ENTREVISTA

A verdade sobre os encontros de presidentes americanos com aliens

Por Luciano Vidotto | Edição 229 | Dezembro de 2015

Teorias conspiratórias envolvendo governos, grandes corporações bélicas e extraterrestres não são novidade para quem pesquisa ou se interessa por Ufologia. Há décadas se diz que os Estados Unidos possuem bases subterrâneas secretas, onde experimentos de toda a sorte são conduzidos por seres de outros planetas, tendo nossa espécie como cobaia. Talvez a mais famosa dentre as instalações subterrâneas seja aquela que ficou conhecida como Base Militar de Dulce, que se situaria na divisa entre os estados norte-americanos do Novo México e Colorado. A história sobre Dulce e sobre as horríveis experiências que ali seriam conduzidas surgiu em 1979, quando Paul Bennewitz, um morador da cidade de Albuquerque, no Novo México, alegou estar interceptando comunicações eletrônicas vindas de naves alienígenas. Em 1980, ele disse ter descoberto uma base subterrânea perto da cidade de Dulce, no estado do Novo México.

Mas qual seria a verdadeira origem de histórias como as de Dulce? Por que as pessoas começaram a acreditar, e a afirmar com toda certeza, que existem bases subterrâneas, que há um contrato firmado entre o governo dos Estados Unidos e algumas espécies alienígenas, e que eles são nocivos aos seres humanos? Embora possa parecer que tudo isso não passa de um enredo de ficção científica, a verdade talvez seja outra. Segundo vários pesquisadores e informantes, realmente houve um acordo firmado entre o governo norte-americano e espécies de outros planetas, no qual os alienígenas nos forneceriam tecnologias muito mais avançadas do que aquelas que possuíamos, em troca da permissão de nos usar como cobaias para experimentos genéticos — incluindo abduções alienígenas. E como tudo dentro da Ufologia, também aqui encontramos discordâncias.

Um ou vários contratos?

Alguns pesquisadores alegam que o primeiro acordo foi firmado em 1954, entre o presidente Dwight D. Eisenhower, conhecido pela alcunha de “Ike”, e alienígenas do tipo grays [Cinzas]. Outros alegam que o encontro de Ike com os extraterrestres em 1954 foi, na verdade, apenas a renovação de uma combinação feita em 1934, pelo então presidente norte-americano Franklin Roosevelt. Seja como for, muitos acreditam que esses pactos foram, na verdade, uma rendição, já que, concordássemos ou não, os alienígenas estavam aqui, eram infinitamente superiores a nós em termos tecnológicos e poderiam invadir o planeta de forma muito mais aberta caso os contratos não fossem feitos. Uns dizem que foi o encontro de Eisenhower com os grays o fato definitivo para que as experiências com humanos começassem a acontecer.

crédito: JING POHW
A entrevistada relata que, no encontro de Eisenhower com ETs, em 1954, estes lhe pediram o banimento de todas as armas
A entrevistada relata que, no encontro de Eisenhower com ETs, em 1954, estes lhe pediram o banimento de todas as armas

É fato que a primeira abdução de que se tem notícia aconteceu em 1961, com o casal Barney e Betty Hill, nos Estados Unidos. Desde então, milhares de pessoas denunciaram terem sido abduzidas e as mutilações em animais se multiplicaram. Obviamente, sempre houve ataques a animais, mas nada parecido com o tipo de ferimentos e com as características que as mutilações descobertas a partir dos anos 60 apresentaram. Outro ponto a se destacar é o crescimento, a partir da metade dos anos 50, do complexo militar-industrial que, com o passar dos anos, acabou por tirar o poder da mão do presidente e das forças armadas, transferindo-o para as grandes corporações armamentistas, de capital privado — muitos dizem que isso se deu justamente pela entrada da tecnologia extraterrestre e que hoje não é mais o governo, mas as grandes corporações, que participam e controlam as ações dos alienígenas em relação à humanidade.

Nossa entrevistada desta edição conhece como ninguém os assuntos que mencionamos acima. Não apenas porque há anos se dedica a estudá-los, mas por sua proximidade com o ex-presidente Eisenhower, de quem é bisneta. Laura Magdalene Eisenhower Mahon enfrenta esses e outros temas espinhosos e polêmicos com tranquilidade e sem fugir das perguntas que lhe são feitas. Para ela, “só falando a verdade podemos ter esperanças de mudar o rumo dos acontecimentos”. Mas engana-se quem pensa que as pesquisas de Laura se concentram apenas em seu famoso avô. Palestrante internacionalmente reconhecida, ela viaja o mundo denunciando os planos do governo oculto, as agendas secretas que visam transformar o planeta de maneira não benéfica para a humanidade e ensinando as pessoas a se protegerem contra as influências negativas que nos são lançadas diariamente. Esteve no Brasil ainda neste ano, participando com destaque do III Fórum Mundial de Contatados, em Porto Alegre.

Sem medo da verdade

Laura tem especialização em psicologia e ecologia, pratica misticismo e metafísica, e ainda trata e aconselha pessoas há mais de uma década. Sua filosofia foca a mudança interna e a elevação dos pensamentos como forma de proteção individual e também de auxílio ao planeta. “Quanto mais pessoas se elevarem, mais difícil ficará para que entidades extraterrestres negativas consigam nos dominar”, explica. Em suas pesquisas, nossa entrevistada se deparou com informações assustadoras sobre as experiências que estariam sendo feitas em bases secretas envolvendo, além da criação de híbridos humano-extraterrestes, a concepção de quimeras e de outros seres horripilantes. São relatos que parecem saídos de um filme de terror: “Eles usam glândulas e vísceras tanto humanas quanto de animais para se alimentarem. Fazem algum tipo de caldo que passam na pele, que é por onde absorvem os nutrientes”.

