOs e Monitoração Governamental, Anomalist Books, 2006], que o governo britânico o investigou secretamente devido ao seu trabalho sobre o Fenômeno UFO. “Eu sei disso porque era amigo de pessoas de dentro da administração”.

Para o entrevistado, os governos mais poderosos do mundo gastam bilhões de dólares em espionagem — e muito desse black budget [Orçamento secreto] está voltado para a investigação de ufólogos e de testemunhas. Em outra revelação bombástica, Redfern disse que existe dentro do governo dos Estados Unidos, até hoje, um grupo de militares e membros de agências de inteligência investigando discos voadores há décadas. O mais surpreendente é que esse grupo trataria os UFOs como reais, mas não extraterrestres. O Collins Elite teria concluído que os alienígenas são entidades demoníacas tentando nos seduzir com a falsa promessa de elevada tecnologia alienígena para roubar nossas almas. Isso mesmo!

Os governos mais poderosos do mundo gastam bilhões de dólares em espionagem, e muito desse black budget está voltado para a investigação de ufólogos e de testemunhas. Existe dentro do governo dos EUA um grupos secretos estudando UFOs.

Os membros do Collins, segundo Redfern, afirmariam ainda ter evidências de que essas entidades demoníacas, que combinam tecnologia avançada com rituais arcaicos, encontraram uma maneira de sugar a alma humana. Espantosa afirmação, se verdadeira. “Mas eu garanto que é”, diz Redfern, parte de uma nova geração de ufólogos que não se contenta com as velhas explicações materialistas sobre o Fenômeno UFO e, ao mesmo como cético e meticuloso pesquisador, busca as respostas para os questionamentos que todos querem. Confira agora esta curiosa e reveladora entrevista.

Seu pai trabalhou na Real Força Aérea Britânica como operador de radares e foi testemunha de vários incidentes ufológicos, o que o levou a iniciá-lo na Ufologia. Poderia nos falar um pouco mais a respeito?
Sim, meu pai era técnico de radares militares no início da década de 50 e esteve envolvido em vários incidentes em que UFOs foram detectados pelos instrumentos quando estavam sobre o Canal Inglês e Mar do Norte. Ele me falava sobre esses eventos quando eu ainda tinha 13 anos, e foi a partir daí, mesmo com pouca idade, que me interessei pela Ufologia. Pouco depois, aos 17, deixei a escola para trabalhar com música e entretenimento, e acabei parando em uma revista de moda chamada Zero, onde comecei a redigir textos. Em seguida, decidi combinar meu interesse pelos UFOs com o jornalismo que aprendi na Zero e passei a escrever sobre o tema.

Conte-nos um episódio de avistamento ufológico que seu pai testemunhou.
Há um bem interessante, ocorrido em setembro de 1952, enquanto ele trabalhava na Base Aérea de Neatishead, em Norfolk. Na ocasião, os radares detectaram objetos voadores não identificados muito velozes e a grande altitude sobre o Mar do Norte e seus superiores pediram para ele checar se era algum problema técnico nos equipamentos, mas eles estavam funcionando normalmente. Aqueles artefatos jamais chegaram a ser identificados e foram detectados por três noites seguidas, e meu pai guardou este segredo por 25 anos. Depois soube que casos assim eram corriqueiros naquela época.

Grupo poderoso e secreto

Em seu livro Final Events [Eventos Finais, Anomalist Books, 2010] você entrou em um assunto polêmico. Nele você fala de uma poderosa sociedade secreta que teria informações dos serviços de inteligência de vários países e fora criada com a intenção de estabelecer um estado de sobrevivência para a reconstrução cristã do planeta. Como assim?
Eu entendo a surpresa, pois o livro conta uma estranha história sobre um grupo poderoso e secreto que existe dentro do governo norte-americano e que acredita que o Fenômeno UFO seja 100% verdadeiro. Entretanto, para este pessoal, seus tripulantes não seriam extraterrestres, mas literalmente demônios. Eles acreditam que, convertendo o mundo ao Cristianismo, mesmo que autoritariamente, poderão manter esses demônios longe da Terra. Pessoalmente, eu não creio nessa linha de pensamento, mas também não acredito que os seres que nos visitam sejam extraterrestres.

