CAPA

Um cenário sombrio para o futuro da humanidade?

Revista UFO | Edição 148 | 01 de Dezembro de 2008

SHARE

MENSAGEM DO EDITOR

Informações dos Bastidores da Ufologia

Instituto Galileo Galilei: É lançado em Curitiba uma nova forma de Ufologia

Durante a realização do evento Contagem Regressiva para o Contato, nos dias 25 e 26 de outubro, em Curitiba (PR), foram inauguradas as atividades do Instituto Galileo Galilei de Pesquisas Avançadas sobre Vida Extraterrestre (IGG), que se propõe a praticar a investigação da presença alienígena na Terra em nível transdisciplinar, agregando conhecimentos das mais variadas origens. A cerimônia de instalação do IGG ocorreu com a presença da maioria de seus fundadores e mais de 200 pessoas na platéia, e contou com a leitura de parte de seu estatuto, que o define como uma associação civil de direito privado, com caráter cultural e científico, inspiração universalista e duração indeterminada. O Instituto não tem finalidades lucrativas e foi estabelecido de forma a atender o disposto na Lei 9.790, de 23 de março de 1999.

A nova entidade se fundamenta no reconhecimento da manifestação milenar no planeta, direta e indiretamente sobre seus habitantes, fauna, flora e recursos minerais, de formas de vida e de inteligências avançadas não pertencentes ao nosso sistema, que se fazem presentes através dos mais variados meios e níveis de atuação. A capital paranaense também foi a cidade escolhida para a base do IGG, que está operacional desde o início de novembro em endereço físico a ser brevemente informado. O site da entidade é www.institutogalileogalilei.org e nele já podem ser encontradas informações para participação dos interessados.

crédito: Roberto Beck
A mesa de instalação do IGG, tendo ao fundo Petit, que explicou a mudança do nome
A mesa de instalação do IGG, tendo ao fundo Petit, que explicou a mudança do nome

Galileo Galilei é o nome escolhido para substituir Carl Sagan na entidade originalmente idealizada em 26 de maio deste ano, após o encerramento do 36º Congresso Brasileiro de Ufologia Científica, também em Curitiba [Veja edição UFO 145]. A idéia inicial era fazer uma homenagem a Sagan, um dos homens mais brilhantes do nosso tempo, que até sua morte, em 1996, dedicou-se à busca por outras formas de vida no universo. Embora muita gente pense que ele faleceu sem conhecer o resultado de sua busca, a verdade é bem diferente do que se supõe. Sagan tinha estreita relação com entidades governamentais norte-americanas dedicadas à investigação do Fenômeno UFO, e o próprio Joseph Allen Hynek, considerado o pai da Ufologia Moderna, garantiu que ele tinha conhecimento da presença alienígena na Terra. Por isso, a homenagem não teria sido por acaso.

Muda o nome, não o objetivo

No entanto, a atribuição do nome de Sagan ao Instituto acabou por gerar um desconforto na Comunidade Ufológica Brasileira, em especial entre os integrantes da Equipe UFO, que alegaram que o cientista foi um ferrenho crítico e até mesmo detrator da Ufologia. Assim, em reunião do comitê para implantação da entidade, realizada durante o XII Diálogo com o Universo, em Botucatu, em 07 de setembro, foi aprovada a proposta apresentada pelos co-editores da UFO Marco Petit e Rafael Cury, para alteração do nome para Instituto Galileo Galilei. Petit, que é diretor científico da instituição, argumentou que a homenagem a Sagan feria o preceito de que a Ufologia precisa ser tratada com transparência. “O cientista sabia da existência dos discos voadores, mas a negava a mando do governo dos Estados Unidos”. A argumentação oposta, defendida por este editor, de que a entidade lidará diretamente com a vida extraterrestre, e não com Ufologia de forma tradicional, não encontrou eco entre os participantes da reunião. Um dos idealizadores do IGG, Gevaerd assumiria o cargo de diretor executivo, mas cedeu-o a Cury e passou a ocupar a posição de diretor de comunicações da entidade. No entanto, exceto pela mudança do nome, a instituição mantém inalteradas suas propostas e formas de atividade, que vêm sendo estudadas há quase dois anos por um reduzido grupo de integrantes da Equipe UFO. Seu slogan define de maneira apropriada o propósito central o IGG: “O desafio de procurar, encontrar e estabelecer relacionamento com outras espécies cósmicas”. Assim, como se vê, os objetivos da mais nova organização não governamental brasileira na área são reconhecidamente ambiciosos, mas certamente plausíveis e possíveis. A nova entidade pretende ir além do que as organizações ufológicas convencionais foram até hoje, pulando para a fase seguinte e praticando uma nova forma de pesquisa da presença alienígena na Terra.

