CAPA

Orbs, invasores invisíveis ou apenas mais uma lenda urbana da Ufologia

Revista UFO | Edição 118 | 01 de Janeiro de 2006

SHARE

MENSAGEM DO EDITOR

Informações dos Bastidores da Ufologia

A Ufologia Brasileira brilhando lá fora

Em 2005 tivemos grandes momentos na Ufologia Brasileira. A campanha UFOs: Liberdade de Informação Já, concebida e mantida pela Revista UFO, foi vitoriosa e a Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU), que esteve à frente do movimento, foi ineditamente recebida pela Aeronáutica, em 20 de maio. No segundo semestre, integrantes de UFO assessoraram a Rede Globo na produção do programa Linha Direta Mistério, que abordou a fundo a questão ufológica e mostrou, como nunca antes, a extraordinária questão do fenômeno chupa-chupa no Pará, que culminou com a Operação Prato, como já sabemos. Também atingimos um recorde ao lançarmos 12 edições de cada uma de nossas publicações, UFO e UFO Especial, o que jamais aconteceu em todos os 22 anos de nossa história.

Ainda no ano passado conseguimos lançar nada menos do que 12 títulos em DVD e, finalmente, completamos a produção do primeiro grande software de Ufologia, o Duas Décadas da Ufologia Brasileira – 22 Anos da Revista UFO, com mais de 200 de nossas revistas em formato PDF, acessíveis a todos aqueles que tenham um simples computador. O programa já está sendo entregue aos compradores [Veja anúncio nesta edição]. Todos estes foram feitos marcantes e que nos deixam orgulhosos, certamente. Mas o melhor disso tudo é que alcançamos todas estas realizações com um objetivo claro e que ficou visível o ano inteiro: tornar ainda mais reconhecida e valorizada a Ufologia Brasileira, tanto para nós quanto aos olhos das comunidades ufológicas dos demais países com que temos contato. E acredite, caro leitor, perante elas – muitas das quais bem mais potentes e aparelhadas que a nossa –, os pesquisadores brasileiros são vistos com enorme estima e respeito, graças ao seu verdadeiro empenho e talento nato para tratar da presença extraterrestre na Terra.

Irmãos siderais — Agora, para mostrar lá fora um pouco mais da qualidade de nossa Ufologia, recebemos a notícia de que já está sendo exibido outro programa sobre UFOs na Amazônia, do porte do exibido pela Globo. A informação foi um presente de Natal extra para a Ufologia Brasileira. Desde os últimos dias de 2005, o famoso e popular canal a cabo norte-americano The History Channel (THC), com mais de 100 milhões de assinantes, está levando ao ar e repetindo diariamente – em todo o mundo – uma fantástica produção ufológica sobre o Brasil, realizada aqui. A exemplo do Linha Direta Mistério, que marcou época, o Brazil’s Roswell do THC trata igualmente daquele que é considerado o mais grave e profundo conjunto de casos ufológicos de toda a história do planeta: a situação que se abateu sobre a Amazônia, em especial o Pará, nos anos 70 e 80, que culminou na criação pela Força Aérea Brasileira (FAB), secretamente, da Operação Prato, comandada pelo coronel Uyrangê Hollanda.

E assim como o Linha Direta Mistério esbanjou em efeitos especiais e impecável produção, além de vívidas dramatizações documentando contatos com UFOs e ataques dos mesmos às pessoas daquelas regiões, o Brazil’s Roswell repetiu o feito e amplificou o efeito da mensagem. A Revista UFO tratou desse assunto exaustiva e profundamente em suas últimas quatro edições – de 114 a 117 –, veiculando entrevistas exclusivas com os principais envolvidos, civis e militares, vítimas e pesquisadores. Nossa política editorial é clara no sentido de que a verdade, toda a verdade, sobre o Fenômeno UFO, deve ser dita. Mesmo que ela revele que nem todos os nossos visitantes são benevolentes irmãos siderais... Por esta razão, este editor, ao ser consultado pela Globo para a realização de um programa sobre Ufologia, que seria direcionado para a área das abduções, sugeriu e até insistiu para que, em vez disso, fosse retratada a vida do coronel Hollanda, de gigantesco valor para a Ufologia Brasileira.