Você não crê que os seres que estão nos visitando em discos voadores sejam alienígenas? O que pensa que são, então?
Veja, todas as teorias lançadas para explicar os UFOs são apenas isso, teorias. Até que tenhamos uma sólida evidência que comprove a natureza daqueles seres com o que estamos lidando, não podemos afirmar com certeza sua origem. Mas, em termos de logística, eu acredito que a teoria que trata da natureza interdimensional ou multidimensional dos UFOs e ETs faça mais sentido. Para mim, alguma coisa que coexista conosco se preocuparia muito mais com o nosso planeta e com nossa espécie do que alienígenas de uma galáxia distante. Até a física quântica é a favor da existência de interdimensões e multidimensões.

E sobre a teoria de que os alienígenas seriam nós mesmos vindos do futuro, algo como o filme De Volta Para o Futuro [1983], o que pensa? Isso poderia explicar por que eles não interferem no presente do planeta, já que fazê-lo teria consequências no futuro?
Este conceito é bem interessante e eu o abordo em meu livro The Real Men in Black [Os Verdadeiros Homens de Preto, New Page Books, 2011]. Eu chamo estes personagens que nos acostumamos a chamar de homens de preto de “policiais do tempo”, isto é, eles ameaçam pessoas para que não interfiram no fenômeno ufológico, pois, com isso, não atrapalhariam o passado, presente ou futuro. Em outras palavras, eles zelariam para que o tempo transcorra normalmente, sem abalos.

crédito: Image Bank
\"Para
Para Nick Redfern, existe no Pentágono um grupo secreto investigando UFOs com forte inclinação religiosa, o Collins Elite

Voltando ao seu livro Final Events, mesmo sendo uma ficção, você usou nele dados reais, é verdade?
Não, o conteúdo do livro não é ficção. O grupo sobre o qual abordo no livro, conhecido como Collins Elite, estudou durante anos o Fenômeno UFO e concluiu que as naves são reais. Só que eles têm uma conclusão controversa a respeito delas, a de que seus tripulantes não são extraterrestres e sim demônios. São poucas pessoas que têm acesso a esta informação e acreditam nisso, mas o Collins Elite defende que tais entidades demoníacas estariam preparando o caminho para o Armagedom. Sei que soa estranho, mas é a informação que obtive de fontes muito sólidas dentro do governo norte-americano.

Quando e como este grupo tão secreto surgiu?
Ele teria sido formado no início da década de 50 por pessoas que trabalhavam no Pentágono, nos Estados Unidos. Começou de forma não oficial e depois se tornou forte e secreto, pesquisando o fenômeno por muitos anos. Eu acredito que muitos de seus membros ainda estejam ativos, mas não tenho como comprovar isso. E mesmo que não aceite essa teoria de que ETs são demônios, a história de como o grupo chegou a essa conclusão é fascinante.

E como foi que o Collins Elite chegou a essa intrigante conclusão?
Isso se deu por meio de um sistema de crenças. A maioria dos membros do grupo já tinha convicções religiosas muito fortes, e então era quase inevitável que chegassem a esse resultado. Mas eles também tiveram acesso a informações secretas sobre UFOs, nas quais descobriram que outros órgãos do governo dos Estados Unidos haviam concluído que seus tripulantes seriam extraterrestres. Em outras palavras, esses seres não querem pousar nos jardins da Casa Branca e nos ajudar, nem nos destruir — querem manter o “rebanho”, que é como nos veem, e com a nossa morte física pretenderiam extrair nossa força vital para se manterem. O Collins acredita que isso tem ocorrido desde o início da civilização humana e que a imagem de alienígenas está sendo usada desde então.

Como eles acham que podem combater esses supostos demônios?
Eles creem firmemente que o Cristianismo pode manter os demônios longe da Terra, e assim estaríamos protegidos.

A teoria que trata da natureza interdimensional ou multidimensional dos UFOs e ETs faz mais sentido. Alguma coisa que coexista conosco se preocuparia mais com o nosso planeta e com nossa espécie do que aliens de uma galáxia distante.

Este é um assunto bastante estranho, você há de convir. Tais descobertas soam realmente absurdas. Mas, por favor, como chegou a tais informações?
Foi através de um padre de Nebraska, Ray Boeche, que gostava de Ufologia e trabalhou na Mutual UFO Network (MUFON). Boeche me disse que em 1991 ele se aproximou disfarçadamente de um pessoal do Departamento de Defesa dos Estados Unidos que sabia da existência do grupo e de suas convicções. Eles estavam muito preocupados com essas implicações e o fato de o governo estar ciente e até ajudando o grupo. Foi a partir daí que comecei minhas investigações e descobri a existência do Collins Elite.

