Edição 199

Reescrevendo a história do planeta

01 de Abril de 2013

IMPRENSA UFOLÓGICA

O Que a Mídia Fala dos Discos Voadores

Arquivo Extraterreno

Pedro de Campos

Lúmen Editorial, 2012

O autor desta recente obra é um conhecido integrante da chamada Ufologia Espiritualista e decano consultor da Revista UFO. Pedro de Campos compila dúvidas de leitores que resultaram em seus artigos veiculados na UFO e na publicação Espiritismo & Ciência, da Mythos Editora, além de correspondências eletrônicas pessoais, seu blog, jornais de sociedades espíritas, sites de amigos que veicularam seus artigos etc, para fazer este livro que estabelece uma conexão entreUfologia e o Espiritismo Kardecista. Basicamente, o livro trata da questão da evolução dos espíritos em todo o cosmos. Segundo o autor, assim como há os espíritos que se desenvolvem aqui na Terra, há os que fazem o mesmo em outros planetas. O chamado Fenômeno UFO, representado pelas naves alienígenas que vêm até aqui com seus tripulantes, é expressão da capacidade técnica que seres de outros orbes têm em vencer as distâncias entre as estrelas, seja para estudar a Terra em si, seja para estudar os seres humanos.

crédito: Lúmen Editorial
Pedro de Campos faz uma ponte entre a Ufologia e o Espiritismo Kardecista
Pedro de Campos faz uma ponte entre a Ufologia e o Espiritismo Kardecista

Campos explica que, para evoluir, o espírito precisa encarnar em um corpo, a fim de viver experiências que permitam tal evolução. Segundo diz em sua obra, esse processo de encarnação pode ser físico ou ultrafísico, termo cada vez mais em uso em certos segmentos da Ufologia. Quando a encarnação é feita em um corpo como o nosso, seres de outros planetas são chamados de ETs sólidos — ou extraterrestres. Mas quando é feita em uma dimensão que não corresponde às nossas, é chamado de ultraterrestre — ou ET sutil. O objetivo é sempre o mesmo: evoluir. Mas, segundo o autor, há essa diferença quanto à materialidade do tipo de encarnação. Acabando de chegar às prateleiras das principais livrarias, Arquivo Extraterreno — Espíritos, Aliens e UFOs faz uma interface palatável e consistente entre Ufologia e Espiritismo, sendo instrumento de reflexão para quem estuda esta vertente dos
estudos ufológicos.

Civilizações Extraterrenas
Isaac Asimov
Editora Record, 1979

Asimov é um dos mais conhecidos e competentes escritores de ficção científica de todos os tempos. Autor de primores como O Homem Bicentenário [L&PM, 1997], Eu, Robô [Ediouro, 2004] e da clássica trilogia Fundação [Editora Aleph, 2009], o autor bielorrusso produziu mais de 500 obras, sendo muitas também de não ficção. E é justamente uma delas que interessa diretamente aos ufólogos, que será discutida aqui. Civilizações Extraterrenas reflete o pensamento do autor sobre a possibilidade de civilizações em outros planetas — logo no início do livro Asimov faz muitas considerações sobre a existência de vida no universo. Estaríamos sós? Os seres humanos são os únicos detentores de olhos que sondam as profundezas do cosmos? Os únicos que constroem engenhos para ampliar os sentidos naturais? Ele entende que a resposta para todas estas questões, possivelmente a única, é que nós não estamos sós.

crédito: Record
A leitura da obra de Asimov estimula ufólogos
A leitura da obra de Asimov estimula ufólogos

Para Asimov, há outras espécies que procuram e perguntam, até mais eficazmente do que nós, as mesmas questões. “Não sabemos onde estão essas outras formas de vida inteligente, mas é certo que estão em algum lugar. Não sabemos o que fazem, mas é certo que fazem muita coisa”. Ele também diz que não temos como saber como são tais seres, mas crê que sejam avançadas formas de vida. Mas, se estão em algum lugar lá fora, será que vão nos encontrar? Ou já nos encontraram? Se ainda não nos acharam, podemos achá-las antes? Seria seguro? Para o autor, existiriam muitas civilizações, “mas, contraditoriamente, não temos sido visitados por elas — muito provavelmente porque as distâncias interestelares são grandes demais para serem vencidas”, diz.