Edição 221

Há conexão entre Ufologia e espiritualidade?

01 de Março de 2015

MUNDO UFOLÓGICO

Fatos da Ufologia Brasileira e Mundial

MUFON pretende criar cadastro mundial de observações ufológicas

Em 25 de janeiro, o conceituado site de astronomia e astronáutica Space [www.space.com] apresentou um artigo em destaque comentando a iniciativa de criação de um cadastro mundial de avistamentos de UFOs. Esse projeto é da Mutual UFO Network [Ou Rede Mútua de UFOs, MUFON] e seu grande objetivo é que possa ser facilmente atualizado, acessado e pesquisado, contendo qualquer relato de observação feito em qualquer lugar do mundo — destacando parâmetros como tamanho, formato, cor, características de voo, data e local da observação dos UFOs. O banco de dados deve incluir também artigos em jornais e revistas, fotografias e vídeos.

crédito: LEO STURGESS
Com um banco de dados global, a Ufologia será mais profissional
Com um banco de dados global, a Ufologia será mais profissional

Jan Harzan, diretor executivo da MUFON, informa que o objetivo da organização é o estudo científico dos UFOs em benefício de toda a humanidade. Ele destaca que para se fazer ciência é necessário coletar e armazenar informações, estudar e correlacionar esses dados na forma de análises e experimentos. E ainda acrescenta: “A cada mês, a MUFON recebe de 500 a 1000 relatos de UFOs feitos em todo o mundo, que vêm de muitas fontes confiáveis, tais como pilotos de aeronaves, militares, ex-oficiais de Inteligência, médicos, advogados e público em geral”.


Mas um dos problemas apontados por Harzan é a quantidade de “ruído”, representado pelas fraudes e enganos que são facilmente espalhados pela internet. Larry Lemke, engenheiro aeroespacial e membro do National Aviation Reporting Center on Anomalous Phenomena [Ou Centro Aeronáutico Nacional de Registros de Fenômenos Anômalos, Narcap], afirma que o cadastro pode auxiliar a elevar o debate ao nível de pesquisadores profissionais, engenheiros e cientistas.

Opportunity completa 11 anos em Marte

crédito: JPL
O Opportunity vasculha o solo de Marte sem parar
O Opportunity vasculha o solo de Marte sem parar

Em 24 de janeiro último, o rover Opportunity da NASA celebrou o 11º aniversário de sua chegada a Marte. O pouso ocorreu poucas semanas após o de seu gêmeo Spirit ao planeta, ambos escalados para uma missão primária de 90 dias. O Spirit infelizmente parou de se comunicar com a Terra em 2010, mas o Opportunity permanece explorando o Planeta Vermelho. O rover é atualmente o recordista absoluto de distância percorrida em outro mundo, com 41,6 km. O Opportunity tem explorado a borda da grande cratera Endeavour, de 22 km de diâmetro, desde agosto de 2011, e em maio de 2013, pouco tempo após a confirmação de que Marte foi habitável, encontrou um local ainda mais favorável à presença de vida. Investigando a rocha Esperance, enviou para os cientistas na Terra informações que confirmaram que o local já havia estado sob água no passado, produzindo minerais de argila que podem ter abrigado microrganismos. Apesar de problemas com sua memória flash, o Opportunity prossegue sua odisseia em Marte.

Neil Tyson terá talk show no National Geographic

crédito: DISCOVERY
Neil deGrasse Tyson, diretor do Planetário Hayden, espalha conhecimentos
Neil deGrasse Tyson, diretor do Planetário Hayden, espalha conhecimentos

O astrofísico Neil deGrasse Tyson, diretor do Planetário Hayden, parte do Museu de Historia Natural de Nova York, já era uma celebridade ao ser anunciado como o apresentador de Cosmos: A Space Time Odissey, sequência de Cosmos: A Personal Voyage, apresentada pelo saudoso Carl Sagan nos anos 80, inclusive na Rede Globo. Com o imenso sucesso da nova versão do programa, Tyson tem sido cada vez mais requisitado e acaba de ser anunciada a estreia, em abril, de uma série de entrevistas no National Geographic, mesmo canal que exibiu Cosmos. Intitulado Star Talk, a atração será baseada no podcast que o próprio Tyson apresenta — nele o astrofísico já recebeu outros cientistas e celebridades. Espera-se que na nova série o esquema continue similar, incluindo a participação em blocos de um minuto de cientistas e divulgadores, como o conhecido Bill Nye, a fim de popularizar ainda mais a ciência.

Encontrada sonda desaparecida em Marte desde 2003

A nave Mars Express, da Agência Espacial Europeia (ESA), segue em sua missão em órbita de Marte desde sua chegada ao planeta, em 2003. Porém, em 25 de dezembro daquele ano, a sonda Beagle-2, que seguia a bordo, desapareceu ao tentar pousar. Em meados de janeiro passado, entretanto, o mistério foi resolvido quando a Mars Reconnaissance Orbiter, da Agência Espacial Norte-Americana (NASA), obteve imagens mostrando que a Beagle-2 pousou de forma bem sucedida. Lamentavelmente, a falha ocorreu nos painéis solares da sonda, que deveriam se abrir em quatro pétalas. Sem energia, não foi possível fazer contato. A Beagle-2 tinha como objetivo buscar sinais de vida no Planeta Vermelho. Esse pouso bem sucedido leva os europeus a terem 100% de sucesso em suas missões interplanetárias, com as sondas Huygens, que desceu em Titã, e o módulo Philae da missão Rosetta, que fez história ao pousar no cometa Churyumov-Gerasimenko.

Nave Dawn observa misterioso ponto branco em Ceres

crédito: NASA
O planeta anão Ceres, que neste mês de março está sendo visitado pela nave Dawn, da NASA, talvez reserve surpresas aos pesquisadores
O planeta anão Ceres, que neste mês de março está sendo visitado pela nave Dawn, da NASA, talvez reserve surpresas aos pesquisadores

A nave Dawn, da NASA, lançada em 2007, orbitou o asteroide Vesta entre julho de 2011 e setembro de 2012. Graças a seu sistema de propulsão iônica, se tornará a primeira a circular ao redor de dois corpos celestes, pois chegará ao planeta anão Ceres neste mês. Ainda na fase de aproximação, obteve várias fotos do astro em 13 de janeiro, quando um ponto brilhante pôde ser observado na superfície de Ceres. A região das imagens reflete muito mais luz do que o restante da superfície. Até o momento, os cientistas não têm uma explicação para o fenômeno. Seguramente a questão será resolvida quando a Dawn entrar em órbita do planeta anão de 950 km de diâmetro. Outra importante característica a ser investigada é a presença de água no pequeno mundo, pois sabe-se que 25% de sua massa é composta por essa substância. Telescópios em terra já identificaram plumas de vapor d’água em erupções na superfície de Ceres.

Um sistema planetário quase tão antigo quanto o universo

O prolífico telescópio Kepler, da NASA, presentemente em sua missão K2, continua rendendo frutos. O mais recente é o sistema Kepler-444, a 117 anos-luz de distância, centrado em uma anã laranja um pouco menor do que o Sol. Telescópios terrestres descobriram duas companheiras anãs vermelhas que circulam em um centro gravitacional comum, completando uma órbita ao redor do astro principal em 430 anos. Próximo deste último circulam cinco planetas rochosos. Todos os exoplanetas estão contidos em um círculo cuja distância da estrela é um quinto daquela da órbita de Mercúrio. São, portanto, quentes demais para serem habitáveis, completando suas órbitas em períodos de 3,6 dias a 9,7 dias. Os cientistas analisaram a luz da estrela central e determinaram que o sistema deve ter cerca de 11,2 bilhões de anos. Como comentou a respeito Salvador Nogueira, em seu blog Mensageiro Sideral, “a vida pode ter emergido pela primeira vez no universo vários bilhões de anos antes que nosso planeta tenha sequer nascido. Não somos únicos”.