Edição 231

UFOs estão entre os mistérios da floresta

01 de Fevereiro de 2016

MUNDO UFOLÓGICO

Fatos da Ufologia Brasileira e Mundial

Hillary Clinton promete abrir segredos ufológicos se for eleita

Em plena campanha para ser a candidata do Partido Democrata à Presidência dos Estados Unidos, nas eleições que ocorrerão em 08 de novembro deste ano, a ex-primeira dama, secretária de Estado e senadora Hillary Clinton afirmou que, caso seja eleita, irá a fundo na questão ufológica. Sua entrevista para o jornal The Conway Daily Sun repercutiu intensamente, e outros veículos deram grande destaque às suas declarações. O Daily Mail, por exemplo, iniciou uma matéria com a chamada “Hillary irá abrir os Arquivos-X e promete chegar ao fundo da questão da Área 51”. O jornal ainda destacou sua afirmação de que “creio que talvez já tenhamos sido visitados”. Outros jornais, como Inquisitr, o Mirror, Politics, Metro, Express etc, também repercutiram as declarações da candidata.

crédito: CNN
“Talvez possamos montar uma força tarefa para ir até a Área 51”
“Talvez possamos montar uma força tarefa para ir até a Área 51”

Hillary lembrou, em entrevista ao Daily Sun, que a maior parte dos pedidos de informações para a biblioteca de seu marido, Bill Clinton — montada após este deixar a presidência —, se refere a UFOs. Além disso, comentou que o comandante de sua campanha, John Podesta, que foi chefe de staff de Bill Clinton e conselheiro de Barack Obama, tem longo histórico de interesse na questão ufológica. De acordo com Hillary, “Podesta me pediu pessoalmente para que informações ufológicas sejam finalmente liberadas. E que talvez possamos montar uma força tarefa para ir até a Área 51”. O grupo Paradigm Research Group (PRG), comandado por Stephen Bassett, consultor da Revista UFO, que há tempos faz campanha pela liberdade de informações na área, afirma que as declarações de Hillary Clinton são um claro comprometimento em prol da aguardada abertura dos arquivos ufológicos norte-americanos.

Asteroide Apophis não irá atingir a Terra em 2036

O modus operandi dos mistificadores na internet é sempre o mesmo, e eles repetem continuamente as mesmas ilusões, sem qualquer variação. Por isso é surpreendente que tantas pessoas lhes deem crédito. Em mais um episódio que serve de alerta para sempre buscarmos fontes científicas em assuntos de ciência, alguns sites sensacionalistas publicaram recentemente que o asteroide 99942 Apophis [Foto ao lado]tem grande chance de atingir a Terra em 2036. Descoberto em 2004, esse objeto causou preocupação quando cálculos iniciais sobre sua órbita mostraram uma alarmante aproximação com a Terra em 2029, talvez mesmo com risco de impacto. Conforme o tempo passou e mais dados foram recolhidos, esse risco foi eliminado. Contudo, ainda restava a questão de o Apophis, em 13 de abril de 2029 — coincidentemente uma sexta-feira —, cruzar uma região crítica do espaço, chamada de Buraco de Fechadura, onde a proximidade com nosso planeta, calculada em cerca de 38.000 km, poderia alterar sua órbita e levá-lo a uma trajetória de impacto em 2036.

Descoberto o exoplaneta habitável mais próximo de nós

As estrelas anãs vermelhas já foram consideradas como não sendo interessantes para a busca de planetas habitáveis. Contudo, descobertas em exoplanetas comprovaram que esses astros representam uma chance para a vida alienígena ainda mais vantajosa que estrelas amarelas, como o Sol, pois permanecem estáveis por períodos de tempo muito maiores. Um exemplo é Wolf 1061, a somente 14 anos-luz de distância, onde astrônomos australianos da Universidade de Nova Gales do Sul descobriram três mundos alienígenas. Suas órbitas se completam em 5, 18 e 67 dias, e suas massas são respectivamente de 1,4, 4,3 e 5,2 vezes a da Terra. O planeta intermediário, Wolf 1061c, está na região habitável de sua estrela, podendo ter água líquida, essencial à vida, em sua superfície.

Classificado como uma “superterra”, é provável que mantenha um hemisfério permanentemente voltado para sua estrela. Porém, cientistas estudam se ventos em sua atmosfera poderiam fazer circular o calor e manter a temperatura uniforme. A equipe prosseguirá a pesquisa, tentando determinar se é possível flagrar esses mundos com o método do trânsito, passando diante da estrela. Anãs marrons como essa representam cerca de 75% da população estelar da Via Láctea, ou 300 bilhões de estrelas.

Missão da NASA poderá pousar na lua Europa

crédito: NASA
O satélite jupiteriano Europa continua a atrair a atenção dos cientistas por suas estranhas peculiaridades
O satélite jupiteriano Europa continua a atrair a atenção dos cientistas por suas estranhas peculiaridades

Europa, um dos quatro grandes satélites de Júpiter descobertos por Galileu Galilei, tornou-se o principal candidato a abrigar vida alienígena no Sistema Solar após as visitas das missões Voyager e Galileo. Agora a Agência Espacial Norte-Americana (NASA) tem como prioridade lançar uma missão para investigar mais a fundo essa lua, a ser lançada em meados de 2020 com o objetivo de realizar diversos sobrevoos àquele mundo gelado. E há uma novidade no projeto, de acordo com Robert Pappalardo, cientista do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL). “Estamos pesquisando ativamente a possibilidade de uma sonda de pouso. A NASA nos pediu para investigar o que seria necessário, quanto custaria e se dentro da missão principal poderíamos acrescentar um pequeno módulo de pouso”, disse Pappalardo. A Agência Espacial Europeia (ESA), que já contribuiu com o módulo Huygens para a missão Cassini — que pousou em Titã, a maior lua de Saturno —, também foi convidada a apresentar ideias para a missão de dois bilhões de dólares.

Oceano de água líquida

Europa tem 3.100 km de diâmetro, é coberto por uma crosta de gelo estimada em 80 km de espessura e debaixo desta as evidências encontradas apontam para a existência de um oceano de água líquida de cerca de 20 km de profundidade. Graças aos efeitos de maré, com a lua se aproximando e afastando de Júpiter ao longo de sua órbita, seu interior é mantido quente, possibilitando a existência do mar interno. Além disso, a rica química que lá existe está funcionando há 4,5 bilhões de anos, a duração do Sistema Solar e também do oceano de Europa. Os cientistas apontam que esse tempo é suficiente para que formas de vida, até mesmo relativamente complexas, evoluam ali.

Kepler já descobriu mais de 100 mundos em nova missão

crédito: JPL

Após o problema com os giroscópios, que encerrou sua missão primária em 2013, o telescópio espacial Kepler [Foto abaixo] teve aprovada uma nova busca, intitulada K2 e utilizando como método de estabilização a pressão da radiação solar. O método revelou-se vitorioso, pois no 227º encontro da Sociedade Astronômica Americana (AAS) a equipe do telescópio anunciou que a missão K2 já encontrou mais de 100 mundos alienígenas confirmados. Lançado em 2009, o Kepler encontrou mais de mil exoplanetas — mais da metade de todos os mundos alienígenas já confirmados. Ele utiliza o método do trânsito, flagrando minúsculas variações de luz estelar devido à passagem de um planeta diante de seu sol. Na missão K2, o Kepler observa diferentes regiões do céu em campanhas de 80 dias, procurando planetas e outros fenômenos cósmicos. O telescópio já observou mais de 60.000 estrelas na K2, com 7.000 detecções de possíveis trânsitos. Muitos destes se configuram em “falsos positivos”, daí a necessidade de confirmação por meio de outros instrumentos. Os astrônomos esperam que o Kepler siga sua missão de caça a planetas ainda por muito tempo.