Segundo Laura, a ação das espécies negativas é muito mais profunda do que podemos imaginar e envolve viagens no tempo e alteração de linhas temporais, modificando os rumos que determinados fatos naturalmente tomariam — em outras palavras, os grays controlariam o curso dos acontecimentos, de forma a se beneficiarem deles. Outro aspecto do controle que os seres teriam sobre a humanidade diz respeito à mídia. Ele alega que “eles têm pessoas colocadas em pontos estratégicos da mídia e em todas as esferas do governo oficial que, em conjunto com o governo oculto, promovem um programa de hipnose coletiva, retirando das pessoas a capacidade de reação”. Dessa forma, conseguem aprovar leis e projetos que não são de interesse das populações. “Conseguem fazê-lo porque a população está anestesiada”. Outro ponto polêmico de sua entrevista diz respeito às viagens a Marte. Laura Magdalene Eisenhower Mahon afirma que foi uma das pessoas convidadas para fazer parte de um projeto chamado Alternativa 3, que se proporia a criar colônias no Planeta Vermelho. Todas essas revelações e muitas outras são explicadas e pormenorizadas na entrevista que acompanharemos a seguir.

Pode nos falar um pouco sobre você e sobre sua área de atuação?
Claro. Eu sou pesquisadora e uma denunciadora da agenda oculta sobre Marte. Sou também alquimista, metafísica e astróloga. Especializei-me em Exopolítica, História Antiga e tenho graduação em ciência e certificações em liderança em expedições na selva e curas naturais. Gosto muito do que chamo de “alquimia global”, porque ela está realmente focada na transformação da liderança humana — ela incorpora todas as outras coisas que faço e é parte do trabalho para inspirar pessoas a ajudarem na transformação de nosso planeta e de nossa forma de viver. A alquimia global nos convida a fazermos um esforço interior e a nos tornarmos mais conscientes e alertas. Também nos encoraja a sairmos dos sistemas de controle e programação em que vivemos para, então, podermos aprimorar nosso DNA e nos expandirmos nas energias superiores da Terra.

Quanto mais pessoas se elevarem, mais difícil ficará para que entidades extraterrestres negativas consigam nos dominar (...) Elas têm pessoas em pontos estratégicos da mídia e em todas as esferas do governo oficial, que operam em conjunto com o governo oculto.

Em suas declarações você menciona que suas investigações a levaram a algo muito maior e mais complexo do que a simples informação sobre o tema extraterrestre. O que seria esse “algo muito maior”?
O que eu chamo de “algo muito maior” está ligado às agendas ocultas dos governos, ao complexo militar-industrial e a todas as razões de sempre ter havido segredo em relação aos extraterrestres. Também está ligado a todos os casos relacionados a guerras galácticas mais profundas e às muitas espécies de alienígenas que nos visitam, sobretudo àquelas que são de natureza negativa e que estão interagindo diretamente com os governos. E também sobre quais as espécies de extraterrestres benevolentes que estão aqui para nos auxiliar.

Você já teve algum contato com extraterrestres?
Eu tive uma experiência com um grupo de alienígenas benevolentes. Eles eram luminosos e carecas e eu acredito que eram arturianos [Provenientes de Arcturus, estrela mais brilhante da constelação do Boieiro ou Pastor, a 37 anos-luz de distância da Terra]. Os seres me pediram para olhar através de um visor, o que me revelou linhas de tempo e um futuro positivo para os humanos que, me disseram eles, eu poderia ajudar a criar. Tinha a ver com a janela de tempo na qual estamos atualmente. Eles me disseram também que pessoas tentariam me destruir e me levar para longe, mas que era para eu ficar forte em minha verdade e naquela visão de futuro. Minha missão era sobre a criação de um futuro melhor.

Em seus estudos sobre as energias profundas, o que mais a impressionou?
O poder que temos para criar a nossa realidade e o fato de sermos capazes de aprimorar nosso DNA por meio da expansão de nossa consciência. Tudo isso se relaciona aos portais estelares naturais da Terra e à janela periódica em que estamos, chamada de “Ciclo de Ativação Estelar”, também conhecida como ascensão. Estamos em um planeta multidimensional começando a reconhecer o nosso potencial maior e o que está verdadeiramente disponível para nós.

Durante décadas tem havido fortes rumores e muita polêmica envolvendo o nome de seu bisavô, o presidente Dwight Eisenhower, em supostos encontros com ETs em bases militares dos Estados Unidos. Esses encontros realmente aconteceram?
Sim. O primeiro contato entre Eisenhower e povos de outros planetas ocorreu na Base Aérea de Edwards, na Califórnia, que na época era chamada de Campo Aéreo de Muroc, em 20 ou 21 de fevereiro de 1954. Alguns pesquisadores dizem que o encontro teria acontecido na Base Aérea de Homestead, no estado da Flórida, mas a maioria aponta a Califórnia como sede do encontro. E o segundo contato supostamente ocorreu na Base Aérea de Holloman, no estado do Novo México.

crédito: USAF
Parte da Base Aérea de Edwards hoje, cenário do encontro de Eisenhower com uma delegação de seres extraterrestres nórdicos
Parte da Base Aérea de Edwards hoje, cenário do encontro de Eisenhower com uma delegação de seres extraterrestres nórdicos

Qual foi a sua reação ao ouvir, pela primeira vez, sobre os encontros de seu bisavô com seres extraterrestres e com que idade você iniciou suas investigações sobre o assunto?
Eu era apenas uma criança quando ouvi pela primeira vez estes rumores. Eu estava na fila do supermercado e vi a manchete em um tabloide sensacionalista chamado Weekly World News. Esses jornais são conhecidos por compartilhar histórias que supostamente devem soar como sérias, mas são cômicas e feitas para rir. Mas quando vi a notícia, eu sabia que havia alguma verdade naquilo e comecei a ficar curiosa — mas nada aconteceu até que mais tarde comecei a aprofundar as minhas pesquisas.