Deu certo! A produção acatou nossas sugestões e o programa saiu esplendoroso, tendo ao longo de toda sua realização a assessoria constante da Revista UFO. E movido pela mesma política editorial, quando consultado pelo The History Channel sobre a produção de um programa com o mesmo tema e enfoque – a violência de aliens contra humanos na Amazônia –, este editor prontamente aceitou servir de consultor e conceder as necessárias entrevistas. Eis que, nos últimos dias de 2005, o documentário Brazil’s Roswell ficou pronto e foi finalmente ao ar nos Estados Unidos e em dezenas de países, mostrando agora a todo o mundo aquilo que os brasileiros já conheciam. A produção é ainda superior à da Globo em muitos aspectos, apesar de alguns pequenos deslizes. O programa tem 45 minutos de duração e muita adrenalina, no qual se mostra a verdade sobre a situação ufológica das ilhas fluviais do Pará.

Contém relatos de vítimas dos ataques, reproduções de trechos da histórica entrevista exclusiva que Hollanda deu à Revista UFO – que originou todo o resto que se viu até hoje – e uma considerável quantidade de depoimentos de personagens ligados àquela situação: Carlos Mendes, Daniel Rebisso, Ubiratan Pinon, Marco Petit, Wellaide Cecim e este editor, todos, com exceção do Pinon, diretamente ligados à Revista UFO. O programa, em seus momentos finais, surpreendentemente, mostrou ainda detalhes e resultados da campanha UFOs: Liberdade de Informação Já, que a Revista UFO conduziu na forma de um apelo para que nossas autoridades abram seus arquivos secretos e interrompam sua política de sigilo ao assunto. Com imagens emprestadas do programa Fantástico de 22 de maio passado, que registrou a visita da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) ao Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) e ao Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra), em Brasília, Brazil’s Roswell expôs ao mundo nossa ousadia em exigir liberdade de informações aos militares. Com isso, o programa norte-americano ofereceu um momento de verdadeiro êxtase para nossa Ufologia.

crédito: Imagens THC
 A produção recria a experiência de uma mulher atacada pelo chupa-chupa.
A produção recria a experiência de uma mulher atacada pelo chupa-chupa.




Reconhecimento mundial —
Enfim, agora, não somente o Brasil, através dos referidos Fantástico e Linha Direta Mistério, mas o mundo todo está vendo a realidade da situação que envolveu certas regiões da Floresta Amazônica, e que continua a se repetir, embora – felizmente – em bem menor grau. E mais, todo planeta está vendo que houve uma corajosa campanha exigindo do Governo brasileiro a abertura de seus arquivos, com base na gravidade da situação do Pará e de outros casos igualmente importantes de nossa casuística [Veja o Manifesto da Ufologia Brasileira]. E que ela foi bem sucedida! Desde que o The History Channel começou a veicular o programa, a Redação de UFO tem recebido e-mails de vários países cumprimentando a atuação de nossa equipe e os resultados da campanha. E nos encorajando a continuá-la a todo custo, o que é alta prioridade em nossas metas para 2006. Enfim, chegamos ao final de 2005 com muito mais a celebrar do que quando chegamos ao final de 2004.

Com nossos planos para os próximos meses, haveremos de chegar ao fim de 2006 ainda mais solidamente estabelecidos. E pensar que quando começamos a campanha UFOs: Liberdade de Informação Já recebemos críticas de colegas, integrantes de outros sites, céticos e de um punhado de gente pessimista. Veja, caro leitor, os resultados que o movimento atingiu. O país inteiro está hoje mais consciente da seriedade e legitimidade do Fenômeno UFO, além de sua necessidade de estudá-lo a fundo. E o planeta, através do Brazil’s Roswell, tem agora uma nítida idéia da qualidade da Ufologia aqui produzida, de seus pesquisadores e sua dedicação ao tema. Estes são mais dois gigantescos pontos que a Ufologia Brasileira marca, não só aqui dentro, como lá fora.?Chegamos a 2006 com a certeza de que o que fazemos na Revista UFO é Ufologia de alto nível, com resultados visíveis dentro e fora do país, que beneficiam diretamente todos os pesquisadores que atuam na área. Isso é o que importa!

Não posso deixar de dizer que me sinto orgulhoso em ver que a UFO, mais uma vez, esteve por trás dessas realizações. Por isso, nesta nossa primeira edição do ano novo, quero agradecer a companhia de nossos leitores e visitantes ao nosso site – que, outro recorde, fechou 2005 com um número de 2,6 milhões de acessos. Agradeço também aos leitores que se tornaram clientes, adquirindo nossos produtos e permitindo assim o crescimento de nossas atividades. E agradeço, finalmente, a todos os integrantes da Equipe UFO – co-editores, consultores, coordenadores, tradutores, colaboradores e funcionários – pela participação nos momentos decisivos que nos possibilitaram atingir tantos momentos de sucesso.


Grande Ofertas Exclusivas da Revista UFO