Edição 238

Podemos escapar de uma abdução alienígena?

01 de Setembro de 2016

IMPRENSA UFOLÓGICA

O Que a Mídia Fala dos Discos Voadores

Viagem ao Passado Mítico
Zecharia Sitchin
Madras, 2015

crédito: MADRAS
Sitchin retorna com a saga dos anunnaki e suas ações na Antiguidade
Sitchin retorna com a saga dos anunnaki e suas ações na Antiguidade

No passado remoto, um planeta passava por sérios problemas atmosféricos de alguma sorte e sua população lutava para salvá-lo. Ao mesmo tempo, acontecia uma grave crise política entre os herdeiros do planeta ou, ao menos, de parte dele, que terminou com a expulsão de um dos pretendentes ao trono. Exilado, ele vagou pelo universo até encontrar um mundo que foi sua salvação. Não apenas porque detinha ótimas condições de vida, mas principalmente porque era muito rico em ouro. O herdeiro exilado, então, avisou seu planeta, foi perdoado e seu povo passou a explorar o precioso metal que poderia salvá-los.

Em linhas gerais e muito brevemente, essa é a primeira parte da história contada pelos sumérios e decodificada por Zecharia Sitchin, sobre a chegada dos anunnaki, ou “aqueles que do céu vieram à Terra”. Sitchin contou e recontou a saga narrada em escrita cuneiforme em diversos livros, cada um deles analisando a história por ângulos diferentes. Em Viagem ao Passado Mítico, Sitchin vai além e revela, pela primeira vez, a existência de uma câmara secreta na Grande Pirâmide, ao mesmo tempo em que conta sua própria história de dedicação para descobrir a verdade — dedicação essa que, ainda que acidentalmente, quase lhe custou a vida.

Ao exibir artefatos ocultos que contradizem suposições prestabelecidas pelos arqueólogos, os relatos em primeira mão do autor conduzem o leitor às operações internas do Vaticano, ao enigma de um computador milenar e à obra secreta de um deus arquiteto em Stonehenge, em Malta e em algum lugar nas Américas. Estudando a Antiguidade de maneira profunda, Sitchin oferece uma evidência surpreendente que liga as Linhas de Nazca e outro local em suas proximidades à partida dos anunnaki de nosso planeta.

O autor, que era russo de nascimento, foi criado na Palestina e detinha amplo conhecimento do hebraico antigo e moderno, além de outras línguas semíticas e europeias. Além disso, conhecia profundamente o Antigo Testamento, a história, a arqueologia e as culturas do Oriente Médio. Eminente erudito bíblico e autor aclamado internacionalmente, Sitchin passou seus últimos 60 anos de vida lendo e traduzindo as tábuas de argila da Suméria, além de outros textos antigos. O autor faleceu em 2010.

A Vida Secreta
David Jacobs
Rosa dos Tempos, 1998

crédito: ROSA DOS TEMPOS
Para Jacobs, as abduções alienígenas são um perigo à espécie humana
Para Jacobs, as abduções alienígenas são um perigo à espécie humana

O fenômeno da abdução é recorrente em todo o planeta e está, embora muitos o neguem, umbilicalmente ligado à concepção de que, por alguma razão que desconhecemos, extraterrestres vem há décadas nos tratando como cobaias. As razões que moveriam os seres alienígenas dividem opiniões, mas o fato é que há centenas de milhares de pessoas que declaram ter passado por exames e procedimentos de inseminação artificial — e esse é apenas um dos aspectos que envolvem as abduções.

Em A Vida Secreta, o filósofo e historiador David Jacobs, pioneiro na pesquisa acadêmica da Ufologia, nos mostra uma série de casos de abdução, analisando os dados de maneira abrangente, mostrando como as pessoas que passaram por tal experiência reagem a ela.
Jacobs estudou mais de 700 casos de abdução e, em sua opinião, os extraterrestres desenvolveram um programa bem específico para o nosso planeta, envolvendo experimentos com nosso material genético e até a criação de uma raça híbrida, talvez para colonizarem outros planetas. A Vida Secreta é um livro inquietante e perturbador.