Você saberia dizer com que espécie extraterrestre se deu o primeiro contato na base de Edwards?

O primeiro encontro na base de Edwards, supostamente, foi com os seres do tipo nórdico [Altos, loiros e com olhos claros] como os pleiadianos descritos por muitos contatados. O segundo teria sido com os extraterrestres do tipo grays [Cinzas], já na Base Aérea de Holloman. Não houve acordo com os nórdicos, e por isso houve um segundo encontro com os cinzentos.

Por que o acordo não foi firmado?
Na reunião na base de Edwards, os seres nórdicos afirmaram que nós estávamos a caminho da autodestruição e que, portanto, tínhamos que parar de nos matar uns aos outros, de poluir e de aniquilar os recursos naturais da Terra. Além, claro, de aprendermos a viver em harmonia. Eles se propuseram a nos ajudar a evoluir como espécie, mas exigiram que destruíssemos todo o nosso arsenal atômico, o que não foi considerado como sendo do interesse dos Estados Unidos.

Qual é sua opinião sobre a negativa por parte de seu bisavô de eliminar as armas nucleares?
Bem, aqueles eram os tempos da Guerra Fria e os soviéticos também tinham armas atômicas. Portanto, dá para entender porque o presidente foi desaconselhado por seu Estado-Maior a recusar o acordo. E também havia o fato de não conhecermos aqueles seres e não sabermos se podíamos confiar neles, acreditar no que nos falavam — destruir nossas armas significava destruir nossa única forma de defesa, caso eles próprios quisessem nos atacar.

O primeiro contato entre Eisenhower e povos de outros planetas ocorreu na Base Aérea de Edwards, na Califórnia, que na época era chamada de Campo Aéreo de Muroc, em 20 ou 21 de fevereiro de 1954. Ali teve início uma série de diálogos com ETs.

Alguma outra espécie extraterrestre esteve presente aos encontros?
Dizem que foram ao menos quatro os grupos de extraterrestres envolvidos naquelas reuniões: os nórdicos, os grays, um grupo humanoide diferente, sendo alguns deles com pelo menos 3 m de altura, e uma espécie reptiliana. Mas há muito pouca informação e menos ainda confirmações sobre todas estas afirmações...

Além de Eisenhower, quem mais esteve presente ao encontro?
Segundo vários pesquisadores, ademais de pessoas do governo e das forças armadas, havia quatro representantes da sociedade civil presentes. Eram eles Gerald Light, um cientista cujo nome não sabemos, Edwin Nourse e James Francis MacIntyre, bispo e chefe da Igreja Católica em Los Angeles. MacIntyre era o representante do Vaticano e havia sido apontado, em 1952, pelo Papa Pio XII, como o primeiro cardeal do oeste dos Estados Unidos. Também estava presente Franklin Winthrop Allen, um jornalista bem conhecido e ex-repórter do The Hearst Newspapers Group.

Qual foi o propósito dos encontros na base de Edwards?
Segundo William Cooper [Informante morto em 2001, que alegava ter servido na Força Aérea, na Marinha e na Inteligência Naval dos Estados Unidos até 1975], o grupo dos nórdicos nos alertou contra os grays e se ofereceu para nos ajudar em nosso desenvolvimento espiritual. E, como já disse, exigiu que destruíssemos nossas armas nucleares. Por outro lado, se recusaram a disponibilizar sua tecnologia, dizendo que éramos espiritualmente incapazes até mesmo para lidar com aquilo que já tínhamos — eles acreditavam que iríamos usar qualquer nova tecnologia para nos destruirmos.

Quantos acordos foram feitos com os extraterrestres?
Aquele acordo na base de Edwards, em particular, não se originou com Eisenhower, como mencionado anteriormente, uma vez que o primeiro deles, que ficou conhecido como Tratado de Granada, foi assinado em julho de 1934, na administração do presidente Franklin Roosevelt. O tratado devia ser renovado a cada 10 anos e, portanto, o encontro de 1954, o terceiro deles, foi apenas a confirmação do acordo anterior. Os encontros de 1944 e 1964 foram confirmados por algumas fontes.

Os acordos de Roosevelt e de Eisenhower foram feitos com quais espécies extraterrestres?
Cooper, que se aprofundou nisso, afirmava que os acordos foram feitos com os cinzas altos e que a possibilidade de que fossem seres humanos clonados era algo que também devia ser levado em consideração [Veja extenso artigo de Milton Cooper em UFO 10, agora disponível na íntegra em ufo.com.br]. O papel que aqueles seres desempenharam foi o de diplomatas e Cooper, como assessor da Inteligência da Marinha, alegava ter visto documentos classificados mostrando que negociaram acordos com a administração de Eisenhower no início de 1954.

crédito: GERN SMITH
A entrevistada alega que humanos foram transportados a Marte por meio de máquinas de desmaterialização e rematerialização
A entrevistada alega que humanos foram transportados a Marte por meio de máquinas de desmaterialização e rematerialização

Você pode nos contar quais foram os termos do acordo feito com os alienígenas?
Cooper afirmava que o Governo dos Estados Unidos se comprometeu a permitir que pessoas fossem abduzidas sob a condição de que não fossem maltratadas e que retornassem em segurança, sem lembranças dos incidentes. Em troca, o governo receberia dos alienígenas uma tecnologia altamente evoluída. Outra parte do acordo feito na base de Edwards foi a troca de embaixadores. Um dos extraterrestres que ficaram aqui era um ser reptiliano de nome “Krill”, vindo do sistema estelar de Typhon, na Constelação do Dragão. O outro, que por muitas vezes era chamado de “J-Rod”, era um dos extraterrestres chamados de “zetas”, provenientes da Constelação de Zeta Reticulum, que se acredita serem de descendência humanoide. Quanto às outras raças, provenientes das Constelações de Órion e da estrela Ursa Maior, acredita-se que sejam de espécie reptiliana.