Conflitos internos

Há então conflitos dentro do governo entre grupos de investigação de UFO?
Sim. Da maneira como me disseram, há um conflito velado entre o Collins e os outros órgãos, digamos, mais ortodoxos de pesquisa ufológica — embora, é claro, todos eles sejam secretos e nada se divulgue de suas atividades. Mas se há brigas internas entre seus membros, isso eu não sei.

Entendo. Já que falamos em governo dos Estados Unidos, segredos militares e grupos de pesquisa secretos, pergunto: o que a NASA esconde de todo o mundo? Existe mesmo uma conspiração para se manter a verdade sobre a exploração espacial oculta, como você defende em outro livro?
Certamente. Eu creio que a NASA realmente esconde informações da sociedade, principalmente relacionada a UFOs, a exemplo dos avistamentos que os astronautas tiveram em voos espaciais. Também acredito que exista uma manobra de acobertamento sobre a real natureza da famosa formação conhecida como Rosto de Marte, que se encontrou na Planície Cydonia do Planeta Vermelho, que acredito ser uma estrutura artificial. No meu livro The NASA Conspiracies descrevi vários exemplos de como a agência especial está envolvida secretamente em investigações ufológicas, como o da nave que caiu na Bolívia em 1978. Aquilo foi real e tenho muitos dados sobre isso [Veja edição UFO 125, agora disponível na íntegra em ufo.com.br].

A versão oficial apresentada é a de que teriam sido partes de um satélite os fragmentos que caíram na Bolívia. Não foi o que realmente aconteceu?
Vários documentos sobre o caso do Departamento de Estado norte-americano, assim como da NASA e até da CIA foram liberados através da Lei de Liberdade de Informação (FOIA), e eles contam uma história diferente. O que se sabe hoje é que em algum dia do mês de maio de 1978 um tipo de objeto, descrito nos arquivos da CIA como sendo um artefato oval, caiu nas montanhas bolivianas, próximo da fronteira norte da Argentina. A NASA foi questionada na época, mas disse que não tinha perdido nenhum satélite ou espaçonave. Checamos com a Rússia, que afirmou o mesmo. Então, de quem seria? Ufólogos bolivianos e argentinos investigaram o ocorrido e estão certos de que se tratou da queda de uma nave.

Você tem ideia de como aconteceu o envolvimento da NASA neste caso?
O governo boliviano teria recolhido o objeto para análise e, para isso, pediu a ajuda da NASA. Aqui a história começa a se complicar. Alguns pesquisadores afirmam que a NASA foi à Bolívia, enquanto outros dizem que ela foi apenas contatada, mas que não foi ao país. Em minha opinião, houve um trabalho conjunto entre os dois governos — esse caso é importantíssimo, pois é o único envolvendo a queda de UFO em que temos os documentos, telegramas e ofícios confirmando que a NASA, a CIA e o Departamento de Estado estiveram envolvidos. Não há dúvidas.

Esse evento é realmente bem intrigante. Inclusive, o que pouca gente sabe é que o falecido ufólogo e jornalista Bob Pratt investigou e escreveu sobre o assunto.

Sim, a história é muito interessante. Quando as pessoas falam sobre quedas de UFOs, o primeiro caso que vem à mente é o de Roswell. Mas, na verdade, existem muitos casos de acidentes relatados na literatura ufológica, e para mim um dos mais obscuros foi da Bolívia. Veja bem, tivemos o envolvimento da NASA no episódio, o que não é pouca coisa. E temos isso confirmado por meio dos documentos liberados pela FOIA.

Mistérios de Marte

Como você também acredita, a NASA estaria igualmente envolvida no acobertamento de mistérios de Marte, como o tal Rosto de Marciano. Oficialmente, para a agência espacial, ele não passaria de uma construção natural em solo marciano. Mas qual é a sua opinião?
O que se sabe com certeza hoje é que a NASA está envolvida diretamente no monitoramento e pesquisa do Fenômeno UFO. Sobre Marte, a agência espacial também faz grande censura de informações, como as que garantem que o Rosto Marciano seja uma estrutura artificial. E não somente ela, mas muitas outras. Tenho contato com pessoas de dentro da NASA que têm acesso aos dados sobre isso e elas me dizem que haveria até seres vivendo em instalações subterrâneas no planeta. Eles seriam marcianos e estariam recolhidos em bases na crosta. Isso é algo que só poderemos confirmar mesmo se as autoridades falarem ou se alguma outra nação for até lá e provar tudo. Segundo minhas fontes, os marcianos refugiaram-se no subsolo após o planeta sofrer um cataclismo que destruiu sua atmosfera.

