Eles veem o que nós não vemos
Edição 225

Eles veem o que nós não vemos

04 de May de 2018

Ao longo da história recente da humanidade, homens e mulheres considerados especiais, muitas vezes chamados de curandeiros, mas modernamente conhecidos como xamãs, vêm desenvolvendo rituais em que se manifestam entidades extraterrestres. Estes processos, mesmo ocorrendo em distintas partes do mundo e sem que os protagonistas tenham qualquer comunicação entre si, são muito semelhantes e apresentam o mesmo resultado, como mostra a nova conselheira especial da Revista UFO, a médica, médium, contatada e abduzida paulista Mônica de Medeiros em um excepcional artigo sobre o tema e uma abordagem inédita no país. Mônica, ela própria uma xamã, a pedido do editor de UFO, passou meses estudando os fundamentos mundiais do tema para oferecer um trabalho extremamente informativo ao leitor.

Artigo da Capa

Não é segredo que nossa civilização só sobreviveu aos males físicos e mentais graças ao trabalho dos xamãs. Conhecedores de remédios naturais, de rituais de cura e de mistérios milenares, essas pessoas especiais dominavam também a interação entre as dimensões e entre humanos e outros povos.