De onde veio a confirmação do encontro de Eisenhower com os extraterrestres na base de Edwards?
Segundo a pesquisa feita pelo investigador Michael Salla, pioneiro no desenvolvimento da Exopolítica [Consultor da Revista UFO], a confirmação de um primeiro contato veio do filho de um ex-comandante da Marinha, que afirmou que seu pai, Charles Suggs, estivera presente naquele encontro. Outro informante, John Lear, filho de William Lear, o famoso criador da empresa Lear Jet, confirma o primeiro contato e alega que ele envolveu uma raça extraterrestre que foi rejeitada em razão da sua posição e princípios a respeito da transferência de tecnologia.

Você acredita que Eisenhower tinha a intenção de aceitar os termos e fazer o acordo com os seres nórdicos no primeiro encontro?
De acordo com Gerald Light, aparentemente o presidente teve a intenção de aceitar a oferta apresentada por eles. Porém, as preocupações do Departamento de Defesa, em tempos de Guerra Fria, o pressionaram a mudar de ideia — os interesses de guerra venceram, por um tempo, os desejos de Eisenhower pela paz mundial. Outro pesquisador, Jim Nichols, afirmou que por volta de 1955 Eisenhower percebeu que havia sido enganado com o combinado. Apesar disso, o tratado alienígena resultou em poderes para a indústria de armamentos, que, em conluio com o serviço de Inteligência, superam a autoridade tanto do presidente quanto da Constituição dos Estados Unidos. Vendo a ameaça iminente do complexo militar-industrial, Ike alertou o país ao deixar a presidência, em 1961, dizendo em seu discurso de despedida nas Nações Unidas: “Dentro dos conselhos do governo, temos que vigiar a aquisição de influência indevida, seja ela ou não solicitada, pelo complexo militar-industrial”.

Em algum momento Eisenhower teve planos de comunicar à Nação sobre seus encontros com os extraterrestres, como estes aí?
Light acreditava que o presidente planejava fazer uma declaração oficial ao país, mas tal anúncio nunca foi feito. Outras pessoas também falaram que era intenção do presidente contar a verdade, porém isso também acabou sendo descartado.

No encontro, os nórdicos nos alertaram contra os grays e se ofereceram para nos ajudar em nosso desenvolvimento espiritual. Mas exigiram que destruíssemos as nossas armas nucleares. Por outro lado, se recusaram a disponibilizar sua tecnologia.

Durante o III Fórum Mundial de Contatados, em maio passado, em Porto Alegre, você mencionou uma cápsula do tempo que conteria informações cruciais sobre os extraterrestres. O que você pode nos falar sobre isso?
Bem, esta cápsula foi colocada na fazenda da família, em Gettysburg, no estado da Pensilvânia, por Eisenhower. Dentro dela haveria explicações sobre aquilo que ele não pôde revelar durante a Presidência e, também, sobre como ele realmente se sentia a respeito daqueles com quem estava trabalhando — ela só deverá ser aberta em 2050.

O pesquisador e ex-militar Robert Dean atuou por 28 anos no Exército Norte-Americano, serviu durante quatro anos no Quartel-General das Potências Aliadas na Europa e considera as visitas dos extraterrestres à Terra amigáveis, declarando que teve acesso a um documento chamado de Avaliação. O que você sabe sobre esse documento?
Eu não sei muito sobre o documento, mas ouvi falar dele, que trataria dos diversos tipos de civilizações extraterrestres visitando a Terra. Veja, eu não concordo que elas sejam todas amigáveis — algumas são, outras não, vai depender de como você as vê, de como você as interpreta. Existe uma agenda extraterrestre maligna que está relacionada com tratados feitos entre o Governo dos Estados Unidos e facções de alienígenas dos tipos “anunnaki” e “dracorreptilianos”, que invadiram o nosso planeta há milhares de anos. Mas também há muitas espécies de benevolentes nos ajudando, que estão refazendo contatos com alguns de seus representantes na Terra para estes nos entregarem mensagens importantes. É fundamental entender que nem todos os visitantes que aparentam ser de luz são positivos. O discernimento é importante para que você não seja manipulado.

Em dezembro de 1953, o Estado-Maior das Forças Armadas dos Estados Unidos publicou uma diretiva tornando crime de contraespionagem, punível com pena de até 10 anos de prisão e multa de 10 mil dólares, para qualquer militar que viesse a revelar informações secretas sobre UFOs. Você tem conhecimento de algum caso e que alguém foi ameaçado por revelar informações relacionadas aos UFOs e extraterrestres?

Recentemente, muitos médicos que falaram a verdade sobre certas vacinas distribuídas nos Estados Unidos morreram inexplicavelmente. Um deles, dentro do círculo de pessoas que conheço na comunidade ufológica, foi o doutor Fred Bell, cuja morte ocorreu em 2011, apenas dois dias após se encontrar com Jesse Ventura, em seu programa Conspiracy Theory. Eles falaram sobre a tecnologia do chamado Raio da Morte, que seria baseada nos estudos de Nikola Tesla — dizem que o raio é capaz de destruir a matéria e estariam sendo construídos armamentos com ele para uso em futuras guerras.

Há alguma evidência que fundamente essas afirmações?
Há indícios fortes. Na abertura do programa, por exemplo, Bell foi identificado como um cientista da Agência Espacial Norte-Americana (NASA) que trabalhou na área de foguetes e ajudou a desenvolver o raio. Também foi explicado como ele age para o coração das pessoas, acusando mortes por causas naturais, já que provoca uma parada cardíaca. Muitos acreditam que foi isso que aconteceu com o cientista. Bell também fazia parte do Projeto Bluebird [Pássaro Azul], que expôs todos os tipos de coisas relacionadas a UFOs ao longo de sua carreira. Outras pessoas, como David Wilcock, falam sobre estarem sendo perseguidas e muitos de nós de fato recebemos ameaças de morte.

crédito: NIRVANA IMAGES
Seres altamente avançados, mas também igualmente espiritualizados, estariam em contato com a Terra para seu aprimoramento
Seres altamente avançados, mas também igualmente espiritualizados, estariam em contato com a Terra para seu aprimoramento

Michael Prince, ex-agente do Serviço Secreto Britânico, afirmou que Roosevelt fez um acordo com os grays em 1934, ficando estabelecido que, em troca de tecnologia, os ETs podiam abduzir seres e animais, não apenas nos Estados Unidos, mas em todo o planeta. Também tinham autorização para usarem bases secretas e fazerem as suas experiências genéticas nos abduzidos. O que pensa desta afirmação?
Correta. Eles fazem experiências de todos os tipos, são uma raça de “trabalhadores” e na maioria das vezes estão sob o controle de seres reptilianos e de militares, que os têm clonado para usá-los em um programa chamado Controle Mental Militar e Abduções Alienígenas [Military Mind Control and Alien Abduction, ou Minilabs]. Eles colocam implantes nas pessoas para se comunicarem com elas — também retiram fluido de suas colunas e esperma para criarem híbridos de humanos e extraterrestres, e também implantam fetos no útero das mulheres, fazem experiências genéticas e cruzam genes humanos com o de animais.

Qual o propósito dessas experiências?
Seus responsáveis têm vários projetos para a criação de “escravos humanos”, treinamento de assassinos e a concepção de um tipo de super soldado. Eles colocam pessoas em posições de poder, como na indústria do entretenimento e na política, para que possam controlar as massas por meio delas. Muitos grays pegam nosso material genético para ajudá-los a salvar sua própria raça, que está em extinção. O material coletado é utilizado em linhas de tempo futuras, na tentativa de se salvarem. Também estão ocorrendo a colheita da alma e a adulteração de nossa “kundalini”, a nossa força vital.

O que você sabe sobre este sinistro processo de hibridização entre nós e eles?
ETs desenvolveram esse programa para conseguirem voltar a viver na Terra. E, uma vez que perderam a capacidade de se reproduzirem, contam com aqueles que abduzem para que os híbridos nasçam e vivam entre nós. É uma forma de evitar que a sua espécie morra e de manter vivos os genes alienígenas, ainda que misturados aos humanos. Isso deve ter grande significado para os extraterrestres, uma vez que eles também mudam a natureza da atmosfera e do planeta
para atender às suas necessidades.

Qual seria o impacto dessa hibridização na raça humana?
Isso pode representar o fim de nossa espécie, mas não necessariamente. Depende muito se vamos conseguir aprender a trabalhar juntos, em respeito mútuo, na unidade e integridade, para sairmos dos sistemas de controle dos reptilianos. Os cinzas também foram afetados pelos reptilianos. Alguns grays ainda estão com eles e gostariam de não estar, assim como os humanos — esses grays são os futuros humanos, que estão tentando corrigir seus erros ou tentando nos manipular, uma vez que ainda estão sob o controle dos reptilianos. A coisa agora não está se movendo em uma boa direção, em razão de todo o segredo e confusão a respeito de quem é benevolente ou malevolente para com os seres humanos.

Existe uma agenda extraterrestre maligna relacionada com tratados feitos entre o Governo dos Estados Unidos e facções de alienígenas dos tipos ‘anunnaki’ e ‘dracorreptilianos’, que invadiram o nosso planeta vários milhares de anos atrás.

Antes de se tornar presidente, Dwight Eisenhower foi general doExército, comandante supremo dasForças Aliadasna Europa e chefe do Estado-Maior do presidenteHenry Truman. Teria Eisenhower sido manipulado por algum grupo político para se tornar presidente dos Estados Unidos? A quem interessava a candidatura presidencial de Eisenhower e por quê?
Acho que David Rockefeller teve algo a ver com isso e acabou tornando-se o plano de todos — ele foi quem empurrou Eisenhower para a presidência, mas eu acho que foi mais por meu bisavô ser um popular herói de guerra, que tentou derrotar os nazistas. Aquela foi uma boa maneira de atraí-lo e tê-lo como candidato ao posto, uma vez que ele tinha a confiança do povo. Em seguida, o usaram como “bode expiatório” e o prenderam em agendas e tratados para encobrir o envolvimento que tinham em agendas que eram negativas para o país...

Em sua opinião até onde vai a responsabilidade de Eisenhower nos acordos feitos com os extraterrestres?
Alguns rumores fizeram parecer que foi Eisenhower quem nos vendeu aos ETs. Mas eles não mencionam que o que ocorreu foi uma rendição diante de um inimigo muito superior em termos tecnológicos. Também não dizem que os tratados ocorreram antes dele. Eles queriam que Eisenhower perdesse o controle sobre a situação e colocasse a responsabilidade em seus assessores, que por sua vez desviaram tudo para uma direção errada. Ike se sentiu traído, enganado e sobrecarregado quando descobriu que ele não tinha controle sobre a situação — ele teve oito ataques cardíacos. Estou certa de que isso é o que a cápsula do tempo irá revelar. Eisenhower não fazia parte dos segredos ou de qualquer agenda alienígena malévola. Imagine, ele queria invadir a Área 51.

Você acredita que o enlace matrimonial entre as famílias Eisenhower e Nixon foi orquestrado pelo governo oculto com o objetivo de manter seu status sobre o poder?
Eu não faço ideia. Nixon e Eisenhower colocaram Valiant Thor [Suposto alienígena que teria visitado a Terra] em condição de VIP no Pentágono e o auxiliaram em tudo que puderam em sua missão de ajudar o planeta a se livrar da pobreza e das doenças. Depois, foi tudo encerrado, mas não por eles. Foi concluído pelo governo oculto, pela junta de chefes do Estado-Maior e pelo Congresso. David Eisenhower e Julie Nixon, minha tia e tio, não eram facilmente controlados pelo governo oculto, mas foram manipulados e perturbados. Porém, ainda é o casal mais amoroso que já conheci. Eles têm um casamento incrível e ainda estão juntos.

Stewart Swerdlow, um colaborador do Projeto Montauk, bem como Sir Paul Hellyer, ex-ministro da Defesa do Canadá, atestam que o governo oculto é composto pelos Bilderberg, pelo Conselho de Relações Externas dos Estados Unidos e pela Comissão Trilateral. Em sua opinião, qual seria a melhor estratégia para tomar o poder das mãos desses grupos e retorná-lo às mãos do legítimo governo dos Estados Unidos?
Precisamos expor tudo o que nos for possível sobre o assunto. Há que se entender o jogo que está sendo jogado, se proteger e se desligar dele e focar no trabalho interno, em nossos relacionamentos e famílias. Precisamos cuidar de nossa saúde e espiritualidade e fazer com que esses parasitas morram de fome. Nós precisamos nos unificar. É hora de unificar nossas consciências. Devemos nos conectar com a natureza e com o fato de que estamos em um planeta em ascensão — é disso que eles estão com mais medo e é o que precisamos fazer.

crédito: EARTH ONLINE
Para a entrevistada, é importante protegermos o planeta com boas intenções e atitudes concretas que nos salvem do extermínio
Para a entrevistada, é importante protegermos o planeta com boas intenções e atitudes concretas que nos salvem do extermínio

Você tem conhecimento de algum plano do governo oculto para pôr em prática uma operação de controle em massa por meio do uso das tecnologias adquiridas em acordos com os ETs, começando pelos Estados Unidos? Quais tecnologias seriam usadas?
Eles têm usado essa tecnologia por 26 mil anos para “bagunçar” o nosso DNA e nos manter presos a programas de controle. Essa tecnologia é chamada de Grade de Reversão. Ela também infecta as chamadas Linhas Ley [Linhas energéticas invisíveis que conectariam locais importantes do planeta]. Seus objetivos são controlar os “portões estelares” naturais e o nosso DNA. As tecnologias mais recentes são todas sobre inteligência artificial, segmentação, mapeamento cerebral, controle da mente e vigilância.

Você afirmou no citado III Fórum Mundial de Contatados que, em 2006, junto a outras pessoas, foi recrutada para uma missão secreta a Marte, tendo como meta a colonização do planeta. Quem os recrutou?

Um grupo chamado “Aviário” [Aviary]. Tudo começou com o programa “Alternativa 4”, que está relacionado ao poder do espírito humano, da unidade da consciência e aos cuidados com nosso planeta. Já o programa “Alternativa 3” está relacionado às colônias e a colonização de Marte.

Quem mais foi recrutado?
Eles me colocaram com uma pessoa que foi aliciada para o grupo depois de ter tido algumas experiências com abdução. Há também meu colega Andrew Basiago, que fez parte de um projeto quando criança e foi teleportado para Marte. Nós acreditamos que há alguma conexão em nossas histórias relacionada a essa “agenda oculta”, mas experimentamos diferentes áreas do Alternativa 3. Basiago participou das experiências que foram conduzidas em crianças, para ver se era mesmo possível teletransportar, viajar ou viver em Marte e, para mim, era sobre ser uma colônia permanente.

Por que você recusou a missão?
Eu recusei porque a pessoa com quem me colocaram junta estava sob o controle deles e a agenda oculta acabou sendo infiltrada. Agora é outra que está aí, sobre Marte ser uma civilização isolada, onde todas as tecnologias foram trancafiadas, comprometendo os seres humanos e criando catástrofes para em seguida implementar uma Nova Ordem Mundial. A agenda era originalmente sobre a proteção do genoma humano e do DNA, mas agora infiltrada, trata-se de algo muito mais sinistro. Foi-me dito que iriamos viajar para lá por meio de uma coisa chamada “Arca”. Outros têm sido levados por meio de algum outro tipo de transporte.

A resistência é muito forte e será assim até que seja a hora certa, no ponto de vista deles. Eu até penso que estamos perto, mas não será feito de uma forma que nos beneficie — eles não são dignos de confiança, não estão fazendo nada por nossos interesses.

Você ou alguém de sua família ou amigos sofreram algum tipo de ameaça ou retaliação em razão de sua desistência da missão?
Eu lido com ameaças e ataques há muito tempo — antes mesmo da missão a Marte isso já acontecia comigo. Depois que me recusei a ir e comecei a expor a Alternativa 3, eles encontram novas formas de me atacar. Eu quase não sobrevivi a tudo o que me aconteceu e meu parceiro ficou completamente sob o controle deles, que tinham maneiras de fazer com que ele se alterasse. Foi quando a personalidade dele se modificou. Foi muito difícil.

Logo após a Segunda Guerra, o Escritório de Serviços Estratégicos, precursor da CIA, importou aproximadamente 1.500 cientistas, técnicos e engenheiros alemães e de outras nacionalidades para trabalharem no Projeto Paper Clip [Grampo de Papel]. Sabe-se que os Estados Unidos fizeram, e ainda fazem, uso de tecnologias adquiridas pelos nazistas em acordos com ETs. O que você pode nos falar sobre isso?
Bem, há o Projeto Montauk, que inclui viagens no tempo e controle da mente. Modificar o clima e controlá-lo também faz parte da agenda de seres extraterrestres e há muitos outros projetos associados a isso. Eles estão trabalhando para escravizar a raça humana e para nos enganar através da mídia e da política, para não darmos sequer conta do que está acontecendo. E querem garantir que toda a humanidade esteja presa e incapaz de ascender às energias superiores da Terra.

No 22º Simpósio Mundial sobre UFOs e Extraterrestres, em San Marino, você afirmou que uma invasão extraterrestre já havia começado e que não queriam que soubéssemos disso. Quem são os invasores e o que pretendem?
Há facções malevolentes dos anunnaki, há dracorreptilianos e nefilins, que na verdade são híbridos de humanos e alienígenas. Há também os grays, que estão sendo usados como uma raça de trabalhadores, e alguns pleiadianos. Isso tudo está ligado à queda de antigas civilizações avançadas aqui mesmo da Terra, como a Atlântida e a Lemúria. Há guerras galácticas que remontam a milhões de anos e seres caídos que agora querem usar os seres humanos. Eles queriam ser nossos deuses e manipularam nosso DNA logo que chegaram aqui. Após o colapso das civilizações mais avançadas, eles tornaram os controladores da raça humana — são os responsáveis por criarem linhas de tempo artificiais e são os mestres daqueles que estão no governo oculto.

Em sua opinião qual é a informação classificada como secreta que você considera ser a mais importante e que deveria ser levada ao conhecimento da população mundial o mais rápido possível?
Penso que são os planos dos extraterrestres para a raça humana e como isso se relaciona ao implante de chips na população. Os aliens mantêm a esperança de se tornarem nossos donos, nos “tragando” para dentro de uma agenda transumanista, onde a elite obtém toda a tecnologia avançada enquanto outros humanos estão sendo prejudicados. Nós temos que compreender mais amplamente aquilo com o que estamos lidando e trabalharmos em nosso desenvolvimento espiritual para melhor entendermos nossas almas e a nossa soberania.

Quais são os setores dentro do governo dos Estados Unidos responsáveis por manter o acobertamento e o sigilo sobre a questão extraterrestre até a atualidade?

Eu penso que são os membros do Majestic 12, os remanescentes dos Illuminati — sim, eles existem e estão atuantes —, a Agência Nacional de Segurança (NSA) e a Agência Central de Inteligência (CIA), e tantos outros projetos e órgãos que estão compartimentados. Há uma facção ultrassecreta dentro da própria NSA que é desconhecida de grande parte da população e que é quem mais colabora com os extraterrestres que agem em causa própria.

crédito: FOTOS ARQUIVO UFO
Robert O. Dean já falava há várias décadas de temas hoje apresentados, com mais detalhes por David Wilcock. A razão se completa e se atualiza
Robert O. Dean já falava há várias décadas de temas hoje apresentados, com mais detalhes por David Wilcock. A razão se completa e se atualiza

Qual tem sido o seu maior desafio frente ao acobertamento da questão extraterrestre?
Os ataques, as informações contraditórias que estão lá fora, as mentes fechadas das pessoas que pensam que isso tudo é loucura, a frustração que dá ao ver como estão mentindo para nós e como eles acobertam tanto e usam milhões de nossos impostos para financiar projetos secretos. E, também, a atividade ilegal de nossos líderes e como eles nos mantêm no escuro, criando fatos falsos para nos manter assustados. Há, ainda, todo o material de mídia direcionado a nos distrair e que torna um grande desafio alcançar as pessoas e obter sua atenção.

Qual o progresso que você tem feito em sua luta contra o acobertamento da realidade ufológica e quem são os seus aliados nessa luta?
Eu falo em eventos e congressos e muitas pessoas me levam a sério. Sinto que tenho ajudado a abrir muitos olhos e uma verdadeira unificação está acontecendo. Estamos indo bem em nos desviar dos ataques, superando as barreiras e vencendo os obstáculos que foram colocados em nosso caminho. Meus aliados são Lisa Renée, Alfred Lambremont Webre, Andrew Basiago, Michael Tellinger, Randy Cramer, Richard Dolan, Bob Dean, Miriam Delicado etc.

Que outras questões você e seus aliados buscam esclarecer?
Falamos sobre os projetos de controle da mente e o de controle e modificação do clima. Também alertamos sobre as vacinações, sobre os chamados organismos geneticamente modificados, sobre os falsos alarmes nos noticiários e as distorções da nossa história, reescrevendo-a de maneira falsa. As manipulações das religiões, as mentiras na política e as sociedades secretas, que abusam dos rituais satânicos, também fazem parte de nossos alertas.

Quais são as maiores barreiras encontradas nas leis norte-americanas que dificultam sua tarefa na divulgação da questão extraterrestre?
A proteção que a NSA tem e de como aquilo que chamo de Cabala [Grupo de pessoas poderosas que constituem o governo oculto] é dona de tudo, incluindo a mídia. O Programa de Contra Inteligência direciona agentes para atingir pessoas que, como nós, expõem esse tipo de informação. Há pessoas destacadas para fazerem campanhas contra muitos de nós, com o objetivo de nos difamar e de sujar a nossa imagem. As tecnologias de controle mental estão em toda parte.

O que está sendo feito para contornar esse complicado quadro?
Nós tomamos como iniciativa a realização de audiências no Congresso dos Estados Unidos, nas quais o pesquisador Steven Bassett [Consultor da Revista UFO] tem trabalhado, que são as Audiências Públicas de Divulgação. Mas, com leis que não se aplicam ??à NSA, e devido às muitas facções e grupos dentro do governo oculto — que estão trabalhando para nos confundir e nos orientar na direção errada quando se trata de divulgação —, isso continua sendo um dilema. Eles não vão nos dizer a razão de manterem sigilo, mas acredito que podem, um dia, admitir que os extraterrestres existem. É para isto que os extraterrestres vêm se preparando e é aí onde entram os projetos de hibridização.

Em sua opinião, quão forte é a resistência do governo oculto em retirar o acobertamento sobre a questão extraterrestre? Quão longe estamos de uma desclassificação total?
A resistência é muito forte e será assim até que seja a hora certa, no ponto de vista deles. Eu até penso que estamos perto, mas não será feito de uma forma que nos beneficie — eles não são dignos de confiança, não estão fazendo nada em prol de nossos interesses. Eles sempre distorcem a verdade para que possamos ser facilmente controlados, de modo que, independentemente de quão longe essa verdade esteja, ela não será apresentada da maneira correta.

Levando em conta os mais importantes eventos bíblicos, onde é clara a interação entre anjos e alguns humanos escolhidos, você diria que os anjos eram ETs intervindo na história da humanidade e auxiliando as pessoas a tomarem o caminho correto rumo à evolução?
Sim, existem aqueles que ajudaram e aqueles que dificultaram, assim como os que vieram de outros universos para ajudar. As guerras galácticas, embora sejam entre extraterrestres, nos envolvem porque estamos presos no meio delas. Por isso, temos de ser cuidadosos para que não sejamos usados por nenhum dos lados e precisamos trabalhar para encontrar a nossa própria conexão direta com o espírito.

Você concorda com a ideia de que, em decorrência do atual estado de inconsciência humana, no futuro a Terra possa vir a se tornar um campo de batalha, resultando em catástrofes de proporções apocalípticas como as citadas na Bíblia?
Eu acho que nós estamos diante de alguns momentos muito difíceis, mas isso vai depender de quem você é, de onde está a sua consciência e de quais são as lições que você ainda tem que aprender. Há uma bifurcação acontecendo, onde aqueles que estão prontos para passar para as energias mais elevadas da Terra terão a oportunidade de ir, e outros, que não estão realmente certos para onde estão se encaminhando, irão passar por um período de aceleração, que irá ajudá-los a despertar.

O que isso resultará?
Aqueles que optarem por permanecer inconscientes irão testemunhar essas grandes catástrofes ou serão muito vulneráveis ao controle da mente, que, por sua vez, está aumentando. Mas, independentemente do que aconteça, uma vez que tudo isso se desenrole e se exaura, haverá a limpeza, a cura e a regeneração da vida na Terra. Sempre haverá uma assistência para as almas perdidas — o bem sempre prevalecerá e nada há que possa derrotar o espírito.

Em suas palestras você sempre menciona Sophia, a divina energia feminina do amor e da sabedoria. Você pode falar um pouco sobre isso?
Claro. O divino feminino foi exilado e suas histórias e mitos foram distorcidos para se manter a regência patriarcal viva e nos manter fora de equilíbrio. Sophia representa a porta de entrada para dimensões mais elevadas e ela não tem agendas ocultas. É tudo sobre união sagrada e harmonia com o divino masculino. Precisamos acordar para isso dentro de nós e formar relacionamentos que possam curar todo o dano que temos vivido desde as guerras, as programações, as mentiras etc. A deusa precisa retornar à nossa consciência, e seu retorno vai resolver todos os problemas do mundo.

Você crê que ETs benevolentes viriam em nosso auxílio contra os maus?
Eles já estão agindo, mas precisam que nós demos o passo à frente e façamos a nossa parte. Eles não vão fazer isso por nós. Está ficando cada vez mais difícil para eles nos ajudarem, por isso precisamos fazer nosso trabalho, de modo que fique mais fácil para nos auxiliarem a chegar ao próximo nível dessa experiência.

Para finalizarmos, você gostaria de deixar alguma mensagem aos leitores da Revista UFO?
Sim, gostaria. A Terra é um organismo vivo e nós somos parte da cura do planeta. Com a ajuda dos seres mais elevados de nossa família galáctica, com uma consciência mais profunda sobre quem somos e conhecendo as armadilhas colocadas pelas forças mais baixas, nós seremos capazes de navegar em nosso futuro com paz, clareza e discernimento. As mesmas leis se aplicam ao nosso corpo, bem como ao nosso planeta. O desequilíbrio precisa ser resolvido para nos protegermos. Precisamos aumentar a vibração de amor no planeta e pegar o nosso poder de volta. A nossa unificação, nossas mentes livres e a nossa conexão com nosso eu superior são a maior ameaça a qualquer ser que serve a si mesmo. Vamos começar a abraçar as escolhas que temos para fazermos o futuro de maneira diferente e restaurar a Terra ao paraíso que ela se destina ser. Esta é minha mensagem.

<!--[if gte mso 9]> <w:LsdException Locked="false" Priority="67" SemiHidden="false" UnhideWhenUse

Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO.

O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

LOGIN

Compartilhe essa entrevista:

Comentários