CAPA

Abduções, um caminho para conhecermos nossas próprias origens?

Revista UFO | Edição 157 | 01 de Setembro de 2009

SHARE

MUNDO UFOLÓGICO

Fatos da Ufologia Brasileira e Mundial

por Paulo R. Poian

FLOTILLAS NA ARGENTINA E NO MÉXICO

O fenômeno das flotillas — como ficaram mundialmente conhecidos os agrupamentos de dezenas de UFOs — voltou aos noticiários e reportagens internacionais. No dia 22 de junho, a partir das 15h21, em Buenos Aires, o pesquisador Cristian Soldano, do grupo Orbital Visión, captava e filmava um UFO. O que nunca se imaginaria é que, instantes depois, este único objeto se reuniria a outras dezenas, numa formação fantástica, mostrando-se como parte de uma enorme frota de naves, que a câmera detecta só no momento em que abre o plano de seu visual, focalizando uma quantidade notável de artefatos, que começaram a evoluir e geraram uma série de complexas formas geométricas, assim como movimentos controlados em diferentes direções, simultaneamente. A cena durou 15 minutos, foi editada e pode ser vista na página www.orbitalvision.blogspot.com.

No México, em entrevista ao periódico El Universal, Pedro Hernández, que está sempre munido de sua câmera [No país existem muitas pessoas que são conhecidas como cazaovnis, os caçadores de UFOs], contou que em 22 de maio, às 17h15, estava num microônibus em Naucalpán, quando percebeu no céu uma movimentação diferente e resolveu descer do veículo para averiguar. Era um objeto grande de cor branca, em forma de ovo, que sobrevoava o local a uma altura muito baixa e depois começou a se elevar. Ligou sua câmera e iniciou a filmagem. No vídeo, observa-se um UFO amarelo, aparentemente de forma cilíndrica, que após a passagem de um Boeing 747, que segue pelo corredor San Mateo em direção ao Aeroporto Internacional da Cidade do México, começa a expelir uma infinidade de esferas de cor amarelo-alaranjadas, que saem em grande velocidade pela direita e logo em seguida também pela esquerda. “Foram expulsas cerca de 50 esferas da cada lado e o objeto maior não perdeu seu tamanho original em nenhum momento”, assegurou Hernández.

O controlador de tráfego aéreo Enrique Kolbeck mencionou que “as nuvens mau começavam a se formar e oscilavam entre os 5.000 e 6.500 m”. Ao ser questionado sobre a altura do UFO, Kolbeck afirmou que “se encontraria entre uns 6.500 ou 10.000 m, mas não tenho referências e estou fornecendo um dado aproximado, já que a princípio passa um avião 747 e ao fundo se vê um UFO”. A investigação completa sobre este vídeo foi apresentada no programa Tercer Milénio, pelo jornalista e consultor da Revista UFO no México Jaime Maussán, e o material está sendo encaminhado também ao Brasil. Em baixa resolução, pode ser acessado no Youtube. Os dois casos citados têm imagens fantásticas e que espantaram inclusive os céticos.

NOVOS CONCEITOS DE VIDA EXTRATERRESTRE

A existência de seres vivos em outras regiões do cosmos ocupa o imaginário humano há muito tempo. Entretanto, apesar dos experimentos para detectar microorganismos em Marte e até especulações sobre civilizações extraterrestres lá, ainda não surgiu nenhum dado concreto que comprove esta hipótese, segundo a ciência. Há pouco mais de uma década, porém, pesquisadores encontraram uma forma de iniciar uma pesquisa séria: a procura de sinais de atividade biológica em planetas rochosos. Para o astrônomo Augusto Damineli Neto, professor e chefe do Departamento de Astronomia do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG), da Universidade de São Paulo (USP), num universo tão vasto é difícil imaginar que não haja a probabilidade de outro planeta habitado. O projeto é gigantesco e vai demandar um progresso técnico muito maior do que o conseguido nestes 400 anos de história dos telescópios. “O fato de até o momento não ter sido provada a existência de vida em outros planetas não quer dizer que estejamos sós no cosmos, apenas que as buscas foram muito restritas e que os métodos usados podem ter sido inadequados. Independentemente de se encontrar ou não as evidências concretas, terá um grande impacto no pensamento humano, pois será o primeiro progresso a essa pergunta surgida há milênios”, afirma Damineli. Segundo ele, se o resultado for positivo, ocorrerá o nascimento de uma nova ciência, a astrobiologia, que hoje tem um corpo teórico inicial, mas não dispõe ainda de nenhum fato observacional. Será interessante ver como os futuros astrobiólogos entenderão as manifestações de discos voadores na Terra.

crédito: USP
Damineli acredita em vida em outros planetas
Damineli acredita em vida em outros planetas

SONDA COMPROVARÁ SE VIDA TEM ORIGEM ALIENÍGENA

Phobos Grunt, a sonda espacial russa que será lançada em outubro rumo a Marte, deverá trazer de volta amostras de solo da lua marciana Phobos, ajudando a comprovar a hipótese de que a vida na Terra tem origem no espaço. Lev Zelioni, diretor do Instituto de Estudos Espaciais da Rússia, revelou que a experiência visa confirmar ou não a teoria da panspermia, segundo a qual as substâncias químicas e até microorganismos podem se deslocar no universo em meteoritos e cometas, que um dia chegaram ao nosso planeta dando início à posterior evolução de organismos vivos. “Enviaremos à Phobos culturas bacterianas para averiguar se sobrevivem ou não nas condições do frio e da radiação, ou seja, se podem viajar com meteoritos, por exemplo”, explicou o cientista à agência Novosti. “Durante os três anos que durará o vôo, as bactérias ficarão expostas a baixas temperaturas, vácuo, raios gama provenientes do Sol, e certamente viajarão em condições equiparáveis às do espaço exterior”, afirmou Zelioni. “A radiação será a prova mais difícil”, acrescentou.