crédito: NASA
\"Para
Para o entrevistado, a NASA estaria ocultando informações sobre o chamado Rosto de Marte e também sobre vida no planeta

Nós mesmos também temos bases subterrâneas e secretas, tais como a Área 51 e as instalações de Montauk. Você pode elaborar sobre qual seria o propósito destas bases, todas em solo norte-americano?
Acho que nunca saberemos com certeza de tudo o que acontece nesses locais, e nem mesmo o quanto de desinformação já foi dada sobre eles para confundir a sociedade. Mas parece que o propósito dessas bases subterrâneas e secretas é estudar e duplicar a tecnologia contida em UFOs resgatados após acidentes. E a razão mais provável para isso é que os Estados Unidos pretendem usar essa tecnologia como armamento.

Podemos afirmar também que grandes companhias, tais como IBM e Lockheed, por exemplo, pesquisaram os destroços do UFO que caiu em Roswell em 1947, a convite do governo, como se comenta na Comunidade Ufológica Mundial?
Bem, acho que não podemos afirmar isso. A única pessoa que fez esse tipo de declaração foi o coronel Philip Corso e até agora não temos prova alguma para corroborar essa informação. Mais uma vez é preciso lembrar que precisamos de evidências do que falamos, assim como também temos que ter mais provas sobre Roswell.

De acordo com vários pesquisadores, o UFO que caiu em Roswell não tinha formato discoide, mas triangular. E coincidentemente, hoje, nossas aeronaves mais avançadas têm esse formato. Seria isso devido ao resultado de uma ação de engenharia reversa sobre a nave acidentada no Novo México?
Talvez. Mas não devemos nos esquecer de que o formato triangular é muito bom para a movimentação na atmosfera da Terra, pois oferece menos atrito com o ar. Já não podemos dizer a mesma coisa para o espaço, pois lá não há ar. Assim, não acredito em engenharia reversa na construção de aeronaves militares, pois tenho minhas
dúvidas quanto ao UFO de Roswell ser mesmo triangular.

Você escreveu o livro Cosmic Crashes detalhando supostos casos de quedas de UFOs na Grã-Bretanha, e um dos mais interessantes ocorreu durante a Segunda Guerra Mundial, que você descreve na obra. Pode nos falar mais sobre este caso?
É claro. Este é um caso pouco conhecido. Para você ter ideia, somente alguns pesquisadores — incluindo o falecido pioneiro Gordon Creighton, que foi editor da revista Flying Saucer Review — tem conhecimento dele. Quem levantou as informações foi uma jornalista norte-americana chamada Dorothy Kilgallen, e nas décadas de 80 e 90 eu entrevistei algumas famílias de militares ingleses envolvidos no caso. A história é sobre a queda de um UFO e o resgate de estranhos corpos, algo que teria ocorrido no norte da Inglaterra. Tudo o que foi resgatado foi levado para um bunker em Londres. Infelizmente, no entanto, apesar de bem interessante, é um caso com poucos dados.

Nossos visitantes não querem pousar nos jardins da Casa Branca e nos ajudar, nem nos destruir. O que eles querem é manter o ‘rebanho’, que é como nos veem, e com a nossa morte física pretenderiam extrair nossa força vital para se manterem.

O que essas famílias lhe disseram?
Resumidamente, informaram que seus parentes tinham sido instruídos a recolher e guardar destroços de uma estranha aeronave e de seus tripulantes. A Dorothy, que é uma celebridade por seus anos à frente do programa de TV What’s My Line, também afirmou que, quando pesquisava o caso inglês, uma pessoa do alto escalão do governo britânico lhe confirmou que outro UFO havia caído naquela mesma época em Spitzbergen, na Áustria, e que o caso foi investigado conjuntamente pelos militares ingleses e norte-americanos.