Buscando outras espécies cósmicas

O Instituto Galileo Galilei de Pesquisas Avançadas sobre Vida Extraterrestre (IGG) não será “apenas” uma entidade ufológica, mas terá na Ufologia uma das muitas ferramentas necessárias ao profundo conhecimento da multiplicidade das formas de vida inteligente existentes no universo. Os fundadores da instituição entendem que inúmeras espécies cósmicas já fizeram sua parte, que foi virem até aqui, conhecerem nossa sociedade planetária e interagirem com ela. Falta fazermos a nossa. Desta forma, a proposta do IGG é estabelecer contato e trocar informações, de maneira profícua, globalizada e pacífica, com as civilizações que nos visitam.

Para atingir seus objetivos, a nova entidade usará toda e qualquer forma de conhecimento já adquirido até hoje pela espécie humana. Conforme seu estatuto, a entidade irá “organizar, coordenar e conduzir atividades de estudos e pesquisas, teóricas e experimentais, sobre a atuação de tais formas de vida e de inteligências, empregando para tanto, de maneira ampla e irrestrita, todas as modalidades de conhecimentos provenientes das mais variadas áreas da atividade humana, ortodoxos ou não ortodoxos, de maneira ordenada e concatenada”. Os fundadores e integrantes da entidade, ufólogos tarimbados por décadas de experiência, sabem que esta será uma missão complexa e extenuante, mas seus resultados serão altamente gratificantes e enriquecedores.

TOME NOTA

Vem aí o III Fórum Mundial de Ufologia

O Núcleo de Pesquisas Ufológicas (NPU), tradicional entidade ufológica curitibana e a que mais organiza eventos na área no País, já iniciou a preparação do III Fórum Mundial de Ufologia, que terá duração de cinco dias e ocorrerá no Carnaval de 2009. O primeiro evento da série ocorreu em Brasília, em dezembro de 1997, organizado pelo Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV), com apoio da Legião da Boa Vontade. O segundo ocorreu em novembro de 2007, em Curitiba, realizado pelo NPU com apoio do CBPDV e da Revista UFO. Para o terceiro evento, o NPU pretende reunir grande número de cientistas, militares, autoridades e astronautas, além de ufólogos de vários países. Mais de 15 conferencistas internacionais já foram contatados, além de outro tanto de nacionais.

Ufólogos de todo o mundo se reúnem nos EUA

O promotor de eventos ufológicos Bob Brown comunica a realização, de 22 a 28 de fevereiro, na cidade de Laughlin, estado de Nevada, da próxima edição da série International UFO Congress, evento mundial de grande prestígio, que atrai mais de mil pessoas por vez, há quase 20 anos. A edição de 2009 contará com cerca de 30 expositores de 10 países, entre eles Robert Dean, Peter Davenport, Stanton Friedman, Barbara Lamb, Jim Marrs, Haktan Akdogan e Jaime Maussán. Do Brasil, este editor já tem sua presença confirmada, tendo sido convidado para apresentar detalhes da campanha UFOs: Liberdade de Informação Já. “O movimento organizado pelos ufólogos brasileiros é fonte de inspiração para outros em diversas nações”, declarou Brown. O site do evento é: www.ufocongress.com.


Grande Ofertas Exclusivas da Revista UFO