OCEANO SALGADO EM LUA DE SATURNO

Com a ajuda da Universidade de Heidelberg e do Instituto Max Planck de Física Nuclear, da Alemanha, cientistas fizeram experiências em laboratório e avaliaram dados procedentes do Analisador de Poeira Cósmica da sonda Casini. Eles confirmaram que as partículas geladas expulsas pela lua Encélado contêm quantidades substanciais de sais de sódio, o que sugere a presença de um oceano salgado à grande profundidade. Jürgen Schmidt, da Universidade de Potsdam, e Nikolai Brilliantov, da Universidade de Leicester, chegaram a esta conclusão após estudar os gêiseres de vapor, gás e minúsculas partículas de gelo lançados do pólo sul de Encélado a centenas de quilômetros no espaço. A sonda Casini descobriu os jatos em 2005, durante prospecção de Saturno. O estudo indica também que a concentração de cloreto de sódio pode ser tão elevada quanto a dos oceanos na Terra. Em outro artigo publicado na revista Nature, em 2008, eles se referiam às teorias de formação de satélites, quando um mar líquido está em contato durante milhões de anos com o núcleo rochoso de uma lua. Encélado é um dos três únicos corpos extraterrestres no Sistema Solar onde ocorrem erupções de pó e vapor, e é um dos poucos lugares, além da Terra, Marte e da lua Europa, de Júpiter, onde os astrônomos têm provas diretas da presença de água. Esta é a primeira evidência experimental direta da existência desse oceano salgado.

FRAUDE SOBRE MARTE NOVAMENTE CIRCULA NA REDE

Pelo sexto ano consecutivo, uma mensagem sobre Marte saltitou nas caixas de mensagens do mundo todo. Ela instrui os leitores a olharem para o céu ao cair da noite de 27 de agosto. “Marte estará tão grande quanto a Lua cheia”, diz o texto. “Ninguém que estiver vivo hoje poderá ver isto novamente”. O hoax – termo em inglês para um e-mail contendo falsa mensagem – de Marte começou a circular em 2003, quando de fato houve uma aproximação entre o mesmo e a Terra. Na data citada daquele ano, Marte esteve a apenas 56 milhões de quilômetros de distância do nosso planeta, um recorde em 60 mil anos. Na ocasião, alguém enviou mensagem alertando os amigos sobre o evento, e então uma “avançada peça” da tecnologia de informática, chamada “botão reenviar”, fez o restante, até os dias atuais. Infelizmente, se alguém de fato quiser ver Marte tão grande quanto a Lua cheia, precisará de um foguete e uma nave espacial, pois mesmo ampliando o disco do Planeta Vermelho por 75 vezes – como sugerido em algumas tentativas de corroborar a falsa mensagem –, ele não se parecerá com a grandeza imaginada.

FALECEM PIONEIROS DA UFOLOGIA

Lamentamos informar o falecimento, no mês de julho, do doutor Max Berezovsky, um dos pioneiros da Ufologia no Brasil, criador e presidente da extinta Associação de Pesquisas Exológicas (APEX). Promoveu congressos ufológicos de grande público, pesquisou, descobriu e ajudou incontáveis vítimas de abdução, e foi o segundo hipnólogo a atuar na Ufologia Brasileira e um dos primeiros do mundo. Alguns dias antes, nos deixava também o norte-americano John A. Keel, um dos maiores e mais controversos estudiosos conhecidos do desconhecido, que investigou pessoalmente inúmeros casos pelo mundo afora e foi autor de diversos livros, entre eles The Mothman Prophecies [As Profecias do Homem-Mariposa, Editora Signet, 1975], tornando-se tema de filmes e documentários. Keel era referência bibliográfica em Ufologia, mas não aceitava a origem extraterrestre do Fenômeno UFO, mesmo suas obras demonstrando o contrário.

TENDÊNCIAS

A TEMPORADA DE AGROGLÍFOS DE 2009 JÁ ESTÁ ABERTA

No ano passado, tivemos uma das mais extensas e bonitas temporadas da história dos chamados agroglífos, antes conhecidos como círculos ingleses devido à sua grande maioria ocorrer exatamente dentro de território inglês – apesar de terem sido registrados também pelo mundo todo e estarem cada vez mais complexos, até com efeitos visuais de três dimensões. Em 2009, já surgem novamente, sempre em períodos semelhantes, que variam de abril a julho, seu auge anual em terras britânicas. O primeiro registro foi em 14 de abril, em Avebury, seguido por outros nos dias 19, 23 e 24, na mesma região. Até o fechamento desta seção, em meados de agosto, dezenas de figuras foram registradas, e o que mais espanta, até o momento, são as supostas relações entre os desenhos e o Calendário Maia, percebidas e estudadas em conjunto por especialistas de ambas as áreas, que serão detalhadas nas próximas edições da Revista UFO.

Um acontecimento inédito se deu em 07 de julho, cerca de 05h00, quando um policial passava por Silbury Hill e testemunhou três seres excepcionalmente altos, aparentemente inspecionando um círculo que ali havia surgido dois dias antes. Relatou que tinham cabelos loiros e estavam usando uma peça branca inteiriça, com capuz na parte de trás de suas cabeças. O policial resolveu entrar no campo, quando então eles perceberam sua presença e saíram em disparada, numa velocidade surpreendente, para o sul, desaparecendo em segundos. O caso está sendo investigado pelo pesquisador britânico Colin Andrews, consultor da Revista UFO.


Grande Ofertas Exclusivas da Revista UFO