Você pode dar mais detalhes do acidente ocorrido no norte da Inglaterra?
Poucos, apenas, pois não existem muitos. O informante deste episódio teria sido o almirante-de-esquadra Louis Francis Albert Victor Nicholas Mountbatten, um lorde e primeiro conde Mountbatten de Burma. Alguns investigadores afirmaram que a real localização da queda foi no norte da Inglaterra, mas que se falou em outra em Spitzbergen para despistar o interesse dos inimigos britânicos e norte-americanos. Porém, esta pesquisa teve um fim trágico: em 08 de novembro de 1965, Dorothy foi encontrada morta em seu apartamento em Nova York. Segundo as investigações, ele teria falecido devido a uma combinação de álcool e remédios, mas suspeita-se que ela estava chegando perto demais da verdade e foi silenciada.

Espantoso. Entre os casos de acidentes de UFOs na Inglaterra, qual acredita ser o mais revelador?
Há um acontecimento muito interessante, datado de 1964, que chama a atenção. Naquele ano, um UFO triangular teria caído em uma floresta da localidade de Cannock Chase, no interior do país. Eu investiguei a fundo essa história e encontrei várias testemunhas muito sérias que me deram detalhes do ocorrido. O pesquisador Leonard Stringfield [Também falecido] descobriu mais informações sobre o episódio, inclusive a de que vários corpos alienígenas teriam sido retirados dos destroços do UFO.

Enigmáticos homens de preto

Mudando de assunto, o que o levou a escrever sobre os homens de preto?

Muitas coisas me levaram a isso, e conversando com pessoas sobre estes personagens, duas coisas ficaram claras para mim. A primeira foi que, mesmo dentro da comunidade ufológica, muitos acreditam que o mistério dos homens de preto está restrito apenas aos anos 50 e 60 e que eles não estariam mais em atividade hoje em dia. Entretanto, tenho em meus arquivos casos até do final de 2009. A segunda razão foi tentar desatrelar a ideia sobre estes personagens que as pessoas têm em decorrência da sequência de filmes estrelados por Will Smith e Tommy Lee Jones — os filmes são um bom entretenimento, mas, na verdade, esses obscuros agentes são muito mais estranhos do que se mostram no cinema. Os homens de preto chegam a se parecer com alienígenas, são medonhos, amedrontadores e nem um pouco humanos em vários aspectos.

O primeiro caso de homens de preto de que se tem notícia ocorreu no início dos anos 50. Eles teriam aparecido para um ufólogo chamado Albert Bender. Poderia nos contar mais sobre isso?

Naquela época, Bender criou um grupo chamado International Flying Saucer Bureau [Escritório Internacional de Discos Voadores, IFSB] em sua cidade natal, Bridgeport, no estado de Connecticut. Ele era uma pessoa incomum, que vivia no sótão da casa de seu padrasto e tinha um grande interesse por Ufologia e ciências ocultas. Seu grupo cresceu muito e atraiu bastante atenção, possibilitou que ele estreitasse laços com outros similares e pesquisadores ao redor do mundo, principalmente da Inglaterra e Austrália. Então, de repente, algo estranho ocorreu: Bender encerrou as atividades da IFSB e desistiu da Ufologia. Logo depois se soube que ele foi silenciado por três indivíduos vestidos com ternos pretos, que o alertaram sobre terríveis consequências se continuasse suas pesquisas — foi da vestimenta destes estranhos que surgiu o termo. Somente em 1962 Albert Bender retomou suas atividades ao escrever o livro Flying Saucersand the Three Men [Discos Voadores e os Três Homens, Paperback Library, 1968].

crédito: Ufo congress
\"Nick
Nick Redfern revela ter recebido influência dos conhecidos pesquisadores norte-americanos Ray Boeche

Outro pesquisador que escreveu sobre os homens de preto na década de 50 foi Gray Barker, que teria descoberto segredos inquietantes sobre o Fenômeno UFO. Você confirma?
Sim. Barker, assim como Bender, era um aficionado por Ufologia e ocultismo, além de filmes de terror e coisas do tipo. Pelos gostos similares, eles se tornaram amigos e Barker logo se interessou pelo caso de Bender, relatando-o em seu livro, They Knew Too Much AboutFlying Saucers [Eles Sabiam Muito Sobre Discos Voadores, Vignolia Press], de 1956, levantando pela primeira vez a possibilidade de que os homens de preto fossem agentes do governo. Entretanto, no livro de Bender os personagens são bem diferentes de seres humanos — são quase entidades sobrenaturais. Ele relatou que os “homens” se materializaram em seu quarto, tinham olhos esquisitos e brilhantes, além do poder de deixar Bender inconsciente.

