CAPA

Quando os governos se envolvem com UFOs

Revista UFO | Edição 186 | 01 de Março de 2012

SHARE

MENSAGEM DO EDITOR

Por Dentro da Ufologia Globalizada

A negação aos discos voadores pela Casa Branca é um grande equívoco

Um dos homens mais lembrados do mundo quando se fala em liberdade de informações ao Fenômeno UFO é o capitão da Força Aérea Norte-Americana (USAF) Robert Salas, homem que tem estado à frente de vigorosas campanhas para que se encerre a absurda política de silêncio à presença alienígena na Terra. É dele, em conjunto com James Klotz, a polêmica obra Faded Giant [Gigante Silenciado, edição do autor, 2005], em que denuncia que discos voadores têm mantido áreas onde se utiliza energia nuclear — tanto para fins pacíficos quanto bélicos — sob vigilância nos Estados Unidos e outros países.

A continuação dessa política de rejeição ao tema, “recheada de desinformação, mentiras e incompetência”, nas palavras de Stanton Friedman, ainda irá causar um grande embaraço para a Administração Obama quando a quantidade de casos chegar a ponto de não mais poder ser mais ignorada. E isso está perto de acontecer.

Tendo trabalhado para a USAF como monitor de silos de mísseis atômicos Minuteman, instalados no norte do país, teve experiências concretas de avistamentos de naves sobre as unidades — inclusive danificando partes das ogivas nucleares, requerendo sua substituição ou constantes reparos. “Havia semanas em que tínhamos UFOs sobre os silos todas as noites, e o governo monitorava essa imensa atividade ininterruptamente. Seus integrantes sabem muito bem que estávamos sendo vigiados”, declara Salas, que repetiu suas afirmações de maneira bombástica em uma conferência de imprensa realizada em Washington, em setembro de 2010, transmitida ao vivo pela CNN para todo o mundo.

Reação imediata na Ufologia

“Apesar de todas as evidências que eu e meus colegas apresentamos na conferência, o governo norte-americano não admite o que todo mundo já sabe. Essa é uma política absolutamente contrária aos interesses legítimos da sociedade”, disse a esse editor, em 12 de novembro passado, quando eu o visitei em sua casa na cidade de Ojay, na Califórnia, em companhia de Roger Leir. O tema em que se especializou, a monitoração e vigilância austera que seres extraterrestres fazem de nosso arsenal nuclear, é tema de alguns dos mais importantes documentos ufológicos da coleção Videoteca UFO, entre eles Destino Terra 1 e 2 e UFOs Aqui, Agora, nos quais Salas e outros militares fazem revelações estarrecedoras [Respectivamente código DVD-024, DVD-047 e DVD-050. Confira na seção Shopping UFO desta edição e no Portal UFO: ufo.com.br].

crédito: Arquivo UFO
O capitão Salas descreve a esse editor seus marcantes avistamentos de UFOs sobre silos atômicos
O capitão Salas descreve a esse editor seus marcantes avistamentos de UFOs sobre silos atômicos

O capitão Robert Salas manifestou-se logo após a Casa Branca responder à petição — abaixo-assinado — publicada pelo ativista ufológico Stephen Bassett, do Paradigm Research Group (PRG), negando terminantemente ter qualquer evidência da existência de UFOs, como abordado em vários artigos da edição UFO 185 — entre os quais os textos A Negação da Casa Branca Provoca Reação na Ufologia Norte-Americana, de Bassett, e Em Sua Resposta, a Casa Branca Revela Desinformação, Mentiras e Incompetência, do físico nuclear Stanton Friedman. Ambos os ufólogos são consultores da Revista UFO.

