A mesma questão de sempre: nosso arsenal atômico
Edição 210

A mesma questão de sempre: nosso arsenal atômico

04 de May de 2018

O artigo de capa desta edição mostra mais uma vez que nossos visitantes têm uma verdadeira obsessão por monitorar nossas ações bélicas. Já se viu em outros textos que eles se fazem presentes em conflitos armados de qualquer tamanho, em qualquer lugar do mundo, sempre atentos à nossa insanidade belicista. Como também já apresentamos em outros artigos casos de nossos visitantes monitorando locais de armazenamento e testes de armas atômicas, mostrando a quem quer que os visse que sua intenção é demonstrar poder aos nossos governantes, os que têm o dedo no botão vermelho. Agora, no trabalho de Renato Alonso Azevedo nesta edição, revisaremos um dos mais importantes casos ufológicos da história, no qual, mais uma vez, UFOs aparecem sobre áreas estratégicas onde ogivas nucleares são guardadas. O texto mostra uma situação que já ocorreu inúmeras vezes em bases militares mundo afora, mas que apenas raramente vêm à tona — e o tratado no artigo é um deles. Por seu esforço na elaboração de inúmeros textos de tão boa qualidade, vários dos quais viraram capas de UFO, o autor foi promovido a conselheiro especial da Revista UFO, cargo com que assina este seu novo trabalho.

Artigo da Capa

Novos fatos vêm à tona sobre o Caso Rendlesham, que continua incomodando as autoridades por se presumir que os avistamentos tenham sido motivados pela existência de arsenal atômico nas bases visitadas