Aparentemente, esta forma sobrenatural de homens de preto, que definitivamente não eram agentes governamentais, foi substituída pelas manifestações de uma entidade denominada Mothman, ou Homem-Mariposa, que protagonizou estranhos eventos na década de 60. Os fatos viraram inclusive o filme A Última Profecia [2002]. Como você vê a ligação entre estes homens de preto e o Mothman?
A ligação entre ambos é tão estranha quanto a saga de Bender na década anterior. A Última Profecia foi baseada no livro homônimo de John Keel e conta a história de uma criatura com olhos vermelhos brilhantes que foi vista em Point Pleasant. Mesmo com o nome de Homem-Mariposa, o ser não tinha uma forma definida, era uma silhueta com olhos grandes que assombrava pessoas e perambulava pela cidade — daí se pensar que seria a substituição dos homens de preto. No ápice dos avistamentos do estranho ser houve uma grande onda ufológica na região, além da manifestação de homens de preto, que faziam ameaças a testemunhas tanto de avistamentos ufológicos quanto de observação do Mothman.

Bebendo desinfetante

Dizem que o próprio autor do livro, John Keel, teve um encontro com homens de preto.
É como é. Esta é uma história muito bizarra, contada a mim pelo conhecido escritor e pesquisador Brad Steiger. Ele me disse: “Eu nunca escrevi isso em meus livros e me sinto um pouco desconfortável, mas, por outro lado, o que te direi realmente aconteceu”. Nesse momento eu gelei. “Keel me contou que recebeu a visita de três homens em seu apartamento, mas que eles não bateram na porta e sim simplesmente entraram através dela. Eles disseram para ele parar com a investigação dos Homens-Mariposa e dos UFOs se tivesse amor à sua vida”. John Keel era o tipo de pessoa que não temia nada, mas dessa vez ele tremeu de medo. E imagine que em um determinado momento da conversa entre ele e os três homens, os estranhos viram uma garrafa de Clorox e perguntaram o que era aquilo. Keel respondeu que era um desinfetante e eles pegaram a garrafa e a cheiraram. Para sua surpresa, ao invés de guardarem, cada um tomou um grande gole do líquido. Naquele momento Keel pensou: “Não estou lidando com agentes do FBI ou da Força Aérea. Esses caras não são humanos”. Fiquei estarrecido com a informação.

Chegamos a um ponto interessante desta entrevista. Em sua opinião, os homens de preto seriam agentes espiões do governo norte-americano, como alguns afirmam, ou seres extraterrestres?

Não há dúvidas de que pelo menos alguns deles são de agências secretas do governo, mas outros... Por exemplo, em meu livro The Real Men In Black eu cito vários casos, incluindo um dos Estados Unidos e outro da Inglaterra, em que pessoas tiveram contatos clássicos com esses personagens saindo de um carro preto, vestindo ternos e chapéus pretos e fazendo ameaças veladas às testemunhas. Já há outras ocorrências que têm um aspecto sobrenatural, quando os seres são descritos atravessando portas e paredes ou desaparecendo no ar, em frente às pessoas que assombram.

Existem contatados genuínos que tiveram interação com alguma coisa ou inteligência extraterrestre, mas que foram descredibilizados pelos governos. Ou, em outra ponta do processo, eles acabaram sendo usados por estes mesmos governos.

Há documentos sobre tais eventos?
Graças a leis de liberdade de informação de cada um desses países hoje temos os arquivos desses dois fatos. No caso inglês, os documentos identificaram os homens de preto como sendo da Real Força Aérea e do Serviço de Segurança ingleses. Estas entidades se envolviam em tudo naquelas décadas, desde casos de espionagem e contraespionagem até assuntos de segurança nacional. E no caso norte-americano os homens eram agentes do FBI. Portanto, alguns casos são realmente de pessoas de governos. Mas, como eu disse, há outros...

Seres com pele cor verde-oliva

Sim, outros que, como muitos acreditam, seriam aliens. O que você acha disso?

Por mais bizarro que possa parecer, a verdade é que a maioria dos homens de preto é muito estranha e age de forma bizarra — como no caso de Keel, em que tomaram Clorox, que eu acredito que foi para convencerem Keel de que não eram normais ou humanos. Por exemplo, muitos desses personagens são descritos como bem magros, quase com anorexia, tendo 1,5 m de altura, pele cor verde-oliva ou totalmente branca e olhos compridos. Além disso, teriam a capacidade de aparecer e desaparecer quando querem, literalmente. Tudo isso levou alguns pesquisadores a acreditarem que tenham origem extraterrestre.

Já se sugeriu que os homens de preto poderiam ser “policiais do tempo”, como falamos há pouco. Poderia comentar um pouco mais a respeito?
Pessoalmente, não acredito que eles sejam os chamados “policiais do tempo”. Entretanto, no mesmo livro que acabei de citar, The Real Man in Black, eu narro a entrevista que fiz com Joshua Warren, que realizou um trabalho muito bom e profundo sobre essa teoria. Warren mostra argumentos muito convincentes a favor dela, como, por exemplo, o de que os homens de preto estão sempre “deslocados” da realidade, ou seja, suas roupas e carros têm estilos das décadas de 50 e 60, embora eles se manifestem até nos dias de hoje.

Na década de 60, vários pesquisadores e escritores tentaram fotografar os homens de preto. Alguém teve sucesso?

Sim, há pelo menos dois casos em que eles foram fotografados. O primeiro foi relatado por dois famosos pesquisadores, Tim Beckley e Jim Moseley. Eles contam que lá pela década de 60 havia um ufólogo da cidade de Jersey chamado Jack Robinson, que era casado com Mary, e que, em 1968, ambos começaram a ter experiências um tanto esquisitas. Certa noite, ao chegarem em casa, perceberam que alguém havia entrado lá e mexido nas coisas de Robinson. No dia seguinte, Mary estava sozinha na residência quando olhou pela janela e viu um homem vestido de preto em pé na entrada de um prédio em frente ao seu espiando-a. Mary disse que seu olhar era como de um morto-vivo, sem brilho, e mencionou o fato a Beckley e Moseley após o homem estar no mesmo lugar por três dias seguidos. Os dois decidiram ir até lá em uma manhã para ver se pegavam o estranho ser em flagrante. E não deu outra: lá estava ele usando óculos escuros e terno preto, e Tim Beckley conseguiu fotografá-lo!

crédito: Governo da Bolívia
\"O
O entrevistado acredita que a NASA tenha participado do resgate de um UFO acidentado neste local da Bolívia, em 1978

Interessante, muito obrigado. Agora, mudando mais uma vez de assunto, gostaria de falar de seu livro ThePyramidsand the Pentagon [As Pirâmides e o Pentágono, New Page Books, 2012], no qual você apresenta fatos ao estilo Indiana Jones, mas reais. Na obra você mostra documentos que comprovariam que o governo dos Estados Unidos teria interesse em relíquias arqueológicas que comprovariam a famosa Teoria dos Antigos Astronautas. Como você os conseguiu? Qual o segredo?
Para falar a verdade, não há segredo. Eu utilizei a Lei de Liberdade de Informação (FOIA) para obter dezenas desses documentos. Por exemplo, a maioria das informações da CIA sobre Arca de Noé eu consegui dessa forma — a Arca não é boato nem lenda religiosa, mas fato pesquisado pela Agência Central de Inteligência. Muita gente ainda ignora o poder da FOIA, mas se você pesquisar bem e souber procurar, encontrará muitas coisas interessantes com o uso desta ferramenta.

Mas por que a CIA estaria envolvida em pesquisas dos Manuscritos do Mar Morto ou da Arca de Noé?
O interesse da CIA pela Arca de Noé — ou “Anomalia Ararat”, como é chamada no Pentágono, em referência ao Monte Ararat — é devido ao seu potencial estratégico, pois ela claramente foi construída alguma inteligência não terrestre. Existem pessoas no Pentágono que acreditam seriamente que a Arca seja, na verdade, um UFO que caiu no planeta, e não um barco. Mas, seja lá o que for, não há dúvidas de que a Força Aérea Norte-Americana (USAF) e a CIA estudaram o assunto por décadas. E quanto aos Manuscritos do Mar Morto, bem, sabemos que a agência tem grande interesse neles, mas a razão dele ainda é uma grande interrogação. Estou investigando.

Mistérios de Marte

Você também entrou na área dos chamados contatados. Quando fez isso, muita gente pensou que seus estudos sobre as experiências dessas pessoas seria algo requentado, mas o livro mostra que você pesquisou o tema a fundo e oferece novas revelações sobre elas.
É verdade, esse era meu objetivo. Eu acho que quando lidamos com casos históricos, como esses, devemos apresentar muito mais informações sobre eles do que dispúnhamos antes. Neste meu livro, Contactee: A History of Alien-Human Interaction [Contatados: Uma História da Interação Aliens-Humanos, Career Press, 2009], eu procurei mostrar como essas pessoas foram vigiadas de perto pelo FBI ao longo das suas sucessivas vivências, alegadamente com seres extraterrestres. Este foi o caso de Howard Menger, de Nova Jersey, por exemplo, que nos anos 50 alegava estar em contato direto com outras inteligências cósmicas [Veja edições UFO
Especial 074 e 075, nas bancas].

Existem evidências do envolvimento de militares com contatados, conforme algumas fontes, para utilizá-los para desinformação. Está correto?

Isso mesmo. Esse é o tipo de informação que mostrei em Contactee: A History of Alien-Human Interaction, ou seja, o fato de que vários contatados foram observados pelos serviços e agências de inteligência, braços do governo. Muitas vezes tais órgãos e seus agentes ridicularizaram essas pessoas, tornando-as loucas ou sem credibilidade perante a sociedade.

Há muita coisa estranha em tudo isso comprovando que alguns casos são de fato reais, como, por exemplo, anomalias físicas e paranormais manifestadas pelos contatados genuínos. O que você pensa a respeito?
Eu acredito que existem contatados genuínos que tiveram interação com alguma coisa ou inteligência extraterrestre, mas que foram descredibilizados pelos governos. Ou, em outra ponta do processo, foram usados pelo mesmos governos para se descobrir algo sobre o Fenômeno UFO.

Sobre isso você afirma que, de acordo com documentos oficiais datados desde o século XIX até os dias de hoje, várias agências de inteligência norte-americanas investigam os fenômenos anômalos. Como substancia isso?

De acordo com meus estudos, agências de inteligência, como CIA, MI5, NSA e KGB, realizaram investigações secretas de casos ufológicos e paranormais. O que escrevi sobre esse isso está tudo baseado em documentos oficiais — até mesmo os assuntos mais bizarros de que trato são tacitamente baseados em documentos liberados pelo governo dos Estados Unidos por meio da FOIA, assim como pelo governo britânico através da Lei dos Trinta Anos. Um dos fatos mais estarrecedores que descobri é que tanto os Estados Unidos quanto a Inglaterra têm investigado criteriosamente os misteriosos agroglifos há anos — o MI5, por exemplo, a agência de inteligência inglesa, investigou dezenas de casos destas misteriosas formações em plantações entre 1940 e 1943, pois o governo acreditava que era algum tipo de mensagem deixada para orientar pilotos alemães. Até hoje seguem investigando os agroglifos.

Você também se especializou em pesquisar casos ufológicos históricos nos arquivos ingleses. Qual foi o documento mais antigo que você encontrou neles?

Existem muitos registros antigos nos arquivos ingleses e um deles, talvez o mais antigo, é o avistamento de uns marinheiros em 1830. O relatório do episódio foi escrito pelo capitão James Stockdale, do navio Rob Roy. Ele e seus homens tiveram um incrível encontro com um UFO próximo à Ilha de Santa Helena, em 09 de maio. Segundo Stockdale, por volta das 17h00, ele estava no deck da embarcação quando viu as águas do oceano espumarem e delas sair uma “enorme serpente marinha”, como a descreveu, com mais de 50 m de comprimento. Todos os marinheiros, cerca de 40 homens, viram a aparição.

Para finalizarmos a nossa entrevista, gostaria de tratar de um assunto igualmente histórico. Muito se fala que, durante a Segunda Guerra Mundial, tanto as Forças Aliadas quanto os nazistas tentaram construir discos voadores. Você crê nisso?
Existem realmente muitos rumores sobre isso. Vários documentos do FBI citam essas informações na forma de interrogatórios de pessoas da Luftwaffe, a força aérea nazista. Em outros documentos, datados de 1947, vários agentes do FBI disseram-se convencidos de que os UFOs eram produto de um programa secreto dos Estados Unidos desenvolvido a partir de uma aeronave em formato de disco voador que havia sido construída pelos alemães. Mas ainda há muito que esclarecer sobre esses fatos.