A negação oficial da Administração Obama ao assunto, como se sabe, foi emitida em 04 de novembro passado pelo Escritório de Políticas de Ciência e Tecnologia dos Estados Unidos [Office of Science and Technology Policy, OSTP], através do site We the People [www.whitehouse.gov], um canal de comunicação que a Casa Branca mantém com a sociedade norte-americana e mundial, em que vários movimentos sociais se expressam de maneira semelhante, publicando abaixo-assinados — foi assinada por Phil Larson, alto executivo do governo. “A bizarra resposta do OSTP é uma mentira intencional, uma minimização dos fatos ou uma total ignorância por parte dos funcionários do órgão”, disse Friedman,O Paradigma Research Group (PRG), entidade reconhecidamente à frente de campanhas que visam fazer o governo abrir seus arquivos secretos sobre a presença alienígena na Terra, lançou seu abaixo-assinado em 20 de setembro passado e, em poucas semanas, atingiu mais de 12 mil assinaturas — mas, mesmo assim, isso não foi suficiente para demover a Administração Obama de sua posição de rejeição ao tema. Também autor de uma petição com a mesma finalidade ao seu governo, veja o que diz o capitão Robert Salas a respeito:

Política absurda e ultrapassada

“As respostas da Casa Branca para a minha petição e para a do Paradigm Research Group (PRG) são idênticas: ‘O governo dos Estados Unidos não tem evidências de que exista vida fora de nosso planeta, que extraterrestres tenham sido contatados ou mesmo que foram feitos esforços para isso por qualquer membro da raça humana’. Até para o item mais contundente de nossos requerimentos a Casa Branca também emitiu negações iguais: ‘Não existe informação de credibilidade que indique que qualquer evidência sobre o tema esteja sendo escondida pelo governo dos olhos do público’.

É incrível, mas depois de tantas informações concretas sobre a ação na Terra de outras inteligências cósmicas, com conhecimento total do governo norte-americano desde os anos 40, é isso o que ouvimos de seus funcionários — e as respostas parecem automáticas. A que eu recebi se referiu a um requerimento em que eu declarava textualmente o seguinte: ‘Essa é uma petição ao presidente Obama e a todos os órgãos do governo para que liberem informações sobre o Fenômeno UFO. Estamos enviando ao seu escritório casos ufológicos fartamente documentados, ocorridos nesse país e testemunhados por milhares de cidadãos, para que a decisão seja tomada’.

Como se vê no texto, ao contrário da petição do PRG, na minha não há qualquer menção sobre a presença alienígena na Terra de forma explícita — para evitar polêmicas desnecessárias. Mas a resposta que recebi da Administração Obama é simplesmente falsa. Os funcionários da Casa Branca negam dessa forma vários casos pesquisados até mesmo pelo Projeto Livro Azul e outras evidências inquestionáveis. O atual governo pode alegar que desconsidera esses casos porque a grande maioria de suas agências não tem acesso a informações altamente secretas sobre o Fenômeno UFO. Além disso, infelizmente, não há motivação de qualquer político, atualmente, para que haja uma investigação mais profunda sobre o tema.

Existem casos ufológicos — como os meus, ocorridos quando trabalhava na área de silos de mísseis atômicos Minuteman no norte do país — em que pessoas testemunharam manifestações inequívocas de uma ação extraterrestre. Não há espaço para dúvidas sobre sua natureza alienígena, e a continuação dessa política de negação pela Casa Branca ainda irá causar um grande embaraço para a Administração Obama quando a quantidade de casos chegar a ponto de não mais poder ser ignorada”.

Explosão iminente

Está aí talvez a reação mais dura que a Casa Branca recebeu após sua resposta à petição do PRG, e essa vem compartilhada de muitos outros nomes de peso da Ufologia Norte-Americana. Stephen Bassett, incansável, submeteu um novo requerimento à Administração Obama apenas algumas semanas após ouvir sua resposta, através de Larson. Em 01 de dezembro já estava no site We the People [www.whitehouse.gov] a petição — e dela, muitos brasileiros estimulados pela Revista UFO estão participando.


Grande Ofertas Exclusivas